(Minghui.org) Comecei a praticar o Falun Dafa em 2011 e me beneficiei muito com a prática. Meu problema anterior na garganta, dor no pescoço, capsulite adesiva (ombros congelados) e muitas outras doenças físicas, cerca de 20 no total, desapareceram. Sou profundamente grata ao Dafa por me trazer esses milagres.

Aqui, eu gostaria de compartilhar como eu apliquei os princípios Verdade-Compaixão-Tolerância do Falun Dafa em minha creche familiar e as mudanças comoventes que observei nas crianças.

Melhorando valores morais

Na minha creche, tenho muitas oportunidades de ensinar às crianças os princípios do Falun Dafa, começando com a importância dos valores tradicionais. Por exemplo, sobre o tema dos valores tradicionais, conto-lhes sobre a história do antigo sábio Shun e envio links de vídeo para os pais, pedindo-lhes para assistirem juntos com seus filhos. Então pedimos às crianças para parafrasear as histórias. Os pais ficam muito comovidos pelas mensagens positivas nas histórias.

Sobre a questão da gratidão, discuto os sacrifícios que os pais, professores, parentes e amigos fazem pelas crianças. Desta forma, as crianças aprendem a apreciar o que os outros fazem por elas. Eu também as ensino sobre lealdade através da história do antigo herói militar chinês, Yue Fei, e sobre a fraternidade através das histórias do Romance dos Três Reinos. Eu digo às crianças que se deve prestar atenção a esses valores tradicionais.

Com esse fundamento, começo então a compartilhar com as crianças minha compreensão dos princípios Verdade-Compaixão-Tolerância. Verdade significa ser honesto e não mentir; Compaixão significa sempre ajudar os outros e fazer boas ações; Tolerância significa ter a mente aberta e ser capaz de tolerar. Eu também enfatizo a importância da virtude. Por exemplo, não devemos intimidar os outros nem roubar coisas dos outros; caso contrário, perderemos a virtude e acumularemos a substância negra, carma.

Como resultado, as crianças da creche pararam de falar palavrões e de mentir. Elas respeitam os outros, tanto na creche como em casa. Durante o horário das refeições, digo a elas que devemos cultivar os grãos e as verduras e nunca desperdiçar comida. As crianças entendem e não desperdiçam mais comida.

Dentro da sala de aula, eu ensino às crianças a recitarem os poemas do Mestre de Hong Yin [Mestre Li Hongzhi, o fundador do Falun Dafa]. Eu também lhes digo que recitem as frases “Falun Dafa hao” e “Zhen-Shan-Ren hao”, para que lhes traga bênçãos. As crianças repetem essas frases muitas vezes e até pediram aos seus pais que se lembrassem delas também.

Entre as aulas, eu toco a música do Falun Dafa, Pudu e Jishi, para as crianças. Eu também oriento que elas não assistam televisão ou joguem videogames. Os pais também recebem uma notificação para ajudar seus filhos nesse sentido. Eventualmente, as crianças não assistem mais à televisão nem jogam videogames e eu lhes dou jogos de quebra-cabeça como recompensa. Além disso, a cada semana mostro a elas vídeos educativos sobre a cultura tradicional chinesa.

Quando conversamos com os pais sobre a nossa abordagem para educar as crianças, também pergunto sobre o comportamento das crianças em casa. Os pais apreciam o que estamos fazendo e são muito cooperativos. Vendo o progresso comovente em seus filhos, alguns pais me oferecem presentes ou dinheiro, que eu sempre educadamente recuso.

Dia 1º de junho é o Dia das Crianças na China. Além de cuidar das crianças durante o dia, convido os pais para um jantar em minha casa à noite. Eu preparo mais de 30 pratos populares para eles desfrutarem. Eu falo com eles sobre minha crença no Falun Dafa e como isso ensina as pessoas a se tornarem melhores. Os pais compreendem, e depois de ouvir como o Partido Comunista Chinês (PCC) persegue praticantes inocentes do Falun Dafa, eles decidem renunciar ao partido e às suas organizações juvenis afiliadas.

Eu sei que a oportunidade de praticar o cultivo no Falun Dafa é preciosa e o Mestre tem sacrificado muito por nós. Então eu pretendo me esforçar como praticante e não perder tempo. Nos últimos anos, oito crianças se tornaram jovens praticantes do Dafa. Eu gostaria de compartilhar algumas de suas histórias.

O Mestre ajudou uma criança a ganhar sabedoria

Tong Tong veio aqui há três anos quando tinha três anos. Como era um menino tímido, ele não falava muito e tinha dificuldade em lembrar das coisas. Ele não conseguia memorizar poemas e não sabia ler pinyin, mesmo depois de eu ter ensinado muitas vezes. Sua mãe não tinha muitas esperanças em relação à sua melhora e também não esperava muito dele.

Como praticante do Falun Dafa, sei que deveria me esforçar. Olhando dentro de mim, percebi que tinha uma tendência a ser acelerada e essa era uma oportunidade para eu deixar isso de lado. Eu escrevi a versão em pinyin de Hong Yin em um caderno e ensinei Tong Tong a ler sempre que tivesse tempo. Depois de ler essa versão cinco vezes, de repente, ele foi capaz de ler e escrever em pinyin e escreveu vários poemas em pinyin. Não só isso, suas habilidades em matemática também melhoraram e ele começou a se comportar como uma criança normal.

Certa vez, quando as crianças praticavam alguns problemas infantis olímpicos de matemática, Tong Tong se saiu excepcionalmente bem. Na verdade, ele resolveu todos os problemas corretamente. Ficamos todos muito felizes por ele e eu sabia que foi nosso Mestre compassivo que ajudou Tong Tong a obter sabedoria.

Uma criança "sem esperança"

Entre todas as crianças com quem trabalhei, Peng Peng foi provavelmente meu maior desafio. Seus pais se divorciaram quando ele tinha quatro anos e, desde então, ele morava com a mãe. Um ano depois, percebendo que seu filho havia adquirido muitos maus hábitos, seu pai ficou com ele.

Peng veio para minha creche em agosto passado. Ao saber que seu pai havia praticado o Falun Dafa por um tempo e Peng também escutava as palestras do Mestre quando ele era muito novo, eu sabia que ele era um jovem praticante e que eu precisava fazer o meu melhor. Como Peng só precisava de cuidados antes e depois da escola, eu mal conseguia cuidar dele enquanto cuidava de todas as outras crianças. Então pedi ao meu pai de 78 anos que ajudasse Peng a ir à escola e que o buscasse na escola todos os dias.

Para minha surpresa, a chegada de Peng Peng causou uma grande perturbação na minha vida. Ele era instável e teimoso, com muitos maus hábitos. Além disso, ele era exigente com a comida, mentia para as pessoas e roubava coisas. Ele não gostava de estudar e muitas vezes brigava com as outras crianças, além de ter maus modos.

Logo depois, no entanto, descobri que o maior problema com Peng Peng era a depressão. Um dia, ele chorou e disse para mim: “Outras crianças têm seus pais para cuidar delas, mas ninguém se importa comigo. Qual é o propósito da vida? Eu penso em me matar todos os dias... pular de um prédio alto...”

Assustada com suas palavras, eu o abracei e disse: “Peng, embora seus pais não tenham sido capazes de cuidar muito bem de você, o Mestre não o abandonou e é por isso que ele lhe enviou aqui. Nós descemos do céu para este mundo humano e, através da prática do Falun Dafa, você será capaz de voltar para lá, o lugar mais bonito, sem preocupação ou sofrimento”. Ouvindo minhas palavras, Peng parou de chorar e enxugou as lágrimas.

Naquele momento, decidi cuidar melhor de Peng Peng – de sua dieta, hábitos de vida e até mesmo de sua rotina diária. Mas foi muito difícil. Eu o tratei muito bem, mas ele não era receptivo e até mesmo não gostava de mim. Eu cozinhava boa comida para ele e ele não gostava. Fazer lição de casa à noite todos os dias era ainda mais difícil. Eu tive que ficar com ele o tempo todo; caso contrário, ele não faria nada. Para evitar fazer lição de casa, ele deixava seus livros na escola de propósito. Não só isso, ele não estudava nem fazia as tarefas na sala de aula também. Depois de trocar de mesa algumas vezes e ainda vê-lo sempre brigando com os outros, seus professores desistiram e deixaram Peng bem atrás da sala de aula, sozinho.

Liguei para o professor da sala, esperando que ele pudesse ajudar Peng. Meu pai, que não conseguia acompanhar Peng a caminho da escola, não queria que eu ficasse com ele. Outros praticantes também perderam a esperança por ele. Pedi a Peng para memorizar e recitar Hong Yin comigo e ele se recusou a fazê-lo.

Apesar de todos esses problemas, pensei nas palavras do Mestre em Hong Yin II:

“A misericórdia pode fundir Céu e Terra à primavera
Pensamentos retos podem salvar as pessoas no mundo”

Eu sei que o Falun Dafa abrange tudo e foi minha falta de compaixão que levou a essa situação. Além disso, se o Falun Dafa não pudesse mudá-lo, não haveria esperança para Peng Peng.

Então eu comprei muitos brinquedos e lanches, e recompensei Peng sempre que ele estudava o Fa. Depois do café da manhã, passei meia hora recitando Hong Yin com ele até a hora da escola. No começo, ele não queria fazer isso. Então eu colocava o brinquedo em sua mão e o deixava brincar ou dava seu lanche favorito sempre que ele terminava de decorar um poema. Uma semana depois, ele conseguiu memorizar dois poemas em meia hora. Ele também se juntou a nós no estudo do Fa à noite. Embora ele ainda estivesse inquieto, se mexesse, se levantasse e andasse por aí, ele já podia terminar de ler uma palestra do Zhuan Falun todos os dias.

Duas semanas depois, Peng repetia as frases “Falun Dafa hao” e “Zhen-Shan-Ren hao” muitas vezes, sozinho. Ele também recitava Hong Yin sem ser pedido. Depois de estudar o Fa à noite, desafiamos uns aos outros para ver quem poderia fazer a meditação sentada por mais tempo. Ele foi capaz de meditar por 10, 20, 30 minutos, até uma hora. Seu rosto ficou rosado e a expressão de ódio em sua face foi substituída por um sorriso. Nós dois ganhamos confiança e aumentamos o tempo de estudo do Fa.

Apesar dessas melhoras, Peng ainda era irritante. Eu segui as palavras do Mestre e o tratei com nada além de compaixão. Dois meses se passaram e ele finalmente se abriu para mim e conversou comigo sobre tudo. Ele também começou a gostar de estudar na escola. Um dia, ele disse que eu era a pessoa que mais se importava com ele neste mundo. Meus olhos se encheram de lágrimas e depois de um tempo, eu disse a ele: “Por favor, lembre-se que a pessoa que cuida de você e se preocupa com você é o Mestre. Ele te salvou e me pediu para cuidar de você. Se você quiser agradecer a alguém, por favor, agradeça ao Mestre”.

O pai de Peng Peng também ficou feliz com o progresso do filho. Seis meses depois, as notas escolares de Peng melhoraram drasticamente e ele até participou de competições de matemática. Ele também recebeu altas notas em mandarim, matemática e ciências no exame final, no fim do semestre. Tanto os professores quanto o pai de Peng ficaram muito animados com isso. Eu sei que é o Mestre que salvou uma criança tão especial e eu sou muito grata.

Salvando os pais

Lang Lang, uma menina da terceira série, é filha do meu primo. Como Peng, ela também tinha muitos problemas: não estava disposta a estudar, estava sempre se movimentando e muitas vezes brigava com os outros. Ela também ficava acordada até tarde, às vezes até à 1 da manhã. Tanto meu primo quanto sua esposa têm pós-graduação, mas não havia nada que pudessem fazer com a rebelião de Lang.

Ouvi falar da situação deles e pedi que trouxessem Lang para minha creche para ver o que podíamos fazer durante as férias de verão. Eu a vi e fiquei surpresa – apesar de sua pouca idade, ela era cínica e mal-humorada. Seu rosto estava azulado de raiva. Sua mãe também estava preocupada com ela, dizendo que haviam tentado lugares diferentes para ajudá-la e que Lang não podia ficar muito tempo em nenhum deles.

Os pais de Lang não praticavam o Falun Dafa. Um praticante no local de trabalho de sua mãe havia sido perseguido, fazendo com que eles não quisessem ouvir ou falar sobre o Falun Dafa. Então eu simplesmente disse a eles: "Eu tentarei o meu melhor para ajudá-la a se tornar uma boa criança".

Depois que seus pais saíram, conversei com Lang Lang e descobri que ela estava cheia de reclamações e ressentimentos. Ela sempre queria brigar com as pessoas e mentia. Eu escutei atenta e pacientemente. Depois que ela terminou, eu disse a ela francamente: “Parece que seus professores e colegas não gostam de você. Seus pais também te repreenderam ou bateram em você. Que tal trabalharmos nisso para que as pessoas gostem de nós?” Ela assentiu.

Naquele dia, conversei com ela sobre valores tradicionais e ela realmente gostou de ouvir sobre eles. "Eu não odeio mais meu pai, embora ele ainda seja um pouco chato", ela admitiu. Contei então sobre alguns princípios do Zhuan Falun, como Verdade-Compaixão-Tolerância, e o princípio de “perda e ganho”, juntamente com muitos exemplos da vida real. Ela ouviu por um tempo e perguntou: “Tia, como você sabe tanto? Nem meus professores nem meus pais me contaram sobre isso antes”. Eu disse que tudo isso era do livro Zhuan Falun e que havia muitos outros princípios profundos nele. “Você quer ler?”, perguntei a ela.

Ela parecia nervosa e disse que sua mãe não permitia, e que sua mãe lhe dissera que o livro não era bom. Eu expliquei a ela o que é o Falun Dafa e como o Partido Comunista Chinês inventou mentiras para difamar a prática. Ao ouvir que o Falun Dafa é praticado em muitos países ao redor do mundo, e que os ensinamentos foram traduzidos para muitas línguas, ela ficou surpresa. “Tudo isso é realmente verdade?”, perguntou Lang Lang. Eu disse que sim e contei mais a ela. Depois de responder a mais de suas perguntas, eu disse: "Você pode encontrar respostas para todas as suas perguntas no Zhuan Falun".

Desta forma, Lang começou a estudar o Fa comigo naquela noite. Ela sempre tinha muitas perguntas. Eu assegurei a ela que lendo mais livros do Falun Dafa, suas perguntas seriam resolvidas. Então, à noite, lemos o Zhuan Falun, enquanto durante o dia lemos outras palestras do Mestre. Ela gostou muito e fez os exercícios comigo ao meio-dia. A essa altura, seu Olho Celestial se abriu e ela pôde ver o Falun em mim, o que lhe deu mais confiança.

Duas semanas depois, Lang aprendeu a olhar para dentro. Olhando para dentro, ela encontrou seus apegos à inveja, sua tendência a brigar com os outros, apegos ao fanatismo, exibicionismo e outros. Desde essa descoberta, ela se disciplinou com os princípios do Dafa e tornou-se atenciosa com os outros.

Um pouco mais de duas semanas depois que ela veio à minha casa, seus pais vieram visitá-la. Quando eles a viram, Lang Lang cumprimentou-os e pediu desculpas por seu comportamento anterior. Não só isso, ela se tornou mais saudável e foi capaz de ajudar em casa. Além disso, ela tinha terminado todos os trabalhos de casa em cerca de 10 dias e ela memorizou cerca de 900 palavras em inglês. Seus pais ficaram surpresos. “No passado, Lang sempre completou as tarefas de última hora. Ela tinha que ficar acordada até tarde e mal podia terminar a tempo”, disse a mãe. Eles me perguntaram qual era o meu segredo para trazer essas mudanças em tão pouco tempo. Eu lhes disse que todos esses milagres eram graças ao livro Zhuan Falun.

Vendo que sua mãe ainda não estava lúcida sobre o Falun Dafa, sugeri que Lang Lang passeasse com seus pais. Depois que eles retornaram, e seus pais voltaram para casa, Lang disse que sua mãe não queria que ela continuasse praticando o Falun Dafa, pensando que isso poderia afetar seus deveres escolares. De fato, Lang explicou à sua mãe que o Zhuan Falun ensina alguém a ser uma pessoa melhor e pediu à sua mãe para reconsiderar a decisão. Sua mãe disse que pensaria sobre isso. “Se a mamãe me disser para parar e eu não praticar mais, seria ruim para ela. Certo?” perguntou Lang para mim. Antes de responder, ela disse: "Vou me esforçar para validar o Fa, para que eu possa salvar meus pais". Fiquei comovida com as palavras dela e a incentivei.

Três semanas depois de ter estado comigo, Lang disse que precisava voltar para casa e perguntou se poderia levar uma cópia do Zhuan Falun com ela. Eu disse que sim, claro. Mais tarde, seus pais me disseram que Lang Lang havia mudado muito. Ela não se sujava no parque, não brigava com outras crianças e era atenciosa em sua vida diária. Além disso, ela se ofereceu para ajudar nas tarefas domésticas.

Essas observações mudaram completamente a atitude de seus pais em relação ao Falun Dafa. “Lang, vamos ler o Zhuan Falun juntos. Vamos?”, perguntou a mãe um dia. Mais tarde, a mãe começou a fazer os exercícios também. Ambos os pais concordaram em renunciar às organizações do partido por causa da política de perseguição do partido contra o Falun Dafa.

Enquanto escrevo, meus olhos estão úmidos, pois percebo o quanto o Mestre fez por essas crianças, suas famílias e esse mundo.

Também espero que os colegas praticantes possam cuidar bem dos jovens praticantes que nos rodeiam. Eles são discípulos do Mestre. É nossa responsabilidade ajudá-los a seguir bem o seu caminho.

Obrigada novamente, Mestre. Heshi