(Minghui.org) Saudações Mestre! Saudações colegas praticantes!

Comecei a praticar o Falun Dafa em 2010. Eu tive muitas experiências de cultivo ao longo dos últimos cinco anos, algumas felizes e outras tristes. Eu gostaria de compartilhar algumas delas com vocês.

Encontrando Falun Dafa

Desde criança eu sempre tive uma forte sensação de que eu estava esperando por algo importante. Em 2008, eu fui enviada para um centro de detenção por algo que eu não tinha feito. Lá eu conheci uma praticante do Falun Dafa. Fiquei profundamente comovida quando ela me apresentou à prática. Percebi que o Dafa era o que eu estava esperando e o Mestre Li era o professor que eu estava procurando!

Antes de ser detida eu nunca havia ouvido nada negativo sobre o Falun Dafa apesar da campanha de propaganda do Partido Comunista Chinês (PCC) em todo o país. Acreditei em tudo o que a praticante me disse. Eu repeti muitas vezes: “Falun Dafa é bom! Verdade-Compaixão-Tolerância é bom!” Eu estava determinada a praticar o Falun Dafa.

De repente, as pessoas ao meu redor começaram a falar negativamente sobre o Dafa. Segundo eles, o Dafa era a causa da prisão de praticantes. Apesar de tudo o que disseram, eu nunca vacilei. Eu pensei que, seu eu fosse pressa alguma vez por praticar, eu defenderia o Dafa.

Após ser liberada, eu não sabia onde encontrar o livro Zhuan Falun, ou onde eu poderia encontrar outros praticantes de Falun Dafa.

Um dia, eu conheci uma artista em uma exposição de arte. A praticante que conheci no centro de detenção tinha mencionado esta artista e elogiado o seu caráter nobre e sua personalidade agradável. Fiquei feliz que a minha relação predestinada com Dafa fosse através dela!

A artista me deu um DVD de Gala do Ano Novo de 2008. Eu tive um sonho lindo na noite que eu assisti ao DVD. Eu sonhei que voava no céu e vi um palácio de ouro magnífico, fadas celestiais e enormes flores udumbara douradas! O sonho foi tão real que eu ainda me lembro claramente dele.

Eu implorei à artista uma cópia do Zhuan Falun. Ela concordou. Eu animadamente levei o livro para casa. Era a noite do dia 31 de dezembro de 2009. No momento em que abri o livro, ouvi o sino tocar e os aplausos pela chegada do Ano Novo. Senti que os aplausos eram para celebrar um novo capítulo na minha vida.

Eu estava tão fascinada pelo livro que eu continuei o lendo até o dia seguinte. Adormeci quando eu estava prestes a terminar de ler o livro inteiro. Minha mente estava acordada mesmo que o meu corpo estivesse adormecido. Vi três rodas girando acima do meu abdômen. Seu fundo era branco. Elas rodavam tão rápido quanto um ventilador.

Nenhuma palavra poderia descrever a minha emoção. Eu sabia da importância do livro. Foi a razão pela qual eu vim a este mundo. Eu tinha procurado por ele vida após vida, e finalmente o encontrei! No meu sonho eu vi milhares e milhares de Budas solenemente descendo a esse mundo, com uma forte determinação. Nenhuma linguagem humana pode descrever esta cena magnífica!

Meu pai bate em meu rosto

Alguns meses depois de começar a cultivar, minha família tentou me forçar a parar. Foi um grande teste para mim!

Meu pai sempre foi o pilar da minha família. Por causa da frágil saúde da minha mãe, meus irmãos e eu crescemos sob os cuidados de nosso pai. Eu era muito próxima a ele, e nós sempre conversávamos. Eu era também sua filha favorita e ele sempre me dava o que eu queria e nunca me repreendia.

Por eu praticar o Falun Dafa, pela primeira vez em minha vida fui repreendida por meu pai e ele até mesmo bateu em meu rosto. Minha mãe também ficou do lado dele! Ninguém em minha família conseguia entender por que eu escolhi esta prática que estava sendo perseguida pelo PCC.

Eu fiquei profundamente triste e irritada com a maneira como eles me trataram. Eu me lembrei das palavras do Mestre:

...disse que só se mantendo imóveis vocês poderiam lidar com todas as situações. ( “Ensinando o Fa no Fahui do Canadá”)

Fiz o meu melhor para eliminar o meu ressentimento e todos os pensamentos negativos da minha mente. Um lado meu sabia claramente que, se eu desistisse, a minha família perderia a sua chance de salvação. A única maneira de eu salvar todos eles era prosseguir corajosamente no meu caminho de cultivo.

Durante a fase familiar mais difícil, a minha família quase me enviou para uma sessão de lavagem cerebral. Eles também restringiram a minha liberdade, pensando que eu deveria estar iludida, já que eu era tão firme em meu cultivo. A forma como eles agiram me fez lembrar da Grande Revolução Cultural, quando marido e mulher, mãe e filha, e membros da família lutavam uns contra os outros e denunciavam um ao outro. Eu, pessoalmente, testemunhei como as pessoas que tinham sido vítimas da lavagem cerebral pela cultura do Partido Comunista haviam se recusado a ver a verdade e não conseguiam distinguir o certo do errado. Eu me sentia muito ferida. Depois de tantos anos de amor e sacrifício pela minha família, eu nem mesmo podia ter a minha liberdade de crença!

Eu pensei profundamente sobre isso e decidiu nunca desistir do cultivo em Dafa. Eu planejava sair de casa, não importavam quais as dificuldades tivesse de enfrentar.

Assumindo minha responsabilidade

Poucos dias após eu sair casa, ouvi dizer que minha mãe teve um derrame. Uma das mentiras do PCC sobre o Falun Gong era que os praticantes ignoravam as suas famílias. De fato, o Mestre nos ensinou,

Se sob todas as circunstâncias você deve ser bom e gentil para com os outros, o que dizer então com relação aos nossos familiares? (Zhuan Falun)

Eu voltei para casa para cuidar de minha mãe. Decidi contar aos meus pais que ao fazê-lo, eu estava seguindo os ensinamentos do Mestre. Depois que eu comecei a praticar, eu me tornei uma pessoa melhor. As famílias dos praticantes deveriam sentir orgulho deles.

Eu costumava discutir muito. Agora eu deixo o meu comportamento reto falar por mim, e coloco as necessidades dos outros antes das minhas. Conforme o tempo passava, o meu relacionamento familiar melhorava. Eu também fiz o meu melhor para ajudar nossos vizinhos. Eu cumprimentava e conversava com os idosos e encorajava os jovens a serem respeitosos com seus pais. Eu tinha uma grande reputação em nossa comunidade. As pessoas admiravam meus pais por terem criado sua filha tão bem. O meu pai ficou contente, mas ele ainda era contra eu praticar o Falun Dafa.

Um ano se passou e a saúde da minha mãe melhorou muito. O meu pai testemunhou como eu me tornei menos argumentativa, mas, cada vez mais firme em meu cultivo.

Um dia, meu pai veio falar comigo. Tinha se passado um longo tempo desde que nós dois havíamos conversado. Quando ele trouxe à tona o tema do meu cultivo, eu não respondi de imediato. Eu pensei: “Você descobrirá como o cultivo tem me tornado uma pessoa melhor.” Depois de ponderar por um tempo, ele me disse: “Você sabe que todos os dias pensamos em como agir com você? Eu desisti. Você pode sair de casa, mas tem que prometer que terá cuidado ...” Eu concordei com a cabeça alegremente.

Meu irmão começa a praticar

Depois que comecei a cultivar abertamente, o meu irmão mais novo e sua família começaram a compartilhar da minha vida. A beleza do Falun Dafa os abençoou e aqueceu os seus corações que haviam sido envenenados pela cultura do Partido Comunista.

Ele se beneficiou muito com o Dafa. Ele se reunia com os praticantes e ouvia as suas experiências de cultivo. Depois de obter uma compreensão mais profunda do Dafa, ele decidiu começar a praticar.

Por causa de sua grande qualidade inata, ele progrediu mais rapidamente do que muitos novos praticantes. Ele costumava ser teimoso e mal-humorado e também era viciado em álcool. Ele se tornou um bom filho e cuidou muito bem de sua família. Os meus pais ficaram muito felizes em ver suas mudanças positivas. Eles até disseram a seus amigos como seus filhos eram bons e como eles eram felizes. Logo que nos via, minha mãe sorria do fundo do seu coração. Mesmo não sendo ricos, nós desfrutávamos de uma vida familiar muito feliz. Os chineses dizem que, uma vida familiar harmoniosa é a base da prosperidade.

As mudanças do meu irmão mais velho e de sua família

O meu irmão mais velho tinha sido a preocupação da família. Quando ele era jovem, ele não teve tanto cuidado familiar quanto o meu irmão mais novo e eu. No momento em que ele cresceu, ele se tornou viciado em jogos de azar e muitas vezes brigava com o nosso pai e se sentia menosprezado. Ele tinha uma relação ruim com nosso pai, bem como com a sua esposa. Seu filho e sua filha vivam deprimidos dentro da desarmonia familiar. Sua filha desenvolveu problemas psicológicos e se recusava a se comunicar com as pessoas. Mesmo aos 16 anos, nós ainda ficávamos preocupados que ela se perdesse quando pegava o ônibus sozinha.

Eu convidei minha sobrinha para ficar comigo. O meu irmão mais novo e eu lhe incentivamos muito e tentamos desbloquear o seu coração com os princípios do Falun Dafa. Seis meses depois, ela finalmente ficou livre de seus problemas psicológicos e se tornou uma adolescente feliz e decidida. Uma vez, ela me abraçou com força e disse: “Tia, as outras pessoas pensam que eu não tenho uma vida feliz, mas eles simplesmente não sabem como eu sou feliz!”

Agora, a minha sobrinha é muito independente. Ela até consegue pagar por sua educação universitária. Nós já não temos que nos preocupar com ela.

O meu sobrinho veio para ficar conosco durante as férias de verão. Influenciado pela sociedade e pelos pobres valores familiares, ele pensava que o dinheiro era a única maneira de resolver todos os problemas. Ele estava fortemente apegado a videogames. Mesmo que ele fosse um garoto esperto, ele era muito egoísta e hostil.

O meu irmão mais novo e eu usamos exemplos para falar com ele e lhe ensinamos que o caminho certo para viver entre as pessoas era ser sincero, bondoso e tolerante. Muitas vezes falei a ele sobre os benefícios do Falun Dafa, utilizando-nos como exemplos. Nós cuidamos dele e ele gradualmente mudou de atitude. Ele estava muito relutante em ir embora quando o verão acabou. Ele disse: “Eu sei o que estou fazendo quando estou aqui.” Ele estava tão ocupado aprendendo sobre a prática durante todo o verão que ele não jogou todos os jogos de vídeo. Às vezes, meu irmão e eu estávamos ocupados e o meu sobrinho esperava pacientemente porque ele realmente se sentia à vontade com a gente. Fez-me lembrar o que o Mestre disse:

Eu não disse que quando uma pessoa pratica toda a sua família se beneficia? No mínimo, o campo de energia que carrega beneficiará todos os membros de sua família, pois você cultiva o  Fa virtuoso e o poder benevolente e tranquilo que carrega pode retificar todos os estados anormais. (“Ensinando o Fa no Fahui da Austrália”).

O meu irmão mais velho testemunhou as mudanças positivas em seu filho quando ele voltou para casa. Ele teve uma conversa longa e agradável com meu irmão mais novo por telefone. Ele admitiu que estava errado e expressou um forte desejo de mudar no futuro. Ele queria ser um bom filho, um bom marido e pai. Meu irmão mais novo concordou: “Sim, agradeça ao maravilhoso trabalho do Mestre!”

O Mestre protege toda a minha família

Muitos incidentes mostraram como toda a minha família foi beneficiada pelo Dafa. O Mestre não só tem cuidado de mim como também tem protegido os meus familiares em caso de catástrofes.

Um grande furacão no ano passado destruiu quase todos os edifícios inacabados em Hainan. A casa do meu irmão mais velho estava no caminho da tempestade, mas uma carreta de cinco eixos carregada totalmente estava estacionada em frente a sua casa e bloqueou o vento. Sua casa foi a única que sobreviveu ao furacão naquele lugar.

O meu pai quando foi queimar a grama, acidentalmente iniciou um incêndio no bosque. Ao tentar apagar o fogo, ele inalou fumaça e teve uma infecção pulmonar. O proprietário do bosque ao ver como meu pai trabalhou duramente para minimizar sua perda, solicitou apenas mil e quinhentos yuanes pelo dano. Todos sabiam que o resultado poderia ter sido muito pior, dada a situação do perigoso incêndio. Nós ficamos gratos que a infecção pulmonar não era grave. Eu estava grata pela proteção do Mestre!

A minha mãe acreditou na proteção do Dafa e do Mestre após o acidente do meu pai. Ela começou a repetir em seu coração todos os dias: “Falun Dafa é bom! Verdade-Compaixão-Tolerância é bom!”

Quando o meu irmão mais novo disse aos meus pais que ele tinha começado a praticar o Falun Dafa, o meu pai não conseguiu aceitar inicialmente. O meu irmão perguntou: “O que você prefere, o meu velho eu ou o jeito como eu sou agora? Se você gosta do meu velho eu, eu recomeço agora.” O pai ficou sem palavras. A minha mãe disse sem hesitar: “Eu quero o meu filho como ele é agora!” Eu, minha mãe e meu irmão começamos a rir. O meu pai concordou silenciosamente.

Há tanta coisa para compartilhar com os praticantes e muito para falar da compaixão do nosso Mestre. Agradeço ao Mestre por seu cuidado! Agradeço aos colegas praticantes, por sua ajuda! Eu não teria sido capaz de alcançar o processo da retificação do Fa sem vocês! É uma grande honra ser uma praticante do Falun Dafa!