(Minghui.org) Desde a publicação dos Nove Comentários sobre o Partido Comunista em 2004, mais e mais pessoas perderam qualquer confiança que ainda tinham no Partido Comunista Chinês e renunciaram a ele.

Em abril de 2014, mais de 160 milhões de chineses declararam a sua intenção de sair do próprio Partido ou de suas organizações afiliadas, da Liga da Juventude e/ou dos Jovens Pioneiros. Eles realizam isso online aqui.

Protesto para incentivar as pessoas a renunciarem ao Partido

Ajudando as pessoas a renunciarem ao Partido

Para facilitar as renúncias ao Partido Comunista, linhas diretas foram criadas para as pessoas interessadas em telefonar. Além disso, praticantes do Falun Gong voluntários visitam regularmente comunidades locais onde os chineses se reúnem para divulgar a questão da importância da renúncia. Segundo a experiência dos voluntários, muitas pessoas estão ansiosas para se libertar do Partido Comunista e de suas organizações afiliadas.

Abaixo estão algumas histórias de pessoas que renunciaram ao Partido Comunista, coletadas pela linha direta em Toronto, Canadá.

O ex-guarda-costas do ex-número 2 do Líder do Partido Comunista renuncia ao Partido

Na ocupada estação de metrô Finch em Toronto, voluntários ajudam os chineses a renunciarem ao Partido Comunista.

Uma tarde, a voluntária Heyue avistou um senhor idoso que ela achava ser da China, então lhe perguntou: "O senhor é da China?"

"Sim! Eu me mudei para cá há pouco tempo", disse ele.

Heyue comentou: "Você já ouviu falar que todo mundo está renunciando ao Partido para sua própria segurança? Você já fez isso?"

O homem disse: "Ainda não."

Ele continuou: "Você sabe o que eu costumava fazer? Eu era um guarda-costas na segurança de Lin Biao [o ex-número 2 do líder chinês, logo abaixo de Mao Zedong]. Depois que o avião de Lin foi derrubado a caminho de aterrissar na antiga União Soviética, todas as nossas armas foram confiscadas e fomos forçados a nos retirar do exército. Alguns dos meus amigos cometeram suicídio, incluindo o meu supervisor. Ele não pode encarar o fato de que Lin, uma vez rotulado amigo mais próximo de Mao, iria querer trair Mao. Trabalhar para o Partido é como andar na corda bamba. Sorte a minha! Eu me saí muito bem, mas alguns dos meus amigos militares não tiveram a mesma sorte."

Heyue sugeriu: "Se você ler os Nove Comentários sobre o Partido Comunista, você terá uma compreensão mais clara do quão mau o Partido realmente é. Quando o Partido entrar em colapso, todos aqueles que se afiliaram e prometeram permanecer fiéis a ele, irão com ele. Muitas pessoas estão renunciando ao Partido para estar do lado seguro."

O homem deu Heyue seu verdadeiro sobrenome e pediu-lhe para escolher um primeiro nome falso para ele. Ele a agradeceu sinceramente por sua ajuda. [As pessoas costumam renunciar ao Partido usando pseudônimos para evitar qualquer tipo de assédio a si mesmas ou às suas famílias por agentes do regime comunista. Independentemente do nome que usam, a renúncia mostra a convicção da pessoa]

Um funcionário do escritório ferroviário vê uma renuncia após a outra

Um funcionário de uma agência de transporte ferroviário, sob a jurisdição do Ministério das Ferrovias telefonou à linha direta em meados de maio, a partir do número de telefone do diretor de seu departamento.

Ele havia renunciado há um tempo atrás, quando respondeu a uma chamada telefônica de uma voluntária. Eles conversaram por meia hora e ele percebeu que deveria renunciar ao Partido. Ele também deu ao voluntário os telefones de dois supervisores veteranos que trabalhavam com ele.

A voluntária, mais tarde, telefonou aos supervisores e foi capaz de ajudá-los a renunciar ao Partido também. Ambos lhe deram seus verdadeiros nomes e expressaram o desejo de manter contato com ela. Um deles admitiu que era um secretário do Partido.

Outro voluntário entrou em contato com o diretor do escritório. Após mais de dez minutos de conversa, ele concordou em renunciar. Além disso, ele ofereceu o número de telefone de um outro diretor.

O segundo diretor foi inicialmente muito rude, perguntando: "Por que eu deveria renunciar, uma vez que tenho tanta confiança no Partido?" Mas eventualmente ele compreendeu o quanto o Partido era mau e usou seu verdadeiro nome para renunciar. Ele admitiu que a longa conversa o tinha deixado muito emocional.

Todas essas pessoas que renunciaram ao Partido ajudaram a divulgar o assunto em todos os lugares que vão. De acordo com uma delas, entre os mais de 100 membros do Partido do escritório ferroviário, mais da metade já renunciou ao Partido.

4.000 pessoas ansiosas para deixar o Partido Comunista

Em meados de junho de 2013, um senhor da província de Guangdong telefonou à linha direta de renúncias de Toronto solicitando ajudar 4.000 pessoas a renunciarem ao Partido. Ele tinha renunciado sozinho anteriormente e naquele dia estava ajudando seus colegas de trabalho numa fábrica.

Ele disse à voluntária que respondeu ao seu telefonema, "Hoje em dia todo mundo está com raiva e triste. É tão difícil viver uma vida decente. Todo mundo quer renunciar."

Quando perguntado sobre sua relação com as 4.000 renúncias propostas, ele respondeu: "Nós somos todos bons amigos que se ajudam mutuamente e compartilham a mesma ideologia. Aqui no sul nos deparamos com tantos conflitos com a polícia. Sempre que há um protesto, é comum aparecerem 10.000 pessoas. Todas essas pessoas que eu mencionei desejam renunciar ao Partido, mas é quase impossível para mim reunir todos os nomes delas."

Ele pediu para a voluntária usar nomes populares como Yu, Wu, Wei e processar as renúncias de seus colegas de trabalho com pseudônimos.

A voluntária nunca tinha tido tal pedido em grande escala e informou-lhe que precisava consultar alguém. O homem deixou o seu verdadeiro nome e número de telefone para a voluntária ligar de volta.

Dez dias depois, ele ligou novamente, verificando o progresso e ficou muito feliz quando disseram que tudo estava pronto e que ele poderia dar a seus amigos uma resposta satisfatória.

Contador aposentado e acamado na província de Henan ficou completamente curado após a renúncia

O que aconteceu com um homem paralítico que estava acamado há oito anos na província de Henan causou uma grande agitação entre os habitantes locais.

Um contador da vila, o sr. Sun, tinha um parente no Canadá. Este lhe contou os fatos sobre Falun Gong e a perseguição injusta. O parente o aconselhou a repetir, "Verdade-Compaixão-Tolerância é bom e Falun Dafa é bom" e para renunciar à Liga da Juventude e aos Jovens Pioneiros ao qual ele era afiliado. O sr. Sun agradeceu seu parente e, em apenas duas semanas, não só foi capaz de sair da cama, como também era capaz de fazer as tarefas domésticas e trabalhar no campo.

Toda a sua família estava surpresa e imensamente grata. Eles começaram a repetir as mesmas frases e logo se beneficiaram também. Em particular, doenças do fígado de seu neto estavam curadas e ele encontrou um emprego digno com um salário bom em Pequim.

Um gerente de banco em Pequim relata sua experiência

Em março deste ano, um gerente da filial de um grande banco de Pequim telefonou à linha direta solicitando ajuda para fazer 12 renúncias, incluindo a dele e de vários outros gestores.

Ele também contou sobre um encontro significativo que teve com uma praticante de Falun Gong em uma loja de departamento.

"No ano passado eu conheci uma praticante em Bailong numa loja de departamento e nos demos bem imediatamente. Nós conversamos por mais de três horas e ela me fez entender o que Falun Gong realmente é. Ela me aconselhou a dizer: "Verdade-Compaixão-Tolerância é bom, Falun Dafa é bom" todos os dias.

"Eu fui repetindo e escrevendo essas frases já faz um ano agora. Toda vez que eu digo ou escrevo isso, sinto-me cheio de energia. Eu costumava tomar pílulas para dormir à noite, mas agora eu não preciso de qualquer ajuda. Além disso, todos os meus problemas desapareceram e minha vida agora é como velejar. É realmente maravilhoso.

"Agora meus pais, parentes e amigos também dizem as frases que a praticante me ensinou. Quando eu visito meus clientes, eu compartilho as frases com eles também. Muitas pessoas no meu círculo bancário queriam saber o segredo da minha boa sorte, então, eu disse a eles também. Eles estavam todos ansiosos para renunciar ao Partido e me pediram para ajudar, mas eu não conseguia encontrar a mulher na loja de departamento. Eu não tinha ideia de como renunciar até que um dia eu encontrei o número da linha direta em um panfleto. Então eu liguei

"Sei que o dinheiro e o poder são apenas coisas passageiras e que o retorno à sua verdadeira casa é o verdadeiro significado da vida. Agora eu posso entrar em um estado tranquilo de meditação. É um sentimento tão incrivelmente maravilhoso."

Membros da Associação Canadense de Amizade Fujianês renunciam ao Partido

Quando vários voluntários foram a um grande supermercado chinês em Toronto, viram cerca de 30 pessoas da Associação Canadense de Amizade Fujianês à espera do início de uma reunião.

Os voluntários foram até eles e iniciaram uma conversa.

Um voluntário disse: "Você tem muita sorte de ter vindo aqui, já que há tantos desastres na China."

Um homem mais velho perguntou imediatamente: "Você pratica Falun Gong?"

O voluntário respondeu: "Sim, eu pratico! Milhões de pessoas de todas as classes sociais em todo o mundo estão praticando Falun Gong. O mundo precisa de Verdade-Compaixão-Tolerância. Falun Gong se espalhou para mais de 100 países. Só Jiang Zemin, na China, teme essa prática maravilhosa."

Outra pessoa interveio: "Você ainda quer voltar para a China?"

Este voluntário respondeu: "É claro que vou voltar. A China tem 5.000 anos de história. Quando o PCC desmoronar, eu tenho certeza que todo mundo vai correr para visitar a China."

Uma terceira pessoa perguntou: "Vocês nos pedem para renunciar ao Partido Comunista. A que Partido devemos nos afiliar, então?"

Um segundo voluntário, explicou: "Nós não nos envolvemos em política. Nós não participamos de quaisquer partidos políticos. O regime está em seu último suspiro – não queremos que pessoas boas se afundem com ele. É por isso que pedimos às pessoas para renunciarem."

Todo mundo sorriu e os voluntários os ajudaram aquelas pessoas a renunciar ao Partido.