Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Um olhar mais atento na indústria de lavagem cerebral na China: Receita I (parte 2 de 4)

6 de Fevereiro de 2021 |   Por correspondentes do Minghui na China

(Minghui.org) Tal como foi brevemente abordado na parte 1 desta série, os fundos governamentais para centros de lavagem cerebral cobrem dois custos principais: construção e operações. Além disso, os centros retiram receitas de três fontes principais: pagamentos cobrados por praticante retido (incluindo educação e taxas de acompanhantes das entidades patronais dos praticantes), prêmios governamentais para "transformações bem-sucedidas" e extorsão de praticantes e das suas famílias.

Nas partes 2 e 3 desta série, delinearemos as principais fontes de financiamento e despesas.

Custos de construção e equipamento de edifícios

A partir dos números fornecidos na parte 1, os centros de lavagem cerebral a nível provincial custam em média 20 milhões de yuans para serem construídos, enquanto os centros a nível municipal custam em média 1,8 milhões de yuans. O financiamento provém do governo central, dos governos locais e do setor privado.

Por exemplo, dos 35 milhões de yuans utilizados para construir o Centro de Lavagem Cerebral do Campo de Trabalho de Shapingba, cerca de 20 milhões provêm de títulos do governo. A cidade de Wuhan, na província de Hubei, atribuiu uma vez 4 milhões de yuans em nome da construção de uma nova sede de controle de enchentes, mas o dinheiro foi efetivamente utilizado para construir um centro de lavagem cerebral. [55]

Além da construção de edifícios (ou reformas em caso de reaproveitamento de edifícios existentes), os centros de lavagem cerebral requerem também a instalação de vários equipamentos de confinamento e tortura (por exemplo: celas de confinamento solitário, sistemas de vigilância, bastões elétricos, algemas, correntes, "leitos de morte", etc.).

De tempos em tempos, é necessário um financiamento adicional para compra de equipamento novo ou substituir equipamento gasto. Por exemplo, a Agência 610 da cidade de Lanzhou na província de Gansu deu ao Centro de Lavagem Cerebral de Gongjiawan 100 mil yuans em junho de 2012 para mobiliário de sala de reuniões, aparelhos de televisão e roupa de cama. [56] O Centro de Lavagem Cerebral de Jinan gastou 103.035 yuans em maio de 2012 para instalar sistemas de vigilância. [57]

O setor privado fornece contribuições sob a forma de doações obrigatórias: quando a Agência 610 da Província de Hebei ordenou a organizações a nível provincial e  municipal que fizessem doações para a renovação de centros de lavagem cerebral, a Companhia Termoelétrica Shijiazhuang Dongfang pagou uma quantia fixa de 200 mil yuans. [54]

Custos operacionais

Os custos operacionais diários incluem salários e benefícios do pessoal, taxas de serviços públicos e custos de aluguel (se não for proprietário do imóvel). Por exemplo, só o custo de aluguel do Centro de lavagem cerebral de Changchun na província de Jilin é de centenas de milhares de yuans por ano. [58]

Os governos locais financiam geralmente os salários dos membros do pessoal. Por exemplo, o Centro de Lavagem Cerebral de Lannigou na província de Guizhou emprega dois secretários do Partido Comunista e muitos funcionários responsáveis pela logística, segurança, colaboradores, etc. Os secretários recebem carros e motoristas.

Além disso, dezenas de "educadores" são contratados para "transformar" os praticantes. Trabalham nove horas por dia, e foram organizados ônibus para as suas necessidades de transporte. Também é contratado uma grande equipe de segurança, a maioria dos quais são trabalhadores desempregados. O pessoal que trabalha nos refeitórios são frequentemente reclusos dos centros de detenção. No entanto, os seus salários são pagos aos seus centros de detenção, não aos indivíduos.

Estas despesas traduzem-se em elevados custos operacionais: O Centro de Lavagem Cerebral de Pequim custa cerca de 400 mil a 500 mil yuans por dia para funcionar, [57] enquanto o Centro de Lavagem Cerebral de Banqiao na província de Hebei custa três milhões de yuans por ano. [59] O Centro de Lavagem Cerebral de Xili, em Shenzhen, província de Guangdong, com apenas 12 funcionários, custa cerca de 300 mil yuans por mês. [52] Os funcionários viajam frequentemente pelo país ou para o exterior em nome de "treinamento" e recebem grandes bônus.

Receitas de "Taxas de educação"

Para cada praticante detido, um centro de lavagem cerebral cobra uma "taxa de educação". Estas taxas são pagas pelas entidades patronais do praticante (se for uma empresa estatal) ou pelo governo local. Por exemplo, quando a Agência 610 da da cidade de Langfang prendeu e enviou 85 praticantes para um centro de lavagem cerebral localizado em um hotel, a entidade patronal dos praticantes, China Petroleum Pipeline Bureau, teve de pagar 850 mil yuans. Estas taxas variam enormemente por região geográfica: nas zonas rurais, variam entre 1.500 yuans para um residente local e de 30 mil a 50 mil yuans para um detido de outra cidade.

Enquanto algumas empresas estatais foram forçadas a pagar a taxa, outras se oferecem para fazê-lo. Por exemplo, após a Agência 610 de Liaohe ter prendido e enviado quase 100 praticantes do Campo Petrolífero de Liaohe para um centro de lavagem cerebral, os funcionários do Campo Petrolífero de Liaohe pagaram voluntariamente 3.500 yuans por praticante como taxa de educação. [43]

Algumas empresas ficaram intimidadas pelas taxas altas. Quando a Sra. Qiu Liying foi detida em janeiro de 2003, os funcionários pediram à sua entidade patronal, a refinaria de petróleo de Shijiazhuang, 15 mil yuans. [9] Após negociações, o custo caiu para 50 mil de 60 mil yuans durante 12 meses, ou para 4 mil de 5 mil yuans por mês. [44]

Quando o Campo de Trabalho Forçado de Changle realizou sessões de lavagem cerebral, os funcionários muitas vezes detinham os praticantes durante um ou dois meses. Depois de um professor ter sido detido durante 53 dias, os funcionários extorquiram 13 mil yuans de sua entidade patronal, que se recusou a enviar mais praticantes para o centro de lavagem cerebral.

Mesmo que os praticantes estivessem aposentados ou sido despedidos, as suas entidades patronais anteriores continuavam a ser responsabilizadas por estas taxas de educação. Por exemplo, a professora de jardim de infância aposentada Sra. Huang Yanyun, ficou detida no Centro de lavagem cerebral de Xining em setembro de 2012 durante 35 dias. As autoridades obrigaram o Jardim de Infância de Dongfeng, a sua antiga entidade patronal, a pagar 5 mil yuans. [40] Outro caso foi o Sr. Wang Zhiliang, um praticante da cidade de Shijiang, que tinha sido despedido. Quando os funcionários o enviaram para o Centro de Lavagem Cerebral de Shijiazhuang, em setembro de 2007, extorquiram de 3 mil a 6 mil yuans em taxas de educação de seu antigo empregador. [13]

As taxas de educação variam de acordo com a localização geográfica e são geralmente várias vezes superiores ou dez vezes mais elevadas do que o salário médio regional. Por exemplo, o Centro de lavagem cerebral de Hubei cobrou uma taxa de educação de 15 mil yuans por mês enquanto o salário médio era de 460 yuans; como o salário médio aumentou para 580 yuans em 2007, a taxa de educação aumentou para 30 mil yuans por mês. [45]

Abaixo está uma lista de taxas de educação cobradas por 42 centros de lavagem cerebral para os quais temos informação detalhada disponível.

 Conforme mostrado na tabela acima, as taxas de educação foram computadas de casos em que informações detalhadas estavam disponíveis. A taxa média é de mais de 9.400 yuans por mês para cada praticante.

Quando um praticante não está associado a uma empresa estatal, o governo local absorve o custo total. No caso do Centro de lavagem cerebral de Luotaishan na cidade de Fushun, província de Liaoning, o governo municipal pagou 1.500 yuans por praticante por sessão, enquanto os governos municipais e estaduais pagaram cada um mil yuans. [34] Cada sessão tem uma duração de cerca de um mês.

Por cada praticante de Shenzhen enviado para o centro local de lavagem cerebral em 2012, o governo da cidade pagou 70 mil yuans. [5] Os funcionários de Ximeng na Mongólia Interior adotaram o mesmo sistema; em 2011, a taxa foi de 7 mil yuans por praticante. [37]

Receitas de taxas de acompanhantes

Os centros de lavagem cerebral empregam tipicamente quatro tipos de pessoal: funcionários das Agências 610 ou dos campos de trabalho, "professores" (anteriormente "transformados"), companheiros de entidades patronais de praticantes e pessoal de segurança contratado como trabalhadores temporários.

Além do pagamento das taxas de educação, os empregadores dos praticantes eram também obrigados a enviar pelo menos dois acompanhantes para ficarem com os praticantes e vigiá-los 24 horas por dia. Quando o Comitê Nacional de Trabalho realizou uma sessão de lavagem cerebral no Distrito de Changping, perto de Pequim, em julho de 2001, exigiram três companheiros do local de trabalho de cada praticante, incluindo um gerente e dois colegas de trabalho. [46]

Instrumentos do processo de "transformação", os companheiros são obrigados a isolar física e mentalmente os praticantes de outros praticantes. Por exemplo, no Centro de lavagem cerebral de Xinjin em Chengdu, província de Sichuan, os praticantes não estão autorizados a ir ao refeitório; em vez disso, um dos seus companheiros tem de buscar as refeições para eles.

Até mesmo para ir ao banheiro requer a aprovação de ambos os acompanhantes: é preciso certificar-se de que nenhum outro praticante esteja por perto antes de escoltar o praticante que lhe foi designado até o banheiro. Os companheiros também reproduzem vídeos de propaganda aos seus praticantes designados, mantêm registros detalhados do seu comportamento e reportam aos funcionários.

Os empregadores que não desejam contribuir com dois acompanhantes são obrigados a pagar uma "taxa de acompanhante" pelo trabalho fornecido pelo centro de lavagem cerebral. Com base nas estatísticas limitadas disponíveis, a taxa para cada acompanhante varia de 80 a 100 yuans por dia. [47] [48] [49] Os centros exigem dois acompanhantes por praticante. A taxa de acompanhante por praticante (dois companheiros por praticante) varia de 4.800 a 6.000 yuans por mês. Utilizamos 5.400, a média dos 4.800 e 6.000 para a nossa estimativa da escala da indústria apresentada na parte 1.

Os centros de lavagem cerebral tem uma grande margem de lucro sobre as taxas de acompanhantes. Por exemplo, em 2003, um centro de lavagem cerebral em Fushun, província de Liaoning, contratou indivíduos para atuarem como companheiros e pagou-lhes 280 yuans por mês. [50] Em 2010, o Centro de lavagem cerebral de Xinjin em Chengdu, província de Sichuan, pagou aos companheiros 700 yuans por mês, além de alojamento e alimentação. [51] A "Escola de Educação Jurídica" de Shenzhen paga aos trabalhadores desempregados pouco mais de mil yuans por mês para atuarem como acompanhantes e monitorarem os detidos 24 horas por dia. [52]

Em alguns casos, os empregadores dos praticantes aproveitam este sistema e designam os seus familiares para atuarem como acompanhantes para ganharem dinheiro fácil. Por exemplo, no Centro de lavagem cerebral Hebei, a entidade patronal de um praticante utilizou fundos da empresa para pagar à sua irmã uma bolsa de viagem da empresa (100 yuans por dia durante vários meses) para agir como acompanhante do praticante. As vezes, estes fundos eram posteriormente deduzidos do salário do praticante. [53]

Isto conclui a segunda parte de uma série de quatro partes sobre a indústria de lavagem cerebral na China. Mais detalhes sobre como o sistema permite aos funcionários acumular fortunas pessoais aparecerão em artigos futuros.

Referências:

1. 我经历和目睹北京国保、女子劳教所的迫害事实
2. Ms. Zhang Juxiu from Lanzhou City, Gansu Province Persecuted for Nine Years
3. Ms. Li Hongping Tortured and Coerced Into a Confession by Police in Lanzhou City, Gansu Province
4. Latest News from China – 05/20/2001
5. The Shenzhen City Brainwashing Center Remains Active in the Persecution of Falun Gong
6. 贵州遵义县龙坪镇不法人员对法轮功学员的迫害
7. 贵阳市“法制教育培训中心”迫害法轮功的罪行
8. 明慧新闻简报(2002年8月11日)
9. 大法弟子邱立英到家一星期后又被绑架到洗脑班
10. Detailed Account of Eight Years of Persecution While Cultivating Falun Gong
11. Falun Dafa Practitioner Ms. Yang Xinglan from the Baoding Area of Hebei Province Dies as a Result of Persecution
12. Latest News from China - June 1, 2005
13. Additional Persecution News from China - September 8, 2007 (23 Reports)
14. Ms. Yan Xiaoli Tortured in Brainwashing Center in Hebei Province
15. The Bitter Experience of Being Compelled to Write the "Three Statements" at Wuchang Brainwashing Center (Heilongjiang Province)
16. Additional Persecution News from China – August 15, 2011 (44 Reports)
17. 齐齐哈尔市洗脑班近期恶行
18. 大庆“六一零”强制洗脑的罪恶
19. 黑龙江刘氏姐妹十三年来的苦难经历
20. 记那一段煎熬的岁月
21. 十一次绑架关押 两次非法劳教
22. 十一次绑架关押 两次非法劳教 湖北应城市法轮功学员张静玉十四年遭迫害经历
23. People Say “No” to the CCP Persecution of Falun Gong
24. 武汉大学政治打手预谋绑架5名教工去洗脑班
25. Additional Persecution News from China - October 25, 2007 (53 Reports)
26. Sixty-four-year-old Ms. Cui Hai from Wuhan City Seriously Injured While Being Interrogated and Tortured
27. Economist Detained and Tortured for the Third Time in a Brainwashing Center
28. Additional Persecution News from China - September 19, 2006 (30 Reports)
29. Ms. Sui Yuxiang Arrested by Agents from Hunan Province 610 Office and Domestic Security Division
30. Latest News from China - November 30, 2005
31. 吉林省柳河县中学教师被扣发工资、关入洗脑班
32. 盐乡悲歌
33. Persecution of Ms. Zhang Wuying from Changzhou City, Jiangsu Province Continues after Her Husband's Death
34. Luotaishan Brainwashing Center in Fushun City, Liaoning Province, Persecutes Falun Gong Practitioners
35. 辽宁省抚顺市罗台山庄洗脑班迫害好人
36. 沈阳市张士洗脑班的黑幕
37. 内蒙古锡盟洗脑班劫持迫害法轮功学员
38. 做好人遭绑架,国法何在?
39. Additional Persecution News from China - December 7, 2006 (35 Reports)
40. Retired Teacher Persecuted for Upholding Her Beliefs
41. 云南省红河州法轮功学员被迫害纪实
42. 新学员:师父带我走上回家的路
43. 辽宁省抚顺市罗台山庄洗脑班迫害好人
44. 石家庄大法弟子邱立英的上访信
45. 揭秘湖北省“法西斯集中营”
46. 河北省石家庄省直单位大法学员被绑架到北京昌平洗脑班
47. 对湖北省板桥洗脑班罪恶的调查报告(三)
48. Changle Labor Camp in Weifang City Extorts Money from Falun Dafa Practitioners
49. Shaanxi Province: "610 Office" and Hanzhong City Detention Center Torture Dafa Practitioners
50. 我在抚顺市“罗台山庄”洗脑班的所见所闻
51. 新津洗脑班对法轮功学员的迫害
52. The Shenzhen City Brainwashing Center Remains Active in the Persecution of Falun Gong
53. 河北省洗脑中心的邪恶陪教制
54. 大陆各地前期迫害案例汇编(2013年5月30日发表)
55. 湖南省长沙市捞刀河洗脑中心犯罪事实
56. 2012年龚家湾洗脑班迫害法轮功学员综述
57. Atrocities Committed in the Chinese Communist Regime's Brainwashing Facilities
58. 长春市洗脑班耗费巨额百姓血汗钱迫害无辜
59. 对湖北省板桥洗脑班罪恶的调查报告(一)

Artigos relacionados em chinês:

http://www.minghui.org/mh/articles/2014/7/2/洗脑班暴敛黑财的调查报告

(上)-294171.html

http://www.minghui.org/mh/articles/2014/7/3/洗脑班暴敛黑财的调查报告

下)-294172.html