(Minghui.org) Sou uma praticante do Falun Dafa de 57 anos na zona rural da China. Antes de começar a cultivar em 2004, eu estava doente com um problema cardíaco grave. A minha família evitava contar-me qualquer notícia que pudesse potencialmente me incitar ou me desapontar, pois a aflição emocional me faria desmaiar.

Uma vez, a minha cunhada e o seu marido visitaram a minha sogra. Como não os víamos há muito tempo, o meu marido decidiu levar-me também, pois naquele dia eu parecia estar de bom humor. Contudo, fiquei tão feliz por os ver, que desmaiei assim que começamos a conversar. As reuniões de grupo tornaram-se bastante arriscadas por causa da minha condição, então muitas vezes evitei participar das festividades.

Eu também não podia trabalhar muito devido às minhas alergias. Por exemplo, eu não podia ajudar a colher o milho no outono porque sentia coceira em meu corpo todo se tocasse nele. Por causa da minha saúde precária, minha sogra tentou convidar os espíritos de raposas e doninhas para casa com oferendas, mas isso não ajudou.

Em 2004, quando o meu tio morreu, fui apresentar as minhas condolências. Por estar tão triste, desmaiei de novo. Nesta época, o meu irmão já praticava há vários anos o Falun Dafa, uma antiga disciplina espiritual e de meditação. Depois que eu cheguei, ele disse: "Irmã, eu lhe disse para praticar o Dafa comigo. Você não quis e olha para você agora" A sua sincera persuasão comoveu-me, por isso peguei seus livros do Dafa .

Assim que comecei a fazer os exercícios do Falun Dafa e a estudar os seus ensinamentos, o meu coração logo recuperou a saúde, e desde então não tenho tido problemas cardíacos. Isso convenceu o meu marido, e ele também começou a praticar o Dafa.

Em 2006, um dia, comecei a ter coceira por todo o corpo. Não entendi que o Mestre Li (fundador de Dafa) estava me ajudando a limpar o meu corpo porque já tinha tido alergias na pele. Todos os dias, eu me coçava até a pele ficar escura e áspera. Finalmente, não aguenteie mais e comprei um remédio para a pele e fiz a infusão em casa.

Após a infusão, o meu marido levou-me para a casa da minha mãe e eu passei a noite lá. No dia seguinte, a minha cabeça estava incrivelmente inchada. O meu rosto estava irreconhecível, até as minhas orelhas tinham inchado. Na verdade, todo o meu corpo estava inchado.

Quando o meu marido veio buscar-me, ficou chocado. Quando cheguei em casa, ainda tinha coceira em todo o corpo e queria coçar-me. Assim que comecei a me coçar, a pele partiu-se e começou a escorrer sangue e pus. Coçava do meu rosto até os pés. Além das minhas unhas, toda a pele que cobria meu corpo e até meus olhos foram afetados.

Eu tive que colocar um lençol protetor antes de me sentar ou dormir na cama e cobri meus braços e pernas com papel de seda. A pele do meu rosto estava inflamada e meus olhos ficaram inchados. Eu tive que forçar minhas pálpebras a abrir para conseguir enxergar, e o resíduo em meus olhos embaçava a minha visão. Tentei não me mexer muito para não sujar tudo. As feridas continuavam a escorrer e tinham um odor de peixe.

Felizmente, tínhamos um bom sistema de aquecimento, então eu podia ficar sentada usando minhas roupas e calças largas. As vezes, ouvia as palestras do Mestre e lia algumas páginas do Zhuan Falun. Como não conseguia cuidar de mim mesma, o meu marido teve de encontrar trabalhos ocasionais para fazer perto da nossa casa.

Um dia, quando chegou em casa, disse: "Porque esta casa está cheirando mal?" Ele descobriu que o cheiro vinha da minha cabeça, porque as feridas que escorriam no meu couro cabeludo tinham encharcado todo o cabelo. Ele pegou uma grande bacia e lavou o meu cabelo duas vezes com bicarbonato e sal. As coisas que saíram dos meus cabelos eram pegajosas e cheiravam mal.

Naquela época, todo o meu corpo estava inchado e em carne viva – eu parecia uma vítima de queimadura. Ouvi pessoas sussurrando que talvez não me restassem muitos dias.

Eu sabia em meu próprio coração que a coceira inicial era o Mestre limpando meu corpo. Depois de tantos anos de medicamentos e infusões, eu tinha acumulado muita sujeira em meu corpo. Mas como não queria agüentar, fiz a infusão. Embora meu corpo parecesse terrível, felizmente não sentia nenhuma dor. Mais tarde, percebi que o Mestre suportou a dor por mim. Minha pele continuou a escorrer pus pelos próximos quatro meses até que de repente, um dia parou e crostas começaram a se formar. O inchaço também diminuiu e, depois que todas as crostas cicatrizaram, não havia vestígios de cicatrizes.

Em 2008, senti uma fraqueza muscular inexplicável e foi bastante grave. Ouvi dizer que esta condição era basicamente incurável, como a maioria dos tipos de câncer. Eu gritava de dor ao mais pequeno toque e até lutava para levantar as minhas mãos e segurar os pauzinhos para comer. Não conseguia sequer ligar o botão do fogão para aquecer a comida, e não tinha apetite.

Fiquei tão triste que não me conseguia levantar para fazer os exercícios do Falun Dafa, porque a planta dos meus pés doía muito. Isto continuou durante mais de dois anos, até que um dia eu estava determinada a terminar todos os exercícios. Apesar de parecer que estava de pé sobre um milhão de agulhas, disse a mim mesma que hoje superaria esta tribulação.

Eu gritei: "Mestre, salva-me!". Instantaneamente, senti que a substância tinha desaparecido do meu corpo. As agulhadas na planta dos meus pés desapareceram para que eu pudesse finalmente completar os exercícios. A partir desse momento, a minha saúde voltou gradualmente ao normal.

Eu não tenho como expressar a extensão da minha gratidão ao Mestre. Ele me transformou de uma pessoa notoriamente doente para uma pessoa saudável e deu-me uma nova vida.

As opiniões expressas neste artigo representam as próprias opiniões ou entendimentos do autor. Todo o conteúdo publicado neste site é protegido por direitos autorais pelo Minghui.org. O Minghui irá produzir compilações do seu conteúdo on-line regularmente e em ocasiões especiais.