(Minghui.org) 

Discípulo: Somos discípulos de Taiwan e obtivemos o Fa há muitos anos. Cultivando junto com meu marido, sempre confiando no Mestre e no Fa e fazendo as três coisas. Sei que o Dafa não é para eliminar doenças, e sei que as células de um cultivador são transformadas em matéria de alta energia, mas a gota que eu já tinha antes de obter o Fa não sarou, ultimamente as articulações continuam doendo muito (todos riem).

Mestre: (ri) Todos os cultivadores sabem que, desde que você seja diligente, o seu corpo estará se transformando, o Mestre também o reparará para você. Não é o corpo material do Mestre que faz isso e sim seus fashen. Se não melhorou depois de tanto tempo, então você realmente deve procurar por problemas de xinxing, ver onde há um apego, onde deve cultivar melhor; é realmente um problema pessoal de cultivo (aplausos). (Ensinando o Fa na Conferência da Região da Grande Nova York 2013) 

Lendo esta pergunta e resposta na Conferência da Região da Grande Nova York de 2013, eu sorri. Eu compreendo perfeitamente os sentimentos da praticante ao levantar a questão, porque é algo que há muito tempo vem me confundindo. Deixe-me compartilhar meus pensamentos na esperança de que beneficiem praticantes que têm perguntas semelhantes.

Na verdade, o nosso estado pessoal é uma verdadeira reflexão sobre nosso cultivo, embora muitas vezes não percebamos isso. A causa disso é porque cultivamos superficialmente, e o nosso entendimento ser bastante superficial. Dizemos que sabemos que o Dafa não é para ficarmos livres da doença, mas será que realmente sabemos? Na verdade, não. Porque o Mestre disse tão claramente e também está escrito no Zhuan Falun, que os nossos lados humanos não iluminam a isso. É como um praticante disse: “O Mestre nos ensinou claramente sobre esta questão. Não precisamos nos iluminar quanto a isso, apenas agir em conformidade”. Mas se realmente não acreditarmos, esse problema não será resolvido com pensamentos retos.

Certa vez, em um fahui, um praticante declarou que participou de uma pesquisa de saúde de 10 mil praticantes do Falun Gong. Naquela época, ele ainda tinha alguns sintomas da doença, embora a maioria de suas doenças tivesse sido curada. Sem nenhuma hesitação ele respondeu no formulário de pesquisa que ele havia se recuperado completamente de todas as doenças. Logo depois, todos os seus sintomas desapareceram. Por quê? Penso que é porque a diferença está no saber pelo lado humano e acreditar no Dafa do fundo do coração.

O Mestre disse que os cultivadores não têm doenças. Sabemos disso superficialmente, mas será que realmente acreditamos nisso? Se realmente acreditamos, por que ainda temos sintomas da doença? Esses sintomas são reais ou acreditamos verdadeiramente nos ensinamentos do Mestre? Se nós acreditamos no Mestre verdadeiramente, os sintomas são uma ilusão. Por que então nós ainda as sentimos?

Às vezes, acho que, se eu tivesse participado nessa pesquisa, eu não teria escrito que eu estava totalmente recuperada. Eu não deveria mentir se nós cultivamos de verdade. Agora eu entendo que esse pensamento veio do meu lado humano e das minhas noções humanas. O Mestre nos disse para mudarmos completamente as nossas noções de pessoas comuns. Mas ainda não conseguimos fazer isso, mesmo que os ensinamentos sejam tão claros.

O pensamento de “não mentir” mencionado acima não é um pensamento humano? Isto é aceitar a ilusão de doença como verdade. Algumas vezes a ilusão de sintomas graves apareceria. Eu acho que isso pode ser a interferência demoníaca ou um teste que o Mestre arranjou para ver a nossa firmeza no cultivo.

Na verdade, esta é uma questão de acreditar de verdade no Mestre e no Fa. Mas alguns de nós diríamos: “Nós realmente acreditamos no Mestre e no Fa. Caso contrário, não estaríamos aprendendo o Dafa”. Vamos examinar isso melhor. A crença de que professamos pode ser somente o nosso lado humano que admira os princípios do Dafa, mas isso está muito longe de se acreditar de coração no Dafa. Se alguém entende verdadeiramente os princípios, o seu coração não vai ser movido por nenhuma dor ou sintomas.

A praticante disse: "Cultivando junto com meu marido, sempre confiando no Mestre e no Fa e fazendo as três coisas". Significa que eles cumpriram as exigências dos praticantes do Dafa durante a retificação do Fa. Então como explicamos os sintomas da doença que ocorrem no nosso cultivo? Sabemos que o Mestre arranjou o melhor para nós. Os sintomas são apenas um teste. Claro que, se os sintomas são tão graves que interferem com nosso fazer as três coisas, precisamos eliminá-lo com pensamentos retos.

O Mestre disse: 

Dissemos que um bem ou um mal vem de um único pensamento. (Zhuan Falun). 

Eu acho que o princípio se aplica a todas as questões e uma necessidade para ver se os pensamentos são retos ou se vêm das noções humanas, que às vezes mudam. Por exemplo, a praticante disse que sua gota não tinha se curado. Qual foi o seu primeiro pensamento? Foi pensando na recorrência de uma doença antiga, ou pensando que era uma coisa boa do Fa? É uma boa oportunidade para melhorar, se for tribulação ou interferência. Se ela pudesse pensar a partir do Fa, a dor poderia deixar de existir. Ela não teria necessidade de fazer a pergunta. Portanto, a chave é a forma como olhamos para o problema, se usando os pensamentos retos de um cultivador ou as noções de pessoas comuns.

Vamos imaginar um cenário: no início da apresentação pública do Fa pelo Mestre, isto é, se não houvesse efeitos milagrosos de ficarmos livres das doenças, se inicialmente o Mestre não tivesse tratado pacientes, mas só tivesse dado palestras, aqueles primeiros praticantes estariam acreditando firmemente no Mestre e no Dafa como estão? Se não estão, significa que a noção de “ver para crer” ainda não mudou. Então, o praticante não mudou completamente suas noções humanas, mas acreditou apenas superficialmente.

Há outra situação: se um praticante fez alguma errada no cultivo, ele pode pensar que o Mestre não cuidaria dele. Na verdade, não é questão do Mestre cuidar ou não, é questão de saber se a pessoa pode ser um verdadeiro cultivador. Se a pessoa seguir o Fa em todas as questões e se comportar como um praticante genuíno, ele não tem necessidade de pensar se o Mestre cuidaria dele ou não. Em outras palavras, a mesma oportunidade de seguir os princípios existe para todos.

O que eu compartilhei acima é apenas para sua reflexão. Espero que os praticantes possam se aprofundar mais e possa ajudar aqueles que estão intrigados com essas questões.