(Clearwisdom.net)

Comentário do Mestre:

Eu sugiro que todos os discípulos do Dafa leiam este artigo.

Li Hongzhi

1o de novembro de 2003 


Há alguns dias, eu li um artigo de um companheiro praticante "Tratar o cultivo do período de retificação do Fa com uma mente mais clara e mais pura" que continha uma história discutindo a questão da pureza do nossa mente no nosso desejo de cultivar. A história é a seguinte. Um açougueiro encontrou duas pessoas que cultivavam o estado Buda e estas tentaram convencê-lo a acompanhá-las. O açougueiro respondeu: "Na realidade eu sou muito sujo e não sou digno. Mas levem meu coração sincero com vocês" (o que mostrava que, mesmo que sua profissão não fosse boa, ele possuía um coração sincero e de respeito, aspirando o Buda). Então o açougueiro tirou seu próprio coração e deu a essas duas pessoas (o que mostrava que o açougueiro não possuía nem reserva nem dúvidas sobre seu respeito e sua aspiração pelo Buda) as duas pessoas que cultivavam o estado de Buda aceitaram e levaram seu coração ao oeste junto com elas. Depois de chegar à presença do Buda, o Buda apontou para um caldeirão gigante cheio de água fervente e pediu a elas se ousavam saltar. As duas pessoas sentiram uma grande exaltação, também pensaram que era melhor jogar o coração no caldeirão e ver o que ocorreria (o que mostrava que esses dois praticantes não possuíam uma fé total nas palavras do Buda e as avaliavam ainda com um coração humano). Tão logo jogaram o coração no caldeirão, ele se transformou num Buda dourado (reflexo do reino interior dessa pessoa). Vendo aquilo, as duas pessoas saltaram imediatamente dentro (o que mostra que as duas pessoas tinham uma qualidade de iluminação muito medíocre estagnada sempre na mentalidade de "ver para crer". Eles só fizeram o que o Buda pediu assim que viram o que poderiam ganhar). Eles se tornaram dois pedaços de massa frita, reflexo do estado de seu reino interior.

Em outro artigo "Finalmente não possuir mais nenhuma noção humana", um amigo praticante também contou uma história sobre duas pessoas. Uma era aparentemente formidável (fazia tudo bem e de maneira apropriada e era elogiada por todos). Depois de sua morte, assim que as pessoas a abriram, viram que seu interior estava sujo e delapidado e todos se referiam a ela como "brilhante e grandiosa por fora, mas completamente podre por dentro" (as coisas más nela estavam cobertas e não tinham sido limpas a um nível fundamental). Uma outra pessoa era aparentemente comum e não era superior em nenhum domínio particular. Suicidou-se depois de ser incapaz de resolver um assunto trivial. Depois da sua morte, depois que as pessoas o abriram, viram que essa pessoa brilhava e cintilava interiormente, de uma luminosidade dourada. As pessoas balançaram a cabeça cheias de lamento por essa pessoa, dizendo que era "simples e insignificante exteriormente, mas gloriosa interiormente". Todos acharam que foi uma pena que tal pessoa tenha renunciado tudo o que ela realizou. Na realidade essa pessoa tinha se cultivado muito bem, mas ela não podia simplesmente ver. Por ter cometido suicídio por um assunto trivial que não foi capaz de suportar, todas as suas realizações anteriores foram completamente em vão.

Depois de ter lido as duas histórias, eu achei que elas eram lembretes importantes para mim e para os outros cultivarem melhor seu xinxing e compreenderem melhor o Fa. A primeira história me fez perceber que fazer um trabalho durante longos períodos de tempo sem pensar em mais nada não significa necessariamente que estamos sempre num estado de espírito que deveria ser aquele de um discípulo do Dafa. Quanto a avançar verdadeiramente por seu próprio caminho e de maneira reta, isso não é uma coisa que possa ser clara e solidamente entendida imediatamente.

No passado, durante o tempo do meu cultivo pessoal, havia inúmeros coordenadores assistentes de local de prática, assistentes e praticantes veteranos famosos e também praticantes que estavam frequentemente na comitiva do Mestre – tanto na China como no exterior – que faziam um grande número de coisas para o Dafa e eram muito capazes mas certamente tinham problemas de xinxing evidentes. Por exemplo, frequentemente eles não estudavam o Fa ou não estudavam o Fa com um estado de espírito de alguém que se cultiva (considerando o Fa somente como uma fonte de informação ou estudando o Fa com curiosidade ou como fonte de pesquisa etc), no qual eles não tinham um coração de compaixão, tinham uma atitude burocrática ou um forte senso de hierarquia, eram imbuídos de si mesmos, invejosos, tinham a mentalidade de competição, eram excessivamente preocupados com perdas e ganhos, etc. Claro, eles cultivavam apesar de tudo, tampouco corriam atrás das coisas das pessoas comuns. Mas entre os praticantes e nos círculos de cultivo, em relação ao que eles percebiam como "ganhos", buscavam de maneira tão grosseira sem, no entanto, pensar em nada. Esses tipos de problemas existiam também nos praticantes que não estavam em posição de responsabilidade, por exemplo invejar ou admirar cegamente essas "pessoas famosas". Isso, por sua vez, alimentava suas mentalidades impuras, porém como eles não estavam em posição de responsabilidade, pensavam que aquilo não tinha tanta importância. Na realidade isso é um reflexo da sua própria mentalidade de hierarquia de pessoa comum, porque o cultivo no Dafa só considera o coração de uma pessoa e não a superfície, pouco importa que você seja alguém famoso ou não.

Depois que a perseguição começou em 20 de julho de 1999, todos os coordenadores dos Centros de Assistências e as "pessoas famosas" encararam imediatamente uma imensa pressão. Uma parte delas caiu muito rapidamente, algumas foram completamente ao lado oposto e outras se atolaram em tribulações demoníacas durante longos períodos de tempo. Naquele momento isso trouxe bastante confusão e interferências a alguns praticantes e me incomodou bastante. Eu pensei: "Muito provavelmente devido a eles terem muito trabalho para fazer todos os dias e porque não tiveram tempo para estudar bem o Fa, a fundação do xinxing deles e dos seus cultivos não estava bem consistente. Todos nós deveríamos tirar uma lição disso e estudar mais o Fa."

Naquele ponto, o foco do estudo do Fa era principalmente o de manter a quantidade, mais do que se aplicar conscientemente a unir o estudo do Fa e o cultivo do xinxing. Tantos problemas não puderam ser resolvidos, a compreensão dos princípios do Fa não puderam aumentar solidamente e às vezes não havia muita interferência no estudo do Fa. Por sua vez, quando o Mestre ensinou mais e mais sobre a retificação do Fa, eu tive gradualmente uma compreensão sobre esta questão. Em primeiro lugar, essas pessoas provavelmente, sem saber, misturaram o entusiasmo do trabalho de pessoas comuns, suas capacidades, o espírito de sacrifício e a maneira de fazer o trabalho das pessoas comuns com seu próprio papel dentro do cultivo no Falun Dafa. Elas não consideraram que tinham apegos fundamentais e não cultivaram seriamente face aos conflitos trazidos por seus próprios problemas de xinxing. Ao contrário, pensavam mais frequentemente que eram "especiais" ou "privilegiados", ao invés de perceber que brigavam por alguma coisa ou buscavam algo. Em segundo lugar, algumas dessas pessoas foram arranjadas pelas velhas forças, com objetivo de testar e eliminar os praticantes que tinham fortes mentalidades de pessoas comuns. Algumas foram colocadas lá para exercer uma influência negativa em períodos críticos e não faziam esse tipo de trabalho devido ao seu xinxing ser melhor do que o dos outros. Mas o Mestre quer salvar a todos os seres, então ele se adaptou a muitas coisas e transformou as coisas – mudando a natureza fundamental das coisas dentro desses arranjos e destruiu os arranjos das velhas forças. Em terceiro lugar, assim que faziam certas coisas nos círculos daqueles que se cultivavam, eram interferidas pelo apego à fama e ao ganho. Não eram capazes de conduzirem a si mesmos bem com uma consciência principal forte. Isso conduziu a aparição e o surgimento rápido de apegos à fama e aos ganhos, a competição e a inveja, levando a novos problemas no trabalho em si, bem como no cultivo.

Dessa maneira, nos quatro anos de cultivo da retificação do Fa, os companheiros praticantes na China continental conseguiram validar o Dafa e salvar os seres conscientes sob a forma de "a grande lei sem forma". Cada pessoa é responsável por seu próprio cultivo e pelo trabalho do Dafa, coordenando-se mutuamente entre si e podemos dizer que na realidade cada pessoa tornou-se uma pessoa de responsabilidade durante o cultivo da retificação do Fa. Bem como no exterior, há Associações de Falun Dafa e Centro de Assistência e há muitas equipes de projeto e muitas pessoas de responsabilidade apareceram, essas coisas que tomam uma forma concreta são apenas para se conformar às formas da sociedade comum. Trata-se do verdadeiro cultivo da retificação do Fa, cabe também a cada discípulo do Dafa ser responsável em relação a si mesmo, ao Mestre e ao Fa e em relação e todos os seres conscientes. No processo, acredito que as "pessoas de responsabilidade", tanto as novas como as antigas, deveriam aprender solidamente dessas lições que eu acabei de falar, de forma a não ser afetado pelo apego à fama, ao ganho, ao conceito de "pessoa famosa" ou à hierarquia de pessoas comuns e que aquelas não chegaram à conclusão do que deveriam cultivar por que ficaram muito ocupados em trabalhar. Apenas quando pudermos verdadeiramente, em cada momento e em cada lugar, ter o Fa nos nossos corações e nos medirmos continuamente; de coração nos perguntarmos como sermos responsáveis em relação ao Fa, aos seres viventes e ao nosso próprio cultivo, somente então cada uma de nossas "pessoas de responsabilidade" poderão assegurar que cada passo seja bem dado e de maneira reta.

A segunda história me lembra de outra coisa. Quando uma pessoa comum comete suicídio, gera uma grande quantidade de carma e cria consequências complicadas. Contudo, quando alguém que cultiva comete suicídio, ele cometeu o pecado de matar um Buda e as consequências são ainda mais complicadas e sérias. Há um episódio durante a história de cultivo do Buda Milarepa. Depois que Milarepa suportou diversos tipos de enormes sofrimentos psicológicos e espirituais no curso de sua procura por um Fa reto, ele sentiu que provavelmente seu carma era muito grande e que não seria capaz de atingir um Fa reto nesta vida. Então, em extrema agonia, contemplou a possibilidade de suicídio. Também disse: "Depois que Marpa e a esposa de Marpa têm problemas devido aos meus pecados e já que com este corpo eu não vou ter êxito no cultivo, apenas acumularei mais pecados, vou me matar." Então ele sacou uma faca para se matar. Nesse momento, um lama chamado Ngokpa o deteve e disse a ele com lágrimas rolando em seu rosto: "Não faça isso! As faculdades e a compreensão de cada um são inatas e divinas, será um pecado matar um Buda. Não existe pecado maior que o suicídio. Mesmo nas tradições esotéricas dos Sutras não há pecado maior que o de tirar sua própria vida. Agora que sabe disso, renuncie à ideia de se matar." E esta é apenas a situação de um cultivador na etapa do seu cultivo pessoal. Sob outro ângulo, o cultivo da retificação do Fa requer que consideremos os outros antes em qualquer situação e cultivemos a iluminação reta de completo desinteresse e coloquemos os outros sempre antes de nós mesmos. Além disso, os discípulos da retificação do Fa têm missões históricas especiais, então, quando suportamos sofrimentos nas tribulações, pensamos ou não no que o Mestre suportou, as dores que o Mestre tomou e os seres vivos que esperam impacientemente?

Como o que o companheiro praticante escreveu: “Por serem perseguidos, numerosos discípulos foram forçados a se tornar errantes, de um lado para o outro, e perderam seus trabalhos. Da perspectiva de uma pessoa comum, essas pessoas não tem nada em termos de carreira e nada que seja notável. Mas, da perspectiva daqueles que cultivam e das divindades, essas pessoas fazem as coisas mais sagradas, as mais magníficas: de validar o Dafa e salvar os seres conscientes. No período histórico final da retificação do Fa o universo, nós não podemos absolutamente nutrir qualquer apego de pessoas comuns, nem podemos nos permitir não sermos diligentes em nosso cultivo porque não podemos ver os frutos de nosso cultivo – ou ainda pior, renunciar ao cultivo e permitir que tudo seja arruinado no instante final."

Estudando o Fa eu entendi que há outro nível de compreensão: na realidade o cultivo da retificação do Fa não é sobre o que nós renunciamos pelo Dafa, nem o que estamos prontos a fazer pelo Dafa ou o quanto fazemos - mas sim se nós podemos ou não verdadeiramente reconhecer o imenso significado da retificação do Fa e se sabemos ou não valorizar e humildemente aceitar o futuro que o Mestre estabeleceu para nós. Sem o Mestre não há verdadeira retificação do Fa, nenhum dos seres do velho cosmos teria um futuro e a retificação do Fa é infinitamente misericordiosa e ao mesmo tempo incomparavelmente sagrada e solene. A retificação do Fa não pode ser utilizada por um ser ou por qualquer apego humano.

2 de novembro de 2003