(Minghui.org) Quase dez mil praticantes de 56 países participaram do Fahui do Falun Dafa em 2018, realizado na Capital One Arena, em Washington DC, na quinta-feira, 21 de junho de 2018.

Mestre Li Hongzhi cumprimenta os participantes.

O Mestre Li Hongzhi chegou à conferência às 14h e proferiu uma palestra durante uma hora e 45 minutos, incluindo uma sessão de perguntas e respostas. Os participantes aplaudiram calorosamente ao receberem o reverenciado Mestre.

O palco de conferências montado no ginásio estava decorado com belas flores. No interior do ginásio havia faixas eletrônicas que diziam“Falun Dafa é bom” e “Verdade-Compaixão-Tolerância.

Sala de conferência

Faixas que mostravam poemas do Mestre Li foram penduradas em cada lado do palco:

“Amplamente brilha a luz do Buda,
Perfeitamente ajustando todas as coisas corretamente.
Avancem juntos, sempre diligentes,
Para um futuro glorioso.” ("Um com o Fa" de Hong Yin)

e

“Descansem um momento para a autorreflexão,
adicionem pensamentos retos
Analisem as deficiências explicitamente,
avancem de novo diligentemente.
(“Sejam racionais, despertem”, de Hong Yin II)

Praticantes compartilham suas experiências.

Dezesseis praticantes chineses e ocidentais - dos EUA, Canadá, Argentina, Taiwan e Hong Kong - compartilharam suas experiências de cultivo. A conferência ofereceu tradução ao vivo em 12 idiomas.

Verdade-Compaixão-Tolerância é o que eu tenho procurado”

Paul Greaney, de 28 anos, obteve um panfleto do Falun Gong há quatro anos no bairro chinês de São Francisco. Quando ele viu as palavras douradas “Verdade-Compaixão-Tolerância” no panfleto, ele soube que era o que ele estava procurando.

Ele encontrou o vídeo de instruções de exercícios e livros online, e começou a prática sozinho.

“Não posso dizer que entendi cada palavra que o Mestre disse, mas acreditei em cada palavra. Eu sabia que o Mestre Li não tinha motivação egoísta. Tudo o que ele disse é a verdade e era realizável”, disse Paul aos participantes,“ fiquei muito animado”.

Paul largou todos os seus maus hábitos e o Mestre Li purificou o seu corpo.

"Eu era como uma nova pessoa", ele disse, "eu sou muito grato ao Mestre."

Paul vê a importância de esclarecer a verdade e salvar as pessoas, e ele se uniu ativamente aos colegas praticantes em uma ampla variedade de projetos.

"É um assunto sério dizer às pessoas a verdade e o que vai ocorrer", disse ele.

"O Dafa renovou minha vida"

Benjamin Maloney, de Nova York, costumava ser viciado em álcool e drogas. Em 2008, alguns meses depois de ser preso por DWI, um primo dele apresentou o Falun Dafa a ele, e ele começou a ler o Zhuan Falun (o livro principal do Falun Gong).

Ben disse que quando ele começou a seguir os princípios Verdade-Compaixão-Tolerância, sua vida mudou, e ele nunca mais consumiu drogas ou álcool. Suas notas escolares melhoraram drasticamente, e ele se formou como o melhor da classe de uma prestigiosa faculdade de artes liberais. Depois de se formar, ele recebeu uma oferta de uma empresa "Fortune Global 500".

Ben é grato ao Dafa e ao Mestre, que renovaram sua vida e o transformaram, de um jovem bêbado e perdido, em um adulto útil que deixa seus pais orgulhosos.

Em seu relato, Ben também falou sobre como ele eliminou o apego ao ego, ampliou seu coração e começou a ver as coisas de vários ângulos. Ele acredita que é uma manifestação de grande compaixão alguém poder ver as coisas com uma mente aberta e humilde e tentar entender as opiniões de outras pessoas.

Esclarecendo a verdade com uma sólida crença no Mestre e no Fa

Lu Di, de Boston, começou a praticar em 2005. Em 2015, ela percebeu que precisava levar a responsabilidade a sério e esclarecer a verdade ao público.

Ela iniciou vários projetos que a ajudam a informar funcionários do governo e líderes comunitários sobre o que realmente é o Falun Gong. Ela também iniciou um projeto de longo prazo, com a ajuda de colegas praticantes, para esclarecer a verdade aos alunos e professores da Universidade de Harvard.

Ela compartilhou sua experiência de organizar um comício no campus de Harvard, durante o qual inúmeros funcionários da mídia, acadêmicos, empresários e turistas aprenderam os fatos sobre o Falun Gong.

Ela também organizou uma exibição de filmes para expor a extração forçada de órgãos sancionada pelo Estado na China, que contou com a presença de acadêmicos, médicos, ativistas de direitos humanos e estudantes chineses.

“Uma crença sólida e reta no Mestre e no Fa é a chave para o sucesso”, disse ela em seu discurso. Ela disse que realmente sentiu o grande poder do Fa.

“Se você tem coragem suficiente para confiar no Fa e realizar o que aprende com o Fa, verá seu grande poder. É também um processo para um cultivador melhorar”, acrescentou ela.

Melhorando na entrega do jornal

Roman Balmakov começou a entregar jornais para o Epoch Times há seis anos.

Ele acorda às 3h30 da manhã todos os dias. Carregando quase 30 kg de jornais, ele anda 160 km em torno de Manhattan todos os dias, faça chuva ou faça sol. Cinco dias por semana, ele distribui 5.000 cópias de jornais.

“Em um dia chuvoso de inverno, meu dedo foi ferido em uma caixa de jornal”, lembrou ele, “mas não reclamei, porque sabia que essa era uma das melhores maneiras de as pessoas aprenderem a verdade sobre o Falun Gong”.

Ele compartilhou uma experiência milagrosa com o público.

Um dia em sua rota de entrega, Roman sentiu sua alma elevar-se no céu. Acima de 60 km, sua alma viu seu próprio corpo entregando os jornais. Isso durou 30 minutos.

“Eu vi toda a cidade lá de cima enquanto eu andava na rua”, ele disse, “Eu vi a relação entre o carma e a virtude, e vi que o bem é recompensado e o mal é punido. Também vi que nosso jornal era uma luz dourada brilhante”.

Cumprindo o voto

Katherine Combes, de Montana, compartilhou suas experiências de esclarecer a verdade do Falun Gong a senadores e representantes do Estado. Katherine entrega os materiais do Falun Gong aos escritórios dos legisladores e os convida para eventos locais do Falun Gong.

Ela também escreve para o jornal local e realiza oficinas gratuitas para ensinar os exercícios às pessoas interessadas.

Ela lembrou que as pessoas costumavam olhar para ela de um jeito estranho quando não entendiam o que era o Falun Gong e por que ela faz o que faz. Mas a situação mudou e as pessoas agora aprenderam que o Falun Gong é uma ótima prática. Muitas pessoas a apoiam.

"É a melhor recompensa para mim", disse ela.

Katherine disse que não teve nenhuma experiência milagrosa, mas em seu coração ela sabe que ela fez uma promessa ao Mestre Li: ser uma cultivadora diligente.

Por causa deste voto, ela tem sido capaz de cultivar diligentemente por muitos anos. Ela agradeceu ao Mestre por ajudá-la em sua jornada de cultivo.

"O Mestre e todos os tipos de deuses estão nos ajudando, desde que nos cultivemos solidamente"

Li Mengying, de Taiwan, tenta passar a mensagem de Verdade-Compaixão-Tolerância a crianças através de programas de TV de animação.

“Eu nunca fiz isso antes. Para aprender como fazer grandes shows, participei de muitos cursos de treinamento, seminários, workshops e conferências. Passei muito tempo assistindo a desenhos animados. Gravei o que os instrutores disseram na aula e passei horas assistindo a cada palestra”, disse ela. “Quando eu via que meu trabalho não era tão bom quanto os dos profissionais, muitas vezes chorava”.

“Foi muito frustrante. Eu tive que sofrer em todas as aulas. Foi o Fa que me deu coragem e poder para persistir”, ela disse: “O Fa me deu energia para que eu pudesse me levantar depois de cair o tempo todo”.

Suas produções desde então ganharam 56 prêmios internacionais em todos os tipos de festivais de cinema. Muitos críticos não veem o seu trabalho exatamente como um programa de TV para crianças, mas sim acreditam que seu trabalho influencia toda uma sociedade e até mesmo um país inteiro.

Uma cineasta americana convidou-a e à sua equipe para Hollywood, e lhes conferiu um prêmio de prestígio. A cineasta disse: "Este é um prêmio para quem pode mudar o mundo".

Li Mengying disse: “Talvez alguns praticantes não se atrevam a imaginarem-se atuando como protagonistas na sociedade. Eles não têm a confiança. Mas se temos fé no Fa, não estamos lutando sozinhos. Nós temos o mais forte apoio no universo, porque o Mestre e todos os tipos de deuses estão nos ajudando, desde que nos cultivemos solidamente. ”

Na conferência, Chen Huixia, do Canadá, compartilhou suas experiências de eliminar o carma de doença e superar um teste de vida ou morte, estudando o Fa, procurando internamente seus próprios apegos e esclarecendo diligentemente a verdade. Liang Yan, de Hong Kong, compartilhou suas experiências de esclarecer a verdade como repórter de mídia, incluindo como ela conquista a confiança do público. Liu Yuelong, de Atlanta, descreveu suas experiências de como memorizou o Zhuan Falun e como ele eliminou todos os tipos de apegos durante esse processo. Chen Yingting, de Taiwan, compartilhou sua compreensão de colaborar com outros praticantes e remover o apego a si mesmo. Yang Xiuya, de Taiwan, compartilhou suas histórias de esclarecer a verdade ao povo chinês em pontos turísticos.

A conferência terminou às 18h.