(Minghui.org) Continuação da Parte 4.

Todos os praticantes do Falun Gong (também conhecido como Falun Dafa) se beneficiaram fisicamente e mentalmente da prática de autocultivo. Aqueles que a praticam desfrutam de boa saúde e uma perspectiva positiva.

O Mestre Li Hongzhi, o fundador da prática, disse:

Ao longo de meus ensinamentos sobre o Fa e a prática, tenho sido responsável perante a sociedade e os nossos estudantes. Os resultados obtidos têm sido bons e a influência sobre toda a sociedade também tem sido bastante boa”. (Primeira Palestra, Zhuan Falun)

Os perfis abaixo mostram duas pessoas cujas vidas mudaram para melhor depois que começaram a praticar o Falun Dafa. Esperamos que essas histórias ajudem a desmistificar a prática e beneficiar o leitor.

As doenças da detetive criminalística são curadas e sua vida é transformada

A Sra. Liang Yaomin é supervisora de polícia da Classe III e ex-detetive de investigação criminalística no Departamento de Polícia da Cidade de Haiyang, na província de Shandong.

A Sra. Liang foi admitida na Faculdade de Polícia Criminal da Província de Shandong, anteriormente conhecida como Escola de Polícia da Província de Shandong, em 1978. Depois de se formar em 1980, ela foi designada para a equipe de investigação da cena do crime da divisão criminal do Departamento de Polícia da Cidade de Haiyang. Sua habilidade desempenhou um papel fundamental na resolução de muitos casos. Ela era uma das poucas detetives criminalísticas do sexo feminino na província de Shandong.

Não havia horas de trabalho fixas para alguém em sua posição, e ela frequentemente tinha que trabalhar o tempo todo, com tempo para apenas uma refeição por dia. O trabalho exigente lhe custou a saúde. Ela desenvolveu sérios problemas físicos, incluindo doença cardíaca, gastrite atrófica, edema da vesícula biliar, pancreatite, dores de cabeça neuropáticas, artrite e hiperplasia do osso cervical. Eventualmente, ela não conseguia nem cuidar de suas próprias necessidades básicas. No final de 1995, os médicos do Hospital Yantai da Cidade de Yuhuangding e do Hospital Universitário da Província de Shandong, na cidade de Qingdao, haviam determinado que ela estava além da ajuda médica.

Sua vida melhorou quando uma amiga trouxe informações sobre o Falun Gong em 20 de janeiro de 1996. Depois de ler o livro e fazer os exercícios por duas semanas, ela começou a se recuperar. Em um mês, todos os problemas de saúde dela desapareceram e ela conseguiu voltar ao trabalho. Ela nunca teve uma recaída ou sofreu outros problemas de saúde nos últimos 20 anos.

A notícia de sua recuperação milagrosa tornou-se conhecida no sistema policial e em toda a cidade de Haiyang. Muitas pessoas, incluindo o prefeito e parentes de outras autoridades do governo, foram até a casa dela e pediram que ela lhes ensinasse o Falun Gong. O chefe de polícia deixou que ela usasse a sala de conferências do departamento de polícia para mostrar vídeos do Falun Gong. A Sra. Liang estava mais do que disposta a fazê-lo por causa de sua própria experiência. Quando outros praticantes pediram que ela fosse a coordenadora local do Falun Gong, ela ficou feliz em assumir a responsabilidade não remunerada.

A Sra. Liang aprendeu que ela tinha que se comportar de acordo com os princípios Verdade-Compaixão-Tolerância. Ela costumava aceitar dinheiro de parentes e amigos quando eles vinham lhe pedir ajuda em certos casos criminais. Seu marido também recebeu dinheiro informal em seu trabalho como parte da liderança do comitê de infraestrutura do condado. Depois que ela começou a praticar o Falun Gong, ela percebeu que aceitar dinheiro dessa maneira não estava certo e, depois de conversar com o marido, decidiu devolver mais de cem mil yuanes. Nos anos seguintes, eles nunca aceitaram outro suborno.

Antes de praticar o Falun Gong, Liang muitas vezes teve conflitos com seus sogros devido ao seu trabalho exigente, e ela sempre recorreu ao confronto em vez de considerar os sentimentos de seus parentes ou pontos de vista. Sua prática do Falun Gong dissolveu seu ressentimento aos seus sogros. Ela, em vez disso, ela se conduziu de acordo com o ensino “...Vocês cultivadores não revidam quando são agredidos nem reagem quando são insultados...” (Nona Aula, Zhuan Falun, segunda edição) e passou a tratá-los com compaixão. Pouco a pouco, seu comportamento teve um efeito transformador em sua família e agora eles se dão muito bem.

A família problemática de uma estudante universitário é curada

A Sra. Zhao Li é da cidade de Lanzhou, província de Gansu, e formada pela Universidade de Medicina Tradicional de Pequim.

Nascida e criada na pobreza

Quando a Sra. Zhao tinha apenas um ano de idade, seu pai foi preso, deixando sua mãe devastada e incapaz de cuidar de todos os seus três filhos. Os irmãos gêmeos mais velhos da Sra. Zhao foram enviados para morar com a avó, enquanto a Sra. Zhao foi ridicularizada e evitada na escola por não ter pai. Sua infância foi solitária e difícil.

Quando ela tinha 12 anos, seu pai foi libertado e sua mãe ficou cheia de esperança. Seus irmãos voltaram para casa e a família foi reunida. Mas depois de tudo que ela passou, ela achou difícil aceitar seu pai. Ela não o chamaria de “pai” ou deixaria que seus colegas de classe soubessem que seu pai havia sido libertado da prisão, para evitar a humilhação. Além disso, depois de tantos anos separados, os cinco não conseguiam se dar bem e brigavam o tempo todo, às vezes até resultando em violência física. Muitas vezes, ela hesitava na porta depois da escola, relutante em entrar em sua própria casa.

Para escapar de seu passado doloroso, a Sra. Zhao voltou seus estudos na esperança de um futuro melhor. Ela logo se tornou uma das melhores alunas. No entanto, a pobreza que ela viveu quando criança e as dificuldades que ela teve que suportar muitas vezes a fizeram pensar sobre o propósito da vida e a causa de tanta dor. Ela leu livros budistas e acreditou na reencarnação e no princípio de que o bem é recompensado e o mal é punido. Ela se perguntou como poderia ser salva e pensava em se tornar freira, mas não sabia por onde começar.

Os 11 anos difíceis de seu pai atrás das grades e os sentimentos ruins de seus filhos em relação a ele afetaram gravemente sua saúde. Em suas próprias palavras, nem um único de seus órgãos funcionava normalmente. Ele raramente ia ao médico quando sentia dores porque não podia pagar. Seu empregador demitiu-o quando foi condenado à prisão, então, para colocar comida na mesa e pagar a escola de seus filhos, ele teve que pedalar um triciclo para transportar mercadorias.

O pai aprende o Falun Gong

Práticas de qigong estavam florescendo na China na época. Ele tentou práticas diferentes, mas sua própria saúde nunca melhorou. Então, ele começou a usar o qigong para curar as doenças dos outros, o que fez com que sua saúde se deteriorasse ainda mais.

Em 1997, ele obteve os livros Zhuan Falun e O Grande Caminho da Perfeição Espiritual, bem como o áudio das músicas dos exercícios. Depois de ler o Zhuan Falun, ele ficou comovido pelo fato de que a prática era livre, sem necessidade de mensalidade; que ensinou o propósito do autocultivo e como fazê-lo; e que respondeu a tantas perguntas sobre a vida. Ao praticar os exercícios, sua saúde foi rapidamente restaurada e ele não precisou tomar nenhum medicamento. Ele continuou a fazer seu trabalho manual com seus 60 anos.

Um dia, ele sentou-se com a Sra. Zhao e confidenciou-lhe: “Aqueles 11 anos de prisão arruinaram a minha vida. Eu costumava desprezar os homens que me incriminaram, e planejei me vingar. Se não fosse pelo Falun Gong, eu teria feito mal a eles. Eu tenho que agradecer ao Mestre [Li Hongzhi] e ao Falun Gong, pois eu não penso mais assim. Muitos dos homens encarcerados comigo cometeram crimes. Apesar de terem sido liberados no início do período probatório por bom comportamento, eles continuaram a fazer coisas ruins quando saíram. A chamada "reeducação pelo trabalho" não muda o coração das pessoas. Eu gostaria de ter encontrado o Falun Gong quando era jovem, então não teria feito o que fiz.” A Sra. Zhao ficou comovida e teve muita sorte por seu pai não mais ter buscado vingança e que o Falun Gong salvou seu pai e a família.

A Sra. Zhao torna-se uma praticante do Falun Gong

Vendo as mudanças dramáticas em seu pai, a Sra. Zhao não pode deixar de perguntar que tipo de prática de qigong tinha tal poder. Depois de ler o Zhuan Falun, ela percebeu que o Falun Gong é um cultivo na escola de Buda que ensina as pessoas a se esforçarem para serem boas, serem altruístas e colocar os outros à frente de si mesmas.

Depois que ela começou a praticar, ela aprendeu que as dificuldades e a dor vêm do carma de alguém e que a pessoa pode retribuir o carma através do cultivo, alcançando assim um estado livre de doença. Ela também aprendeu que o propósito da vida era cultivar e retornar ao seu verdadeiro eu. Para seu espanto, o Zhuan Falun revelou os princípios mais profundos, que antes eram considerados além da compreensão dela e de outras pessoas. Ao mesmo tempo, o Falun Gong permite se autocultivar fazendo um trabalho regular e fazendo parte de uma família normal, sem a necessidade de se tornar um monge ou uma freira. Seu coração estava cheio de luz e esperança.

Ela gradualmente se livrou de seus apegos, como teimosia e egoísmo, obstinação e competitividade, bem como da inveja. Ela também começou a se arrepender do que fez com sua família no passado. Ela pediu desculpas aos seus irmãos, o que rapidamente levou a melhora do relacionamento entre eles. Ela ficou surpresa com sua própria transformação em um período tão curto de tempo. Ela foi capaz de abandonar seu ressentimento em relação aos seus pais e familiares e àqueles que a prejudicaram quando criança; ela foi capaz de ter compaixão por eles.

Ela costumava ter dor de estômago e dismenorreia e precisava prestar mais atenção a tudo o que ela comia e bebia. Qualquer coisa fria levaria a dores de estômago e diarreia nos dias seguintes. Ficava pior quando ela menstruava. A dor em seu abdômen era frequentemente excruciante, e isso interferia seriamente em seus estudos universitários e na vida cotidiana. Ela tentou todos os tipos de medicina ocidental e medicina tradicional chinesa sem sucesso. Praticar o Falun Gong a curou sem que ela percebesse.

Aos 18 anos de idade, ela foi internada na Universidade de Medicina Tradicional de Pequim em 1998. Havia locais de exercícios em grupo do Falun Gong em todos os campi universitários de Pequim e em todos os parques. Ela se juntou ao local de prática em seu campus. Embora os colegas praticantes não conhecessem todos no grupo, todos eles se comportavam de acordo com os mesmos princípios. Se alguém precisasse de ajuda ou tivesse alguma dificuldade, outros estavam ansiosos para ajudar. Gradualmente, a personalidade reservada e solitária da Sra. Zhao mudou. Ela se tornou extrovertida, calorosa, gentil e cheia de felicidade.

Um dia, ela foi com seus colegas de quarto para uma livraria distante e comprou vários livros. Depois da viagem de ônibus de duas horas de volta ao campus, ela percebeu que o balconista da livraria tinha dado a ela, por engano, dez dólares extras de troco. Ela voltou no ônibus de volta para devolver o dinheiro.

Outro dia, enquanto passeava de bicicleta, ao voltar ao campus, ela encontrou um estojo de celular pendurado no guidão com um belo telefone. Para a Sra. Zhao, que era pobre e nunca teve um celular, foi uma grande tentação. Mas ela lembrou que os praticantes devem ser atenciosos com os outros em tudo e perceber que a pessoa que perdeu o telefone deve ter ficado preocupada e ansiosa para recuperá-lo.

Ela encontrou um número de telefone residencial no telefone e ligou do telefone público em seu dormitório. A mãe do proprietário respondeu e disse à Sra. Zhao que seu filho havia perdido o telefone a caminho de casa. A Sra. Zhao andou de bicicleta até o lugar onde concordaram em se encontrar. A mãe lhe ofereceu 100 yuanes como recompensa, mas ela recusou. Ela disse à mãe que os praticantes do Falun Gong são atenciosos com os outros, então ela só fez o que deveria fazer. Tanto a mãe quanto o filho ficaram muito gratos.

O Falun Gong realmente mudou a Sra. Zhao, seu pai e sua família. Além de melhorar sua saúde, suas perspectivas de vida mudaram completamente. Uma família profundamente conflituosa e cheia de ressentimento foi transformada em uma onde a harmonia e a paz prevalecem. O Falun Gong verdadeiramente abençoou sua família.

* * *

O Falun Gong foi apresentado ao público pelo Sr. Li Hongzhi em 1992. Viver pelos princípios da Verdade-Compaixão-Tolerância e praticar os cinco exercícios fáceis de aprender melhoram a saúde física e os valores de uma pessoa. Cerca de 100 milhões de pessoas praticavam o Falun Gong antes que o Partido Comunista Chinês suprimisse essa prática de cultivo em 1999.

Mais de 19 anos depois da perseguição, em vez de sere eliminado pelo Partido, o Falun Gong floresce em mais de 100 países. Os ensinamentos do Falun Gong foram traduzidos para 39 idiomas. Grupos de pessoas fazendo os exercícios do Falun Gong podem ser vistos em quase todos os países do mundo.

(Continua)