(Minghui.org) Saudações respeitado Mestre! Saudações companheiros praticantes!

Esta é a sexta vez que eu participo no Fahui da China do Minghui, desde que começou em 2008. Toda vez que eu escrevo um artigo para o Fahui, eu mal posso conter as lágrimas. Não há palavras que possam expressar a minha gratidão pela misericórdia do Mestre!

1. As minhas mudanças depois de 11 anos no cultivo

Comecei a praticar o Falun Dafa em março de 1999 e, na maior parte do tempo tive de cultivar sozinha. De vez em quando eu me reunia com os colegas praticantes, mas como o meu ambiente mudava, era difícil formar um grupo. O que me manteve cultivando foi estudar e decorar diligentemente o Fa. Assim, somente agradecendo ao Mestre e ao Fa, cheguei até onde estou hoje.

Desde abril de 2005, pela memorização do Zhuan Falun e de outros livros do Fa, o Mestre me fortaleceu. Nos últimos 11 anos, o meu estado de cultivo, assim como o meu ambiente de trabalho e de vida, mudaram drasticamente.

Foi um período muito difícil para mim quando comecei a memorizar o Fa pela primeira vez, Eu estava sob "vigilância residencial" na minha casa na zona rural. Antes disso, eu tinha sido detida ilegalmente por seis meses, e durante a detenção sofri ambas torturas, física e mental, o que resultou em terríveis problemas de saúde. Na ocasião eu tinha apenas 30 anos, mas, mesmo assim, sentia tanta dor no meu peito e estômago que não era capaz de ficar sentada por mais de duas horas. Eu também tive períodos de tosse e dor intensa na perna.

Por me recusar a renunciar à minha crença no Falun Gong, eu fui demitida do meu trabalho e não possuía outras fontes de renda. Eu vivia do pequeno salário do meu pai e de uma pequena poupança minha. Durante um ano inteiro, eu vivi com menos de 50 yuanes.

A perseguição que sofri e as mentiras do Partido Comunista Chinês (PCC) criaram mal-entendidos na minha família sobre o Dafa, por isso eles não concordaram com minha prática. Eu não estava me cultivando bem e me sentia envergonhada por isso. Eu tinha medo e isso tornou-se tão intenso que até o mínimo barulho fora de casa me fazia tremer.

Agora, 11 anos depois, estou com o espírito elevado e a minha saúde foi recuperada. Embora eu esteja com mais de 40 anos de idade, parece que tenho 20. Minha situação financeira também melhorou e agora trabalho como gerente em uma famosa empresa multinacional. Meu chefe me considera muito e os meus colegas me respeitam. Meu salário é bom e eu pude comprar uma casa no centro do distrito da cidade. Eu também comprei uma bela casa para os meus pais já idosos.

Grande parte da minha família mudou sua opinião em relação ao Dafa e, o invés de sentirem ódio, passaram a ser gratos. Todos eles renunciaram ao PCC às suas organizações afiliadas, e meu pai e minha irmã mais nova leram o Zhuan Falune vários outros livros do Dafa. Minha mãe começou a cultivar no início do ano. Nos últimos anos, ela vem trabalhando duro ajudando a informar as pessoas sobre a grandiosidade do Falun Dafa.

Quanto ao meu próprio cultivo, além de meu trabalho, eu passo de 7 a 8 horas por dia fazendo as três coisas que o Mestre nos pediu para fazer.

Em 2015, quando os praticantes começaram a processar Jiang Zemin, eu fiz o mesmo e em junho enviei meus documentos legais à Suprema Procuradoria e ao SupremoTribunal. Dois dias depois, chegaram os recibos confirmando que eles foram recebidos.

2. Memoriza o Fa elimina carma e fortalece pensamentos retos

Todos esses resultados positivos vieram da minha memorização diária do Fa, o que permitiu que o meu caminho fosse percorrido em linha reta e estável.

Logo depois que comecei a memorizar o Fa, as tribulações desapareceram, tais como aqueles ruídos vindos de fora. Enquanto eu memorizava o Fa, tudo ao meu redor tornava-se claro e brilhante. Muitas vezes eu vi coisas lindas, incluindo cenas onde todo o espaço ao meu redor ficava cheio de belas flores de lótus. Mais importante ainda, o processo de memorização do Fa também foi um processo de eliminação de carma e aumento dos pensamentos retos.

Foi difícil no início, quando comecei a memorizar o Fa. Eu apresentava muitos sintomas desconfortáveis na minha cabeça, bem como todo tipo de maus pensamentos.

Então, ao completar o primeiro ano de memorização do Fa, eu fiquei muito concentrada. Os significados do Fa foram sendo mostrados, camada por camada. Depois de um ano eu já tinha memorizado as palavras do livro. No entanto, depois disso, eu tive muitas dificuldades para manter as palavras memorizadas. Geralmente, quando estava recitando o Fa, eu nem sequer sabia se estava dizendo as palavras corretas, mas não havia ninguém a quem pedir para que ouvisse e me corrigisse. Esta situação durou quase um ano, eu fiquei cheia de problemas e não sabia como sair disso.

No final de 2006, comprei um computador com todo o dinheiro que eu havia economizado. Decidi digitar de memória no computador as palavras do Zhuan Falun; e depois de cada parágrafo eu comparava com o livro. Corrigia meus eventuais erros. Foi melhor do que antes, mas eu ainda não conseguia me concentrar totalmente. Eu sentia que havia um bloqueio no meu cérebro tão duro como o aço, que impedia o Fa de entrar profundamente na minha mente. Essa situação durou cerca de dois anos.

Depois eu achei que esse método era muito lento. Uma vez, levei cerca de três meses para acabar de digitar o livro. Geralmente eu esquecia os erros corrigidos há mais de três meses. Então eu mudei e voltei novamente a recitar o Fa de memória. O efeito foi bom por muitos meses, mas o bloqueio na minha mente era como um tumor crescendo atrás do meu nariz. Eu me sentia extremamente desconfortável quando estava memorizando o Fa. Eu não conseguia me concentrar, mas eu sabia que precisava elevar o meu xinxing. Durante os conflitos na vida diária, eu conseguia me considerar como uma cultivadora e podia sentir meus apegos se reduzindo. Mas o bloqueio forte como aço ainda permanecia lá.

Então, eu passei pela maior tribulação do meu cultivo, que durou desde o segundo semestre de 2011 até o primeiro semestre de 2013. Essa tribulação despertou todas as minhas noções e pensamentos maus. Eu não conseguia recitar o Fa e o meu tempo de estudo do Fa tornou-se mais limitado. Eu senti ódio e tive pensamentos de vingança, sentimentalismo e, até mesmo, desejo por fama e ganância.

Durante esse período eu costumava passar duas a três horas estudando o Fa, e ainda batalhava para terminar duas páginas do livro. Senti que estava na iminência de ser destruída. Diversas vezes eu me ajoelhei na frente do retrato de Mestre, suplicando por ajuda. Muitas vezes o Mestre aparecia nos meus sonhos, me dando dicas, me incentivando e me confortando. Eu vi que o Mestre limpava as substâncias ruins no meu cérebro – coágulos de sangue vermelhos e pretos, carne putrefata, matéria preta de formato estranho, vermes brancos finos, casulos de larva, etc.

Quando acordava, eu podia identificar que maus pensamentos não eram eu mesma, os quais deveriam ser eliminados.

Durante esse tempo, apesar de ter sido doloroso e as coisas correrem deficientemente, eu não me descuidei da memorização do Fa. Eu sabia que a única forma que me permitiria transpor essa tribulação era o estudo diário do Fa. Por um certo tempo, quando o meu cultivo estava realmente ruim, eu parei de sair para distribuir materiais de esclarecimento da verdade e, em vez disso, participava de alguns projetos online e na redação de artigos. O Mestre viu meu coração e providenciou projetos mais adequados para mim.

Agora, eu atravessei a tribulação. O Mestre fez com que eu encontrasse um caminho adequado para estudar o Fa. Eu leio ou recito o Fa de memória durante duas ou três horas por dia. Minha concentração durante o estudo do Fa melhorou muito.

3. Encontrando o meu eu verdadeiro por meio do estudo do Fa

Embora a minha situação econômica estivesse extremamente má no início e não houvessem outros praticantes na área, a coisa mais difícil para mim foram os muitos pensamentos retorcidos que as velhas forças colocaram no meu cérebro. Isso me causou grande dor e sofrimento. Não foi apenas a inveja, ódio, e mentalidade de exibição; havia muitos outros tipos de matéria suja.

Se eu baixasse a guarda, mesmo por um momento, eles me perturbavam e me controlavam. Eles dificultavam para mim especialmente quando eu estava memorizando o Fa.

Então, a essa altura, mesmo que passasse horas memorizando o Fa, eu não estava recordando nada. Eu me sentia como uma pessoa comum. Muitas vezes, ao me deparar com conflitos, eu não me lembrava de que eu era uma cultivadora. Eu não era capaz de dizer o que estava certo e o que estava errado. Eu não podia dizer qual era o meu verdadeiro eu e o que tinha sido arranjado pelas velhas forças. Finalmente porém, eu aprendi a distinguir o que era o meu verdadeiro eu.

Eu me lembrei de olhar para dentro, e pouco a pouco, um por um meus apegos foram sendo eliminados. Gradualmente, eu pude ver o meu verdadeiro eu. Senti que minha consciência principal era minúscula como uma semente de gergelim profundamente enterrada no meu palácio Niwan. Meu cérebro estava cheio de apegos humanos como enormes montanhas pressionando por baixo a minha consciência principal. Por um período de tempo, quando eu estava memorizando o Fa ou olhando para dentro, muitas vezes eu podia ver a situação com a minha consciência principal. Durante o estudo do Fa, minha consciência principal foi crescendo como se aquela pequena semente de gergelim estivesse tentando germinar.

Depois de incontáveis batalhas e sofrimento, um dia durante o meu estudo do Fa, vi a minha consciência principal quebrando as montanhas que estavam agora cheia de rachaduras. Quando eu memorizava o Fa, as montanhas estavam sendo destruídas por uma vigorosa força. Camadas e camadas de matérias ruins foram destruídas. Senti que elas estavam perto de serem completamente eliminadas e, no início, elas eram grandes montanhas, enquanto eu era tão pequena como uma semente de gergelim.

Agora a situação era oposta, eu sou enorme, enquanto as montanhas estão se desmoronando. Eu sei, de coração que, enquanto eu continuar me esforçando bem para memorizar o Fa e cumprir com as três coisas, um dia as montanhas desaparecerão.

4. Dividindo o tempo para as três coisas

Para os praticantes que trabalham em tempo integral, é um desafio adequar suas agendas ao tempo suficiente para a validação do Fa. Eu não sou uma exceção. Além do meu trabalho, eu passo de seis a oito horas estudando o Fa, fazendo os exercícios, enviando pensamentos retos e realizando projetos para salvar pessoas. Nos finais de semana eu ponho o meu coração e minha alma para fazer as três coisas. Por mais de uma década, eu dispensei o café da manhã. No começo foi para enconomizar dinheiro, mas depois se tornou um hábito.Depois eu continuei a dispensar o café da manhã, economizando tempo e dinheiro. Geralmente eu almoço no trabalho. À noite eu não gasto tempo cozinhando. Em vez disso, eu como um bolo insosso, ou uma tigela de macarrão instantâneo. Nos finais de semana, eu cozinho um pouco de mingau ou macarrão. Para poder usar todo o meu tempo para fazer as três coisas, eu nunca cozinho mais do que uma vez por dia.

Desde o dia em que conheci o Dafa, eu fiquei sabendo do verdadeiro significado da minha vida.

Agora tenho o meu objetivo. Desde a juventude até a meia-idade, eu venho cultivando e não participei em atividades das pessoas comuns, como assistir a filmes, a me vestir elegantemente, me maquiar, namorar ou viajar. Não tenho nenhum interesse em nada disso. Tenho mantido um espírito reto. Nada pode se comparar com o que obtive com o cultivo e a felicidade que o Dafa me deu!

Obrigado misericordioso Mestre! Obrigado companheiros praticantes!

(12º Fahui da China no Minghui.org)