(Minghui.org) Saudações Mestre! Saudações colegas praticantes!

Tive um derrame severo em março de 2006. Tendo testemunhado a boa saúde de minha mãe por praticar o Falun Dafa, concordei sem hesitar em praticá-lo quando ela e minha irmã mais nova me incentivaram a fazê-lo.

Os efeitos colaterais do derrame e outras doenças, como doenças cardíacas e problemas estomacais, desapareceram um mês depois. Eu nunca tinha imaginado como era maravilhoso estar livre de doenças.

Depois que comecei a praticar o Falun Dafa, entendi que é uma lei de Buda e a aprecio muito. Estou diligentemente tentando fazer bem as três coisas para cumprir meu voto. Gostaria de compartilhar como esclareço a verdade para as pessoas.

Esclarecendo a verdade na clínica

Meu marido é médico de medicina chinesa e tem uma clínica própria. Ele tem uma maneira única de tratar esporões ósseos que não se repetem; portanto, nossa clínica era muito popular.

Pouco tempo depois de começar a praticar o Dafa, minha mãe me orientou sobre como fazer as três coisas e me levou para distribuir informações e esclarecer a verdade. Ela foi muito cuidadosa quando se tratava de segurança e me lembrou de não falar sobre o Dafa na clínica, por isso nunca contei a nenhum de nossos pacientes.

No entanto, algo estranho aconteceu naquele ano. Nossos pacientes começaram a retornar à clínica e solicitar um reembolso, dizendo que seus esporões ósseos não estavam curados. Isso nunca tinha acontecido antes de eu começar a praticar o Dafa.

Eu pensei que isso era para cultivar meu xinxing e usei os princípios de “sem perda, sem ganho” que o Mestre Li mencionou no Zhuan Falun para remover meu apego ao ganho pessoal. Se eu não fosse uma praticante, nunca teria reembolsado ou permitido que algo assim acontecesse. No entanto, decidi reembolsar o dinheiro porque era uma cultivadora.

Nesse ano, reembolsamos um total superior a 16 mil yuans. No final do ano, mal tínhamos pacientes.

Enquanto eu continuava estudando os ensinamentos e lendo os artigos de compartilhamento de praticantes, entendi que isso era interferência das velhas forças. Comecei a enviar pensamentos retos para eliminar a interferência em minha situação financeira. Ao mesmo tempo, percebi que errei em não esclarecer a verdade para esses pacientes que vieram à nossa clínica, porque eles também vieram aprender sobre o Dafa. Como não os salvei, eles voltaram para pedir seu dinheiro de volta.

Depois que enviei pensamentos retos por duas semanas, os pacientes começaram a retornar. Desde então, esclareci a verdade e pedi a todos os pacientes e seus familiares que se retirassem do Partido Comunista Chinês (PCC) e de suas organizações de jovens. Como o tratamento deles leva sete dias, digo-lhes sobre o Falun Dafa e o PCC nos primeiros dias antes de incentivá-los a deixar o Partido no último dia.

Enquanto a maioria dos pacientes concordou em deixar o Partido, também houve alguns casos difíceis.

Uma vez, um promotor em nossa área local veio à clínica para tratamento e eu contei a ele sobre o Falun Gong.

Ele perguntou: “Por que você ainda pratica, mesmo que o PCC tenha proibido isso?”

“Deixe-me dar uma ilustração. O PCC promove mentiras, males e contendas, enquanto o Falun Gong acredita em verdade, compaixão e tolerância. Qual deles você acha que é melhor?” Eu disse.

Ele pensou por um momento antes de responder: “Verdade, compaixão e tolerância são melhores”.

“Verdade, compaixão e tolerância não são o oposto da mentira, maldade e contenda? Qual é o justo e qual é o mal? Não é fácil ver?

Ele concordou que o PCC era mau e corrupto, mas se recusou a deixar o Partido.

No final, eu disse: “Você levantou o punho e fez um juramento quando se juntou ao Partido para sacrificar sua vida por isso. Se você não desistir, terá problemas quando o Partido cair do poder.”

Ele disse que era órfão e o PCC o criou para que ele não pudesse desistir.

Sua esposa, que trabalha em um banco e o acompanhou, entendeu e disse que deixaria o Partido usando seu nome verdadeiro.

Para pedir ao promotor que se retirasse do Partido, convidei sua família para uma refeição para contar a eles sobre o Dafa em detalhes. Seu filho, um estudante universitário, renunciou depois de me ouvir.

Mas o promotor ainda se recusou a sair, então eu lhe dei o site do Freegate e pedi para ele pensar sobre isso. Se ele quisesse sair, ele poderia ir ao site e fazê-lo sozinho. Eu também disse a ele para não perseguir os praticantes do Falun Gong.

Ele me garantiu que não, e pelo que eu sei, ele não tem feito. Lamento sua hesitação, mas pelo menos, sei que ele se deu um vislumbre de esperança porque entendeu a verdade.

Um diretor de educação aposentado veio com sua esposa à clínica para tratamento. Ele se identificou com os princípios do Dafa, mas se recusou a deixar o Partido quando eu pedi. Sua esposa, professora aposentada, fez.

Um dia, o diretor aposentado foi ao mercado e encontrou um praticante idoso que esclareceu a verdade para ele. O praticante idoso agarrou sua mão e se recusou a deixá-lo ir até que o homem concordou em deixar o Partido. Uma vez que ele fez isso, ele correu para minha casa, que fica perto do mercado, para me dizer o que ele havia feito.

Eu conheci um oficial militar de Dalian que costumava trazer seus companheiros para remover os pôsteres que os praticantes tinham colocado. Depois de esclarecer a verdade, ele disse: “Eu não sabia que o Falun Gong era tão bom!” Ele prometeu não remover mais os pôsteres.

Durante as duas semanas necessárias para concluir seu tratamento, continuei a conversar com ele. Ele disse: “Você fala muito bem. Você nunca se repete.” Eu sabia que o Mestre estava me ajudando. Pedi que ele se retirasse do Partido em seu último dia e ele disse que pensaria nisso.

Mais tarde, pedi a outro praticante que ligasse e falasse com ele e, ele finalmente desistiu.

Nos últimos nove anos, convenci muitos pacientes a deixar o Partido e ninguém mais voltou para pedir um reembolso.

Esclarecendo a verdade no canteiro de obras

Em 2001, minha família foi contratada para um local de demolição, que se tornou um local para eu salvar pessoas.

No local, havia trabalhadores que demoliam as casas, aqueles que limpavam os tijolos e outros que vinham comprar a sucata. Alguns dos funcionários encarregados do local eram praticantes. Isso lhes deu um emprego, mas também era uma oportunidade para cooperarem e salvarem as pessoas.

Com tantas pessoas indo e vindo, tentei não perder nenhuma chance de esclarecer a verdade para elas. Quando eu não aguentava, minha mãe trazia alguns praticantes para ajudar.

Quando aqueles que entenderam a verdade se identificaram com o Dafa, dava-lhes uma lembrança que usualmente usavam no pescoço. Se eles andavam de bicicleta, eu dava a eles um chaveiro para pendurar nas chaves da bicicleta.

Um motorista pegou duas faixas, uma que dizia “O Falun Dafa é bom” e a outra, “Verdade, compaixão, tolerância são boas”. Ele as pendurou nos espelhos dos caminhões. Quando ele dirigia, as bandeiras voavam ao vento. Ele estava muito animado para mostrá-los para mim.

Contratamos um aluno do meu marido para trabalhar como guarda de segurança. Depois que ele entendeu a verdade, começou a me ajudar a salvar pessoas. Ele me avisava sempre que havia um recém-chegado ao canteiro de obras e me trazia para esclarecer a verdade. Ele convenceu várias pessoas a deixar o próprio partido.

Por causa de seu apoio ao Dafa, ele vivia muito bem.

Com a proteção do Mestre, não houve acidentes em seis anos em nossa obra.

Esclarecendo a verdade pessoalmente

Por muitos anos, esclareci a verdade pessoalmente na clínica e no canteiro de obras. Com tempo suficiente, eu poderia explicar as coisas em grande profundidade. Eu sempre duvidei que as pessoas pudessem realmente entender os fatos se apenas ouvissem um praticante dizer algumas palavras. Assim, eu era cautelosa ao esclarecer a verdade dessa maneira.

O Mestre disse:

“Também essas pessoas que vocês encontram por casualidade, essas pessoas que você conversa diariamente, as pessoas de seu trabalho, enfim, você deveria esclarecer a verdade a todos. Inclusive em sua vida diária, quando você encontra alguém por um pequeno instante que não tem nem tempo de conversar, ainda deveriam passar vossa compaixão e amabilidade a elas. Não percam aquelas que devem ser salvas, especialmente aquelas com relação predestinada. ”(“ Ensinando o Fa no Fahui de Atlanta, 2003)

Eu sabia que o tempo é curto e estamos competindo contra as velhas forças para salvar as pessoas, então pensei que deveria tentar essa abordagem de qualquer maneira.

Na primavera deste ano, fui ao campo com outros praticantes para esclarecer a verdade. Aprendi com praticantes experientes como conversar com as pessoas pessoalmente no mercado. No começo, eu só conseguia convencer cerca de quatro ou cinco pessoas a deixar o Partido, mas agora posso convencer 15 ou 16 pessoas de cada vez.

Eu sempre converso com a pessoa primeiro para estabelecer confiança mútua antes de dizer a ela para lembrar: “O Falun Dafa é bom, a verdade, a compaixão, a tolerância são boas”.

Então eu falo sobre os três saques. Se o tempo permitir, conto a eles sobre a farsa de autoimolação da Praça da Paz Celestial. Eles parecem muito gratos e estou feliz por poderem ser salvos.

Precisávamos de muitos materiais informativos no campo, mas eles eram escassos porque apenas um praticante os produzia. Aquele praticante perguntou se eu poderia ajudar. Em 2011, montei outro pequeno local de produção de material em minha casa.

O processo de fabricação dos materiais também é um processo de me cultivar. Quando a máquina quebrou, eu me comuniquei com ela e olhei para dentro. Quando encontrei meus apegos, a máquina começou a funcionar novamente.

Muitas coisas místicas aconteceram. Por exemplo, alguém teve que me ajudar a carregar as caixas de papel para o andar de cima, porque eu não poderia fazer isso sozinha. Uma vez, não havia ninguém por perto, então pedi ajuda ao Mestre. Milagrosamente, eu consegui carregar a caixa para o andar de cima. Desde então, não importa quantas caixas de papel existam, eu posso carregá-las para cima.

Nestes 13 anos de cultivo, tenho feito diligentemente as três coisas sem arrependimentos. No entanto, ainda tenho muitos apegos humanos que não foram abandonados. Estudarei mais os ensinamentos do Fa e procurarei removê-los todos para não decepcionar o Mestre. Sinto-me muito afortunada por ser uma discípula do Dafa no período de retificação do Fa, e não há razão para eu não me sair bem.

Obrigada Mestre! Obrigado, colegas praticantes!