(Minghui.org) “Vocês são todos assassinos. Você tratou meu pai tão cruelmente, e um dia tudo isso vai voltar para você!", gritou a filha de um praticante do Falun Gong para os guardas da prisão. Seu pai, um praticante do Falun Gong, havia sido perseguido até a morte na prisão.

Essa cena aconteceu durante as Olimpíadas de 2008, quando o Sr. Zheng Shoujun, um praticante do Falun Gong de 45 anos do condado de Liaozhong (na cidade de Shenyang), na província de Liaoning, foi espancado até a morte em menos de duas semanas depois de ser preso na Prisão em Dongling. Os membros de sua família foram para o hospital mas apenas viram os miseráveis restos mortais do Sr. Zheng Shoujun. Sua cabeça estava inchada e deformada. Ele tinha hematomas no rosto e suas mãos estavam em posição de luta e dobradas.

A família ficou arrasada. A filha de Zheng questionou os guardas: "Você disse que meu pai morreu por causa de uma doença. Como não há nenhum vestígio de tratamento médico em seu corpo? O registro médico dizia que meu pai entrou no hospital na manhã do dia 19 com a mente lúcida. Mas você nos informou que ele havia morrido naquela hora”. Os guardas da prisão não puderam dizer uma palavra para se defenderem. Parecia que esses guardas prisionais podiam substituir o império da lei pelo império da força à vontade.

É apenas um caso? Não. Desde a perseguição ao Falun Gong em 20 de julho de 1999, o Partido Comunista Chinês (PCC) tem sequestrado e prendido ilegalmente praticantes do Falun Gong em todo o país e os tem perseguido de forma desumana. Muitos praticantes do Falun Gong foram perseguidos brutalmente até a morte.

O praticante do Falun Dafa, Sr. Fan Xuejun, de 30 anos, morava na rua Weihe, no distrito de Huanggu, cidade de Shenyang, província de Liaoning. Ele morreu em consequência da perseguição sofrida na Prisão de Huazi, na cidade de Liaoyang, província de Liaoning, em 12 de setembro de 2004. Testemunhas viram o estado do cadáver de Fan Xuejun: seu crânio havia sido afundado, havia um buraco em suas costas e em sua coxa havia um longo corte. Mais tarde, seus parentes disseram que a causa da morte de Fan Xuejun foi a extração de órgãos de pessoas vivas.

O praticante do Falun Gong, o Sr. Xiao Hongmo, de Guanghan, província de Sichuan, foi submetido a tortura brutal na Prisão de Deyang, na província de Sichuan. Em 25 de julho de 2009, administraram-lhe uma droga desconhecida, que o deixou inconsciente e incontinente. Ele foi levado ao Hospital Geral da Polícia da Província de Sichuan, na cidade de Chengdu, em 27 de julho de 2009, onde morreu em meados de março de 2010, aos 47 anos.

Existem quase cinco mil casos verificados de praticantes do Falun Gong que foram perseguidos até a morte. Como diz o ditado, a vida humana é o que há de mais precioso. Os policiais de qual país podem matar à vontade? Esse tipo de caos diabólico resulta de Jiang Zemin, da ordem do ex-chefe do PCC de "matar por nada..."

O PCC está pisoteando a lei e violando os direitos humanos

O PCC persegue o Falun Gong há 22 anos sem qualquer base legal. Assédio, sequestro, detenção e condenação de praticantes do Falun Gong violam a lei. Alguns juízes disseram abertamente: “Falamos sobre política, mas não sobre direito”. O PCC viola os direitos humanos e mata pessoas inocentes.

Torturas e perseguições

De acordo com os relatos de perseguições no site Minghui, os praticantes do Falun Gong foram submetidos a torturas desumanas. Alguns dos métodos de tortura física mais comuns incluem espancamentos, choques com bastões elétricos, alimentação forçada, exposição a calor e frio extremos, confinamento em pequenas jaulas, algemas por longos períodos e injeção de drogas perigosas em praticantes. A lista é interminável, com mais de 100 métodos de tortura documentados. Os praticantes do Falun Gong também são submetidos à tortura mental na forma de lavagem cerebral.

Injeção de drogas desconhecidas

O PCC tem usado injeção de medicamentos para perseguir os praticantes do Falun Gong em grande escala. Até mesmo hospitais psiquiátricos estão envolvidos na perseguição aos praticantes do Falun Gong. Praticantes do Falun Gong têm recebido drogas psicotrópicas inadequadas para puni-los por sua crença espiritual no Falun Gong.

O Campo de Trabalho Feminino de Baimalong, na província de Hunan, é um dos campos de trabalho onde as praticantes do Falun Gong são severamente perseguidas com drogas. Muitas praticantes do Falun Gong que não renunciaram à sua fé no Falun Gong foram entregues diretamente aos médicos na enfermaria do campo de trabalho. Eles administraram injeções à força com grandes quantidades da droga psicotrópica Thorazine, um forte tranquilizante usado no tratamento de pacientes psiquiátricos. Como resultado da injeção, centenas de praticantes perderam a memória e a consciência. Algumas apresentaram dormência geral; algumas ficaram loucas após a injeção e algumas morreram a caminho de casa.

Extração de órgãos de pessoas vivas

A extração de órgãos de pessoas vivas foi chamada de “um mal sem precedentes neste planeta”, e Jiang Zemin é o diretor-chefe desse drama maligno. Apesar dos apelos de pessoas justas e governos em todo o mundo, a extração de órgãos de vivas continua ainda hoje, mesmo depois de ser exposta internacionalmente em março de 2006.

Esses fatos são suficientes para que o mundo veja a natureza destrutiva do PCC. Ele persegue pessoas boas sem qualquer resultado financeiro e extermina completamente a humanidade.

A lei universal prevalece

Na perseguição, o PCC ignorou a lei e violou todos os procedimentos legais com sua autoridade inigualável, como prisões, campos de trabalho forçado, outros aparatos do Estado e a mídia controlada pelo governo.

No entanto, tanto na cultura ocidental quanto na chinesa, o princípio da retribuição cármica, isto é, ser responsabilizado por suas próprias ações, é amplamente aceito. Dito de outra forma, o mal terá o que lhe é devido, sem exceção.

O site Minghui relata que mais de 20 mil oficiais que continuaram a perseguir o Falun Gong morreram prematuramente. Mais casos foram encobertos pelo PCC e seu firewall.

Men Zhenliang, diretor da Agência 610 no município de Gaoqiao, condado de Yishui, na província de Shandong, sofreu uma hemorragia no tronco cerebral e morreu na tarde de 27 de maio. Desde julho de 1999, Men Zhenliang havia participado ativamente da perseguição ao Falun Gong. Muitos praticantes do Falun Gong na área local foram presos e suas casas saqueadas devido a falsas acusações fabricadas por Xu Wendou e seus cúmplices.

Du Fengxiang era o chefe do departamento de julgamento do Tribunal do Condado de Kailu, na Mongólia Interior. Durante seu mandato, ele disse de forma arrogante e pública que poderia condenar os praticantes do Falun Gong à vontade. Ele sofria de câncer e morreu repentinamente em casa em 2018.

Chen Aidan, que trabalhou para o Departamento de Segurança Pública do condado de Jianchang na província de Liaoning, participou ativamente da perseguição ao Falun Gong para obter bônus e promoções. Durante seu mandato como chefe da delegacia de polícia no município de Toudao Yingzi, no condado de Jianchang, ele comandou o sequestro de vários praticantes do Falun Gong. Em 24 de maio de 2012, Chen Aidan sofreu um ataque cardíaco e morreu no local.

Este artigo lista apenas alguns casos como um lembrete compassivo desse princípio para aqueles que cometem transgressões. Muitos perseguidores do Falun Gong receberam retribuição, como morrer de doenças repentinas ou se envolver em acidente de carro. Embora as mortes possam parecer acidentais, muitos praticantes do Falun Gong acreditam que o envolvimento dos oficiais na perseguição foi o principal fator que contribuiu para suas mortes prematuras.

O Minghui.org publicou um Aviso no final de maio de 2019, instando os praticantes do Falun Gong “a tomar medidas imediatas para coletar, compilar e enviar ao Minghui.org informações sobre os perpetradores, seus familiares e seus bens, para localizar e verificar suas identidades”. O propósito de compilar esta lista é parar a perseguição, preservar o que é bom e defender a justiça.

Desde então, o Minghui.org postou uma lista dos perpetradores envolvidos na perseguição ao Falun Gong. Esta lista foi publicada em um site afiliado ao Minghui. Abrange um total de 105.580 nomes com informações pessoais dos perpetradores e crimes cometidos contra os praticantes do Falun Gong.

A perseguição de 22 anos do PCC ao Falun Gong foi amplamente condenada pela comunidade internacional. Funcionários do Departamento de Estado dos Estados Unidos (DOS) têm restringido a verificação de vistos. Eles podem negar vistos a violadores dos direitos humanos e aqueles que perseguem crenças religiosas. Ren Yuhui, o diretor da Agência 610 em Chengdu, província de Sichuan, e sua família, tiveram sua entrada negada nos EUA. Mais perpetradores da perseguição ao Falun Gong podem ter seus vistos ou entrada negados.

A cruel perseguição dos praticantes do Falun Gong pelo PCC é um crime contra a humanidade. A prova final, o fim virá em breve para o PCC. Os praticantes do Falun Gong prezam a vida e sinceramente esperam que os perpetradores envolvidos na perseguição aprendam uma lição com esses casos.

Todos os artigos, gráficos e conteúdo publicado no Minghui.org são protegidos por direitos autorais. A reprodução não comercial é permitida, mas requer a atribuição do título do artigo e do link correspondente para o artigo original.

Categoria: Perspectiva