(Minghui.org) Costuma-se dizer que a vida é passageira e que passa num piscar de olhos. Não importa o quão bonita uma pessoa seja, a beleza não pode suportar a devastação do tempo. Os Budas costumam dizer que tudo neste mundo é ilusório e insustentável e os sábios do mundo não serão enganados pela aparência de uma pessoa. Se alguém deixar de lado o apego à aparência física, a porta do cultivo para o estado de Buda se abrirá para ele.

Buda salvou uma mulher chamada Lótus

Quando Buda Sakyamuni estava em Rajagriha, havia uma mulher bonita chamada Lótus. Ela era uma prostituta e muitos de seus clientes eram herdeiros de famílias ricas e poderosas.

A vida de Lótus era de prosperidade e decadência, mas não nutria sua alma e, com isso, ela se sentia vazia. Finalmente, um dia ela decidiu se afastar da sua vida de luxo e ostentação e ir para as montanhas para se tornar uma freira. Lótus saiu do portão da cidade em direção à montanha onde Buda Sakyamuni morava.

No caminho, ela parou perto de um riacho de águas claras para beber e lavar o rosto. Com a luz do sol ela viu sua beleza refletida na água. Sentimentos de arrependimento surgiram dentro dela e ela disse a si mesma: “Uma vida tão digna e bela como a minha é rara neste mundo. Por que eu não deveria desfrutar dessa glória e felicidade? Por que me tornar uma freira e me afastar do mundo?”. Então ela se virou e retornou para a cidade.

Buda Sakyamuni sabia que estava na hora de salvar Lótus, que ela estava pronta, então ele se transformou em uma jovem de beleza deslumbrante e incomparável. Comparada à Lótus, essa jovem era como um pedaço de jade ao lado de uma pedra lisa. Encantada com sua beleza, Lótus perguntou à jovem: “De onde você é? Por que você está sozinha?”.

A jovem respondeu: “Eu vim da cidade e estou indo para casa. Se você também está indo nessa direção, por que não caminhamos juntas? Mas primeiro, vamos descansar no riacho”.

Lótus concordou e voltaram juntas para o riacho. A bela jovem parecia cansada, então colocou a cabeça no colo de Lótus e adormeceu. No entanto, alguns minutos depois, de repente a jovem morreu. Então seu corpo inchou rapidamente e começou a se decompor. Seus dentes e cabelos caíram. Larvas se multiplicaram e o cheiro era terrível.

Apavorada, Lótus pensou consigo mesma: “Ela estava bem há alguns minutos atrás, como ela pode ter morrido tão rapidamente e seu corpo se deteriorar assim? Como pode uma beleza se transformar em um cadáver podre num piscar de olhos? Como tudo isso pode ter uma vida tão curta?”. Lótus percebeu que ela não poderia ser poupada do destino como o da bela mulher: da morte. Então decidiu seguir a lei de Buda. Com esse pensamento ela se levantou e caminhou em direção à casa do Buda.

Lótus, uma freira, ensina uma lição a jovens maliciosos

Na época de Buda Sakyamuni, uma gangue de rufiões em Kosala costumava perambular cometendo atos vergonhosos. Por causa deles, as mulheres da cidade tinham medo de sair.

Um grupo de freiras budistas morava em uma cidade vizinha. A freira superior chamava-se Lótus. Ela era digna, bonita e era conhecida por seu caráter exemplar. Ela também tinha poderes sobrenaturais e era altamente respeitada na região.

Em um dia quente de verão, as freiras budistas passaram pela cidade de Kosala. Elas estavam tomando banho em um rio perto da floresta fora da cidade. Os bandidos as viram e com o objetivo de humilhá-las, roubaram suas roupas.

Lótus sabia muito bem o motivo dos rufiões, mas decidiu usar seu poder sobrenatural para salvá-los. Ela tirou seus olhos, os jogou na frente dos rufiões e disse: "Se a mulher que você adora não tiver olhos, você ainda gostaria dela?”.

Então, ela pegou seus órgãos abdominais e os jogou no chão. Depois disso, quebrou seus braços e suas pernas e perguntou: “Olhe para mim agora. Que partes de mim ainda parecem atraentes para você?”.

Os rufiões tremiam de medo e seus cabelos estavam arrepiados. Lótus continuou a persegui-los: “O corpo humano é constituído por essas coisas impuras. Como o resto deste mundo, é tudo ilusório. A beleza deste mundo murcha com o tempo. A juventude é passageira. Quando as pessoas ficam velhas, elas se tornam feias. Quando morrem, o corpo se decompõe e apodrece, o que é ainda mais perturbador. Um corpo sem alma é como sujeira no chão”.

Os bandidos imediatamente devolveram as roupas. Curvando-se diante dela, eles imploraram a Lótus, dizendo: “Por favor, nos perdoe. Nós somos tolos. Por favor, nos salve!”.

Lótus os levou para Buda Sakyamuni. A compaixão do Buda fez com que se arrependessem dos caminhos passados. Por isso, todos se converteram ao Budismo e começaram a praticá-lo. Depois disso, as mulheres na cidade de Kosala não tiveram mais medo de sair de suas casas.