(Minghui.org) (Continuação da Parte 4)

O lago Sol Lua em Taiwan é um destino obrigatório para os turistas da China continental. O lago é cercado pelos famosos templos Syuanguang e Wenhu e pelo famoso cais Yidashao. Em 2002 um novo recurso foi adicionado onde os chineses podem obter informações, sem censura, sobre o Falun Gong e sobre a perseguição. Foram colocados pelos praticantes do Falun Gong locais de informações em vários pontos onde eles demonstram os exercícios e oferecem ajuda às pessoas para renunciarem ao Partido Comunista Chinês (PCC).

Trilha Qinglong para o Templo de Syuanguang.

Os turistas chineses param ao longo da Trilha Qinglong para ler as informações sobre o Falun Gong.

Sr. Lin (à esquerda) aprende os exercícios do Falun Gong.

A Sra. Yuwei começou a frequentar o lago Sol Lua em 2002 e disse que no começo haviam poucos turistas chineses: “alguns dias nem mesmo um grupo”, mas ela não queria perder a oportunidade de esclarecer os fatos pessoalmente aos turistas chineses então ela começou a produzir materiais sobre o esclarecimento da verdade.

A Sra. Yuwei e outros praticantes criaram o primeiro local para esclarecimento da verdade no Templo Wenhu, em 2006 criaram no Templo de Syuanguang. Em 2008, os chineses puderam viajar para Taiwan e o turismo teve um aumento significativo. Com o objetivo de esclarecer a verdade para os turistas todos os dias, os praticantes do centro de Taiwan fizeram um esforço para se revezarem nos locais.

Mudança de disposição

A Sra. Yuechun começou a ajudar em 2003. Ela ficou animada quando num dia um grupo de turistas chineses a cercou e pediu DVDs sobre o esclarecimento da verdade. Eles disseram a ela: “Viemos para isso”. Quando ela perguntou: “Vocês não têm medo?” Um homem respondeu: “O que há para temer? Eu até pedi ao guia para reproduzir o DVD para nós”.

Estação móvel de esclarecimento da verdade dos praticantes.

A Sra. Yuechun disse: “Assim que as pessoas aprendem os fatos sobre o Falun Gong, suas disposições mudam. Ela compartilhou um recente encontro com uma família da província de Fujian. Um idoso em uma cadeira de rodas estava descansando perto do local de informações dos praticantes no estacionamento. Depois de conversar com Yuechun, o homem pediu ajuda para se levantar. Ele andou devagar pelos expositores e tirou várias fotos. Antes de partir, ele renunciou às organizações do PCC as quais ele havia se afiliado.

O Falun Dafa é ótimo!”, gritou um turista chinês perto do local de esclarecimento da verdade. Ele disse ao praticantes que assinou a petição para acabar com a perseguição durante uma viagem ao Japão. “Continuem com o bom trabalho”, disse ele aos praticantes antes de partir.

Yisheng, teve experiências semelhantes quando estava conversando com as pessoas no Templo de Syuanguang. Vários turistas chineses lhe disseram: “O PCC só durará mais um ou dois anos”. Muitos disseram que já conversaram com praticantes e puderam renunciar ao partido durante viagens ao exterior.

Yuwei distribui panfletos sobre o Falun Gong para turistas chineses.

Perguntei a Yuwei se por acaso ela planeja encerrar seus esforços de esclarecimento da verdade no lago Sol Lua. Ela respondeu: "Não até o dia em que a perseguição ao Falun Gong terminar na China".