Propaganda

1.400 mortes alegadas

Contexto: as autoridades chinesas alegaram que “a prática de Falun Gong levou à mais de 1.400 mortes” (de seguidores). Embora Falun Gong tenha sido amplamente praticado na China ao longo dos anos noventa, essa alegação foi feita pela primeira vez somente em julho de 1999, depois que o regime começou a perseguição ao Falun Gong. Desde então, essa alegação foi repetida pelas publicações e porta-vozes do partido comunista. Isso destina-se a sabotar o apoio aos praticantes de Falun Gong, que são regularmente vítimas de graves violações de direitos na China, incluindo detenção ilegal, privação de direitos constitucionais, trabalho forçado e tortura, tendo esta última resultado em mais de 3.400 mortes documentadas.

O problema: enquanto o ônus da prova cai diretamente sobre as autoridades do Partido Comunista Chinês, que continuam a fazer essa alegação, a evidência nunca foi fornecida. Mais importante ainda, nenhuma investigação independente jamais foi permitida. Até onde alguns indivíduos conseguiram investigar, descobriu-se que os casos das alegadas “mortes” induzidas por Falun Gong foram fabricados, sendo que em algumas ocasiões a vítima nunca existiu. Além disso, tais “mortes” jamais ocorreram fora da China comunista, onde Falun Gong é praticado livremente. A alegação é também ancorada em uma distorção dos ensinamentos de Falun Gong sobre saúde e medicina, frequentemente retratando a prática de Falun Gong como perigosa ou insalubre. No entanto, mesmo em seus próprios termos, a alegação falha em se sustentar sobre uma análise.

Por que isso importa: aqueles que aderem ao Falun Gong na China continuam a serem submetidos a uma litania de documentados abusos dos direitos humanos. Várias distorções sobre Falun Gong e seus membros, geradas por publicações e autoridades comunistas chinesas, buscam desacreditar o grupo (retratando-o como perigoso, equivocado ou nefasto) e sabotar o apoio no mundo livre. Dentro da China, em particular, a propaganda em torno das “1.400 mortes” desempenhou um papel central na promoção da repulsa e animosidade contra Falun Gong entre um grande segmento da população. Paralelos históricos tão recentes quanto os da Alemanha nazista do século vinte sugerem que tais distorções, como aconteceu com os judeus, podem ter consequências devastadoras.

ANÁLISE CHAVE

1.400 mortes ou propaganda do Partido?

Quando submetida a uma dose saudável de minucioso exame, a alegação das “1.400 mortes” muitas vezes repetidas pelos oficiais do Partido não só falha em se sustentar, como até, surpreendentemente, argumenta o oposto da sua intenção.

CASOS ILUSTRATIVOS: fabricações e armações para acusar Falun Gong de mortes que não ocorreram

A vítima que positivamente nunca existiu

Zhang Zhiwen matou ela mesma seu filho, segundo alegou um jornal controlado pelo Partido. O único problema é: investigadores independentes descobriram que Zhang nunca existiu.

Uma filha da “vítima” fala claramente

Ma Jinxiu quase morreu por conta de recusar a intervenção médica quando doente, revela sua filha. Na verdade, ela morreu nas mãos dos médicos que a trataram.

Li Youlin: um “praticante” que nunca praticou

O suicídio de Li Youlin dificilmente poderia ser atribuído a Falun Gong, diz um vizinho próximo: em primeiro lugar, ele nunca praticou.

Subornada para culpar Falun Gong

Incapaz de pagar as contas do hospital de sua filha, a família de Li Shuxian concorda com uma barganha: culpe Falun Gong e nós cubriremos suas despesas.

Uma mãe corrige o falso relato

A mãe de uma vítima de suicídio fala a verdade sobre a morte de seu filho e da coerção enfrentada pela nora enviuvada.

Um caso de fatos distorcidos

Xiao Yufen ficou surpresa por ver a morte de seu marido no jornal atribuída ao Falun Gong, uma vez que ele nunca tinha praticado.

POR OUTRO LADO: há inúmeras reportagens sobre como Falun Gong é saudável e sobre seus benefícios ao bem-estar

Saúde em foco: relatos pessoais

Como Falun Gong beneficiou a saúde e a vida das pessoas? Uma série de relatos pessoais oferece um vislumbre fascinante.

Saúde e bem-estar elevados

Pesquisa realizada na Universidade do Sul da Austrália descobriu que os adeptos de Falun Gong têm “hábitos de vida muito saudáveis” e vivenciam uma “melhor saúde e bem-estar” do que outros.

Saúde abundante em Dalian, China

Um estudo de 1998 descobriu que moradores de Dalian, China, relataram uma melhora da saúde em grande escala depois que começaram a aprender Falun Gong.

Falun Gong no nível celular

Uma pesquisa publicada no Jornal de Medicina Alternativa Complementar descobre que a prática de Falun Gong pode regular positivamente a imunidade em nível genômico.

Promoção de estilo de vida saudável

Um relatório de pesquisa na principal universidade de Taiwan descobre que Falun Gong ajuda as pessoas a pararem de fumar e beber e a fazerem escolhas de vida saudáveis.

QUEM ESTÁ MATANDO QUEM?

3.400 mortes nas mãos do Partido

Mais de 3.400 adeptos de Falun Gong foram mortos pelas autoridades chinesas desde 1999. Estas são pessoas reais, conhecidas por nós a partir de relatos de testemunhas oculares e das famílias das vítimas. Ao contrário do PCCh, damos as boas-vindas à investigação em todos os casos.

Anistia Internacional sobre a Tortura na China

Uma organização líder de direitos humanos descobre alegações oficiais chinesas sobre delitos que não foram cometidos, pelo contrário, é o Partido por trás de tudo.

Tanto deputados como senadores concordam com a resolução 188

Com a aprovação da Resolução Simultânea da Câmara Legislativa No.188, o Congresso dos Estados Unidos concluiu que as autoridades chinesas eram culpadas de “lavagem cerebral, tortura e assassinato” em sua campanha contra Falun Gong.

Relato de um advogado chinês

Em profundos detalhes, um dos principais advogados de direitos da China, Gao Zhisheng, documenta as torturas que autoridades chinesas têm praticado contra os praticantes de Falun Gong.

Mais artigos discutindo vários aspectos das 1.400 mortes alegadas

Ver história completa »

Autoimolação encenada

Video

Vídeo: Entre a vida e a morte

Video

© Copyright Minghui.org 1999-2017