Palestra sobre dança clássica chinesa da Fei Tian College

Hongzhi Li

27 de julho de 2019

O que é a “dança clássica chinesa”? Vamos falar sobre seus fundamentos. Seus movimentos e poses (shen-fa)1 têm raízes antigas nas artes marciais e no fato de que o nome para artes marciais (wu, como em wu-shu) é pronunciado da mesma forma que a palavra dança (wu, como em wu-dao)2. Esse uso dual foi posto em prática pelo divino. Enquanto isso, o sentimento (shen-yun)3 dos movimentos de dança clássica chinesa vem principalmente dos movimentos tradicionais da ópera chinesa4. No início, a dança clássica chinesa era na verdade chamada de “dança operística”.

Então, por que algumas pessoas dizem que a dança clássica chinesa é uma nova forma de dança criada pela Academia de Dança de Pequim? Os movimentos e poses ( shen-fa) [que a Academia de Pequim ensina] realmente vêm das artes marciais e da ópera também. Mas, [no passado], a fim de tornar a dança apropriada para o ensino em uma escola de artes e para fazer com que pareça mais compatível com os conceitos modernos de como a dança deveria ser, a Academia de Pequim adotou alguns dos níveis de métodos de treinamento do balé para os fundamentos da dança. Quanto à parte das acrobacias (tan-zi-gong)5 da dança clássica chinesa, esta está ainda mais enraizada nas várias formas de arte que tradicionalmente têm feito parte da cultura chinesa há milhares de anos. Para deixar claro, a Academia de Dança de Pequim não criou a dança clássica chinesa. O que ela criou é o termo “dança clássica chinesa”. Ela pegou o nome original, “dança operística chinesa” e o mudou para “dança clássica chinesa”.

A própria Academia de Dança de Pequim admite que sua sensação de dança ( shen-yun) vem do modo como as pessoas se movimentam na ópera chinesa e os elementos básicos dos movimentos e poses (shen-fa) vêm principalmente da dança operística chinesa e das artes marciais. E, de fato, a ópera chinesa realmente diz que seu shen-fa é derivado das artes marciais; na verdade, a ópera havia adotado o shen-fa das artes marciais chinesas tradicionais já na antiguidade remota. Tudo isso nos diz que a dança clássica chinesa é algo que existe há muito tempo e não é algo que a Academia de Dança de Pequim inventou.

Então, por que a Academia de Dança de Pequim diz que a dança clássica chinesa é uma nova forma que [ela] criou? Ela, claro, não mudou simplesmente o nome de “dança operística” para “dança clássica chinesa”, [mas sim] estabeleceu um conjunto de métodos para ensinar dança clássica chinesa. A Academia é de fato quem deu à forma de dança o novo nome; no começo, também costumava chamar a dança clássica chinesa de “dança operística”. E ela inseriu métodos de ensino do balé. Claro, isso não foi tudo; ela também usou o formato de uma academia para ensinar dança clássica chinesa. No passado, na China, o estudo das artes performáticas era feito através de métodos tradicionais de ensino. As trupes teatrais tinham uma prática de artistas principais6, veteranos, orientando os aprendizes, e alguns professores orientavam muitos estudantes ao mesmo tempo, até mesmo as dezenas de pessoas que compunham uma trupe teatral inteira. Mas, no que diz respeito à dança clássica chinesa entrar nas academias de artes e ser ensinada como “dança clássica chinesa”, a Academia de Dança de Pequim pode ter sido a primeira a fazer isso na época. No entanto, os jovens estudantes que foram para a escola mais tarde não entenderam tudo isso. Além disso, o perverso PCC7 minou intencionalmente a história da China, o que deixou esses estudantes desinformados sobre a história da China, então eles disseram que “a dança clássica chinesa” é uma nova forma de dança que a Academia inventou. Isto por si só está desrespeitando a história e a herança da cultura tradicional milenar da China.

De fato, ao mesmo tempo em que a Academia de Pequim foi estabelecida, províncias e grupos de artes cênicas em toda a China também usavam esse tipo de dança chinesa em seus ensinamentos e performances. Já nos anos 40 e 50, nossa diretora da Fei Tian Academy of the Arts, a Sra. Guo, estava na Companhia de Teatro Zhongnan e eles já estavam se apresentando. Isso foi antes da fundação da Academia de Dança de Pequim! Então, em outras palavras, na época da fundação da escola, muitos grupos de artes na China já estavam usando o estilo clássico da dança operística chinesa em suas apresentações.

Vocês sabem, toda a terminologia que a Academia de Dança de Pequim usa na sua instrução de dança clássica foi trazida da dança operística – sejam os nomes de técnicas específicas de dança e o que elas requerem, ou os termos usados em shen-fa e shen-yun. Além disso, ela pegou os termos e os usou exatamente como eles eram. Isto inclui termos como chong e kao8han e tian9ningqingyuanqu10; as três trajetórias de movimentos circulares de ping-yuanli-yuan, e ba-zi-yuan11shouyanshenfabu12liang-xiang13jingqishen14 e muitas, muitas outras coisas. Todos os elementos essenciais da forma de dança – para ir para direita primeiro vai para a esquerda, para ir para cima primeiro vai para baixo, para ir para trás primeiro vai para frente, para ir para frente primeiro vai para trás e assim por diante – estes foram trazidos pela ópera, exatamente assim. Então o que estou dizendo é que a Academia não criou estas coisas; elas já eram parte da dança clássica da China. Desde que a Academia de Dança de Pequim pegou a “dança operística” da China e a renomeou “dança clássica chinesa”, todos na China começaram a usar este termo para descrever sua própria dança – de trupes de artes locais à trupes de arte militar de cada província, de grupos de artes cênicas amadores à profissionais, e todas as escolas vocacionais principais e faculdades, exceto escolas de drama e teatros.

E isto nos trás ao Shen Yun e à Fei Tian College – não estão ambos usando a dança clássica chinesa? Bem, na fundação, o Shen Yun e a Fei Tian College valeram-se do estilo ou ritmo (yun-lü)15 da dança clássica ensinada da Academia de Pequim, pois ao ensinar o shen-fa, a Academia de Pequim havia chegado a um yun-lü padronizado. Entretanto, todos os elementos básicos yun-lü já existiam. O Shen Yun simplesmente fez uso do yun-lü ensinado na Academia. Vocês entenderam a ideia, certo? O Shen Yun e a Fei Tian simplesmente usaram o yun-lü da Academia de Dança de Pequim. 

A realidade da dança clássica chinesa hoje é que toda província possui seu próprio estilo. Até as diversas faculdades em Pequim não usam o yun-lü da Academia de Dança de Pequim e até abertamente rejeitaram-no. Não há um único grupo de artes cênicas em toda a China que está usando o [método] da Academia de Dança de Pequim nos seus treinamentos de dança ou performances, pois todos pensam que sua própria versão de dança clássica chinesa é a melhor. Uma coisa estranha é que até a própria Companhia de Dança Jovem da Academia de Pequim pegou a dança clássica chinesa e a transformou além do reconhecimento, misturando em algo assim chamado de “dança moderna de estilo chinês”. Para a Academia de Dança de Pequim, isto é realmente um tapa na face. Se vocês nem sequer respeitam a si mesmos, como poderiam esperar que os outros respeitem vocês? Eles estão até pegando essa coisa inventada que estão chamando de “dança Han-Tang” e ensinando isso como dança clássica chinesa, quando de fato não é nada além de movimentos de raposa e tem uma vibração diabólica nela. É realmente triste ver isto acontecendo na instituição de dança mais reverenciada da China.

Quando a Fei Tian College foi inicialmente fundada, queria ensinar o yun-lü da Academia de Dança de Pequim, então foi necessário usar algumas das rotinas de dança da Academia para propósito de aprendizado. De fato, a Fei Tian poderia ter usado o yun-lü de dança ensinado na Universidade Minzu da China, ou qualquer yun-lü de dança regional ou provincial, ou poderia ter apenas diretamente usado o yun-lü de dança da ópera. Mas já que, naquela época, a maioria dos instrutores na Fei Tian Academy of the Arts eram ex-alunos da Academia de Dança de Pequim, foi simplesmente natural adotar o yun-lü que os instrutores aprenderam. Em todo caso, o yun-lü da Academia de Pequim foi correto e supriu as necessidades do Shen Yun, por isto foi usado para instrução.

A respeito do yun-lü, vamos olhar as coisas da perspectiva do cultivo ou [da perspectiva] espiritual. A cultura chinesa foi concedida divinamente e tem sido vigiada por seres superiores. Na época quando a Academia de Dança de Pequim estava organizando um programa de estudo para dança clássica, seres superiores há muito tempo sabiam que isto era algo que o Shen Yun necessitaria usar no futuro. Então definitivamente havia uma mão divina por detrás da forma de dança. O fato que o Shen Yun estaria usando esta forma de dança para oferecer libertação no mundo humano era uma coisa bastante significativa. A cultura humana se repete uma e outra vez. Havia uma questão de se [a forma de dança] estaria alinhada com a cultura que os deuses haviam estabelecido para a humanidade muito antes do início da história. Então, para que estas coisas fossem usadas para o Shen Yun salvar seres, os preparativos tiveram que ser feitos com antecedência. Desta perspectiva, aqueles que estabeleceram os métodos de ensino da dança clássica chinesa da Academia de Dança de Pequim fizeram uma coisa maravilhosa.

Com o Shen Yun Performing Arts e a Fei Tian College tendo se desenvolvido tanto, vocês podem ver que os padrões de shen-fa da Fei Tian e do Shen Yun são agora bem diferentes daqueles da Academia de Dança de Pequim. O que o Shen Yun e a Fei Tian College estão buscando alcançar através de sua instrução de dança clássica é completamente diferente do que a Academia de Dança de Pequim busca. Os primeiros querem retornar ao caminho da tradição e trazer esta forma de dança de volta ao seu estado mais elevado, a essência inerente da cultura divinamente concedida da China. A última, enquanto isso, está seguindo a espiral decadente da humanidade, ao tentar manter o estilo da última moda, está distorcendo o tradicional e o clássico. Neste ponto, até acrescentou no currículo do departamento de dança clássica e performances a dança moderna estilo-chinesa, dança moderna, dança contemporânea e aquela falsa coisa Han-Tang; a assim chamada dança Han-Tang e seus movimentos são, na realidade, criados por aqueles controlados por espíritos de raposa. Eles não gostam de ouvir isto, com certeza, pois talvez sintam como se seus interesses pessoais estejam sendo ameaçados. No entanto, quem aprende essa coisa será possuído pelo espírito de raposa. Não se pode simplesmente ignorar isto quando se vê pessoas sendo prejudicadas. Mas aquela coisa encontrou seu caminho direto para dentro das faculdades atuais. Por mais triste que isto possa ser, é um produto dos tempos.

Por isto, observando como as coisas estão, seja a Academia de Dança de Pequim ou a Fei Tian College e o Shen Yun, os elementos básicos da dança clássica chinesa que eles usam são idênticos. É simplesmente que seus padrões para o shen-fa são diferentes, seus objetivos enquanto instituições são diferentes, e após a Fei Tian e o Shen Yun prolongarem seu shen-fa, o yun-lü também se tornou diferente. No início, a Fei Tian College e o Shen Yun simplesmente usaram o yun-lü da Academia de Dança de Pequim. Mas, a este ponto, o yun-lü do Shen Yun não é mais o mesmo que o da Academia de Pequim e, na realidade, uma brecha considerável gradualmente se abriu entre os dois.

Como vocês sabem, o Shen Yun alcançou os padrões mais elevados em termos do shen-fa da dança. Estas habilidades de shen-fa são algo buscado não apenas por aqueles na dança clássica chinesa, como também por aqueles em todos os tipos de formas de dança e artes cênicas físicas. As pessoas têm procurado por elas desde tempos remotos e alguns têm dito que nem uma única pessoa possui essas habilidades de dança. Elas representam o ápice da conquista em todas as formas de dança e elas são chamadas de: “shen dai shou” (o corpo lidera os braços) e “kua dai tui” (o quadril lidera as pernas)16. Treinar com estas técnicas alonga os membros da pessoa a uma extensão além do que qualquer forma de dança conseguiu alcançar; até o balé e a ginástica artística continuam a pensar e a procurar por essas coisas. Eles apenas ouviram sobre isso, mas ninguém pode ensiná-los e ninguém pode realmente entendê-los. Assim é como é agora e ninguém sabe como aplicar essas coisas. Mas vocês todos sabem sobre “shen dai shou” e “kua dai tui ”. Essas são coisas que foram transmitidas por mim, seu shifu. Aqueles no Shen Yun, bem como os estudantes e universitários da Fei Tian College e da Academy of the Arts, têm as aprendido e as aplicado. A este ponto, os estudantes têm recebido treinamento ao estilo do Shen Yun de dança clássica chinesa, não do da Academia de Pequim. Então basicamente, o Shen Yun possui seu próprio sentimento de dança, seu próprio yun-lü. O que nós possuímos agora, de fato, não é mais o mesmo que o da Academia de Dança de Pequim. Se vocês adotassem as mesmas rotinas de dança – assim como há alguns dias quando estavam assistindo a um vídeo de algumas das rotinas da Academia de Dança de Pequim – e as realizassem usando o shen-fa do Shen Yun, então iria parecer completamente diferente. Então, em outras palavras, no início o Shen Yun estava usando o yun-lü dela, mas, com o tempo forjou um caminho próprio. Com o caminho, seus métodos de alongamento transformaram o yun-lü dela, o Shen Yun agora esculpiu seu próprio nicho. Isto é algo que vocês definitivamente devem estar conscientes.

A dança clássica chinesa por si só é realmente “clássica” – uma brilhante culminação de milhares de anos de cultura. Até a Academia de Dança de Pequim não pode se livrar do termo “clássico”, já que também a chama de “dança clássica”. Por que a Academia a chama de dança clássica chinesa, então? Como pode uma forma de dança moderna e recentemente inventada ser chamada de clássica? Isso não é uma contradição? A escola meramente desenvolveu um ensino moderno para ela, enquanto tudo que é clássico sobre ela existe faz tempo e seus elementos básicos existem faz tempo. Isso faz sentido, certo?

No passado, falei com vocês sobre como a cultura chinesa foi uma cultura divinamente inspirada e como a China é um local especial – sua cultura foi criada e tem sido vigiada de todas as maneiras por seres superiores. E todas as pessoas ao redor do mundo, independentemente da raça, foram as pessoas de uma dinastia da China; todas elas encarnaram na China por algumas centenas de anos antes de reencarnar em outro lugar e assim é como foi por cinco mil anos. Então, esta cultura, para descrevê-la diretamente, é algo que todos ao redor do mundo experimentaram antes. Então, quando as pessoas, independentemente da sua raça ou nacionalidade, veem as peças tradicionais que o Shen Yun apresenta, elas têm esse sentimento vago de familiaridade – especialmente quando veem a cultura exibida na performance através da dança clássica chinesa. Quando veem a representação dos valores universais que a humanidade teve desde tempos antigos, e dos pensamentos, crenças e trajes da cultura tradicional, elas entendem-na completamente. E isso é porque em algum lugar de suas memórias reside experiências deste tipo de cultura. Então, quando o Shen Yun está salvando seres através das suas performances, as pessoas são capazes de entender o que estão assistindo e serem salvas. Se vocês usassem algo de qualquer outra etnia ou nacionalidade, não teria um impacto tão grande e seria até difícil de entender.

Vamos falar agora sobre outro aspecto disto. De volta ao período inicial da dança clássica chinesa, durante a pré-história, quando os deuses concederam a cultura à humanidade, eles sabiam que as pessoas distorceriam a forma de dança conforme a fossem transmitindo. Como sabemos, as pessoas estão “progredindo” – elas querem deixar sua marca ao criarem algo novo, para avançar em uma maneira que é diferente dos outros ou para fazer as coisas melhor que os outros. Mas este tipo de pensamento de fato muda a tradição. Não importa quanto vocês mudem algo, não será tão bom quanto o original, o qual foi divinamente dado. Vocês talvez pensem que é última moda, é realmente novidade, é muito bom e interessante, mas não possui essência e não é algo que irá receber proteção divina ou ser perpetuado por seres superiores. Por isto, a ideia é, os seres divinos levaram estas coisas em consideração quando começaram a transmitir a dança clássica chinesa e, portanto, não a transmitiram diretamente ou na íntegra. Algo dela foi transmitida na corte, algo através de tradições folclóricas e algo através da ópera, mas seu verdadeiro shen-fa foi preservado nas artes marciais.

Vocês sabem, historicamente, a prática de artes marciais era algo muito sério. Naquela época, aqueles que a praticavam lutariam até a morte e teriam que usá-la no campo de batalha. Se vocês a fizessem ao acaso, seriam mortos e por isto ninguém ousava mexer com eles e isso efetivamente preveniu o shen-fa de mudanças. De fato, os conjuntos de movimentos usados nas artes marciais já existem há milhares de anos e, portanto, seu shen-fa foi transmitido continuamente. Mas nos dias de hoje, o espectro perverso do PCC veio a fim de perseguir os chineses e destruir as tradições da China. Vendo que as artes marciais eram parte da cultura tradicional, buscou destruí-la também. Então fez pessoas criarem novas artes marciais e acabar com todas as artes marciais tradicionais. Pode ser que alguns cultivadores espirituais nas montanhas retiveram as formas tradicionais e certamente a essência real das coisas teria sido preservada com eles. Mas quanto às artes marciais que podem ser encontradas no mundo, elas foram sabotadas pelo perverso PCC e são novas artes marciais que substituíram completamente as formas tradicionais. E por isto as artes marciais tradicionais são o que têm efetivamente preservado este shen-fa ao longo do curso de milhares de anos.

Na ampla esfera cultural da China, as artes influenciam e complementam umas as outras e podem recorrer uma a outra. Por exemplo, muitas formas de arte emprestaram a arte de saltos acrobáticos ( tan-zi-gong) e muitas emprestaram o shen-fa das artes marciais, certo? E outra coisa muito crucial é o sentimento (shen-yun) que foi transmitido como parte da ópera. O valor do shen-yun torna-se aparente quando vocês tentam expressar coisas da essência. Em algo objetivo como o balé, transmitir o significado interno não é um requisito. Mas na dança clássica chinesa, por outro lado, vocês têm que ter o aspecto do shen-yun, vocês precisam ser capazes de transmitir expressão emocional e ser capazes de transmitir qualquer coisa que vocês desejarem. Este é o papel que [o shen-yun] pode realizar, por exemplo, quando representam personagens das histórias de dança do Shen Yun. Com isto, vocês podem retratar personagens; com isto, vocês podem transmitir uma história; e com isto, o Shen Yun é capaz de produzir peças de dança teatrais e usá-las para salvar pessoas. Quando vocês olharem para estas coisas desta maneira, vocês podem ver o valor e o significado da cultura divinamente concedida.

A cultura divinamente concedida tem uma peculiaridade em particular, que é: ela precisa levar em consideração o equilíbrio do yin e do yang no mundo humano. Isto é, uma única coisa tem tanto um desígnio positivo quanto um negativo ao mesmo tempo. Por isto, as artes marciais não puderam existir para uma única razão apenas e simplesmente serem artes marciais por si só. A palavra wu teve que possuir um uso dual (武 para artes marciais e 舞 para dança); a pronúncia é a mesma mas o caractere escrito é diferente. E o mesmo wu pode até ser usado de múltiplas formas. Quando seres superiores fazem algo, não é por um único propósito. Sempre que algo novo aparece no mundo, é conectado a coisas em todas as outras dimensões. Então, eles têm que considerar qual impacto aquela coisa terá em cada dimensão: o impacto em ambas dimensões, mais altas e em planos mais baixos, o impacto em dimensões verticais e em dimensões horizontais. Quando algo novo emerge, vocês apenas podem consolidá-lo no mundo se for algo que trará um efeito positivo em cada dimensão e poderá harmonizar bem com tudo mais. Do contrário, a coisa não será capaz de se consolidar, não será reconhecida e não será levada adiante, já que deve ser reconhecida pelos seres superiores. Por isto, quando um ser divino transmite algo, ele não apenas transmite esta única coisa e negligencia todo o resto. Ele precisa suavizar todas as conexões entre um massivo grupo de seres. Portanto, isto não é uma coisa simples, é? De modo algum.

Quando aqueles na comunidade de artes começam a discutir sobre coisas, às vezes pode ser bastante interessante. Pessoas no mundo da ópera chinesa estão questionando a Academia de Dança de Pequim, dizendo coisas como: Como vocês podem dizer que inventaram algum tipo de dança clássica, quando todas as suas coisas vêm da ópera? E, na verdade, é realmente da ópera – especialmente o shen-yun – tudo vem da ópera. Mas então as pessoas das artes marciais estão dizendo [para as pessoas da ópera]: A dança que vocês usam na sua ópera, são todas das artes marciais. E é verdade, praticamente tudo é. Até o shen-yun [usado na ópera] é algo que evoluiu do shen-fa das artes marciais e esse é o caso para tudo isso. Quando você rastreia o caminho de volta, você chega nas artes marciais. Por que eu comecei a falar sobre o uso dual de wu? Chegando à raiz dele e realmente ao seu significado, é um wu com aplicação dual: usado em um sentido cultural ou artístico, é para dança; usado em um sentido marcial ou militar, é para a batalha. Um cultural e um marcial; um positivo e um negativo. Essa é simplesmente a maneira da cultura humana, vocês sabem – quando vocês transmitem algo, ele irá se manifestar de duas formas no mundo humano, com certeza. Se vocês quiserem trazer algo que é inteiramente bom, vocês não podem, já que a coisa também precisa ter algo mau nela. E se vocês querem transmitir algo mau, não podem tampouco, já que precisa ter algo bom com ela. Isto é porque no mundo humano as coisas precisam ter um equilíbrio do bom e do mau, um equilíbrio do yin e do yang. E isso é como este fenômeno surgiu e é como a cultura humana é.

Então, porque todos – sejam no Céu ou na Terra – se opõem ao vil PCC? Os seres superiores não o reconhecem – ele não é bom e tampouco é o tipo de mau que os deuses permitem. Ele é um desvio, uma monstruosidade verdadeiramente desprezada e má. Não há lugar para ele no universo. É simplesmente algo que surgiu no fim dos tempos, quando as pessoas têm um monte de carma. Não faz diferença o quão terrível ou tirânico possa ser. Os seres superiores estão meramente usando-o para remover o carma daqueles com muito carma e, uma vez que eles acabarem com isso, eles irão destruí-lo. Porém, quando um ser superior está entre os humanos, difundindo os ensinamentos do Fa de planos elevados para salvar pessoas, isso é diferente e não está limitado pelos princípios do plano humano.

Finalmente, o que falei hoje foi conciso, mas também preciso. Isso foi de fato como todas essas coisas surgiram. Todos entenderam?

(Os estudantes de dança e os professores da escola, de acordo com a tradição chinesa de agradecer o professor, concluem dizendo: “Xie-xie, Shifu!”)

-------------

(Tradução providenciada por ShenYun.com em 21 de abril de 2020)

  1. 1. Literalmente “o método do corpo” (身法 shēnfǎ), isto inclui as poses principais e formas de movimentos da dança clássica chinesa.
  2. 2. Os caracteres chineses para artes marciais (武, como em 武術 wǔshù) e dança (舞, como em 舞蹈 wǔdǎo) são homófonos, ambos pronunciados com o terceiro tom de .
  3. 3. O primeiro caractere deste termo (身韻 shēnyùn) significa “corpo”. O segundo refere-se a aura ou charme da expressão de um artista. O conceito geral refere-se à expressão da beleza interior ou sentimento da dança clássica chinesa. Não deve ser confundido com o nome Shen Yun (神韻 shényùn).
  4. 4. Ópera tradicional chinesa (戲曲 xìqǔ) inclui uma variedade de artes cênicas. Uma forma atual familiar ao Ocidente é a Ópera de Pequim.
  5. 5. Literalmente “técnicas de colchonete” (毯子功 tǎnzigōng), este termo refere-se a uma variedade de técnicas de piruetas e saltos acrobáticos, que são frequentemente praticados em colchonetes para proteção.
  6. 6. O termo usado aqui (老師傅 lǎoshīfu) refere-se a uma posição tradicionalmente ocupada por um indivíduo em uma pequena trupe de artes cênicas. As responsabilidades dessa pessoa geralmente incluíam ensino, direção e desempenho principal.
  7. 7. Partido Comunista Chinês.
  8. 8. Inclinar a parte superior do corpo diagonalmente para frente (衝 chōng) e diagonalmente para trás (靠 kào).
  9. 9. Colocar o peito para dentro (含 hán) e empurrá-lo para fora (腆 tiǎn).
  10. 10. Um conjunto de requisitos para fazer movimentos mais esteticamente agradáveis, literalmente: torcer (擰 nǐng), inclinar (傾 qǐng), circular (圓 yuán), curvar (曲 ).
  11. 11. Os três trajetos para movimento circular: círculo no plano horizontal (平圓 píngyuán), círculo no plano vertical (立圓 lìyuán) e círculo fazendo a figura de oito (八字圓 bāzìyuán).
  12. 12. Domínio artístico de: movimentos de braços (手 shǒu); expressão dos olhos (眼 yǎn); poses e forma (身 shēn); métodos (法 ); e trabalho dos pés (步 ).

  13. 13. Para fazer uma pose (亮相 liàngxiàng).
  14. 14. A vitalidade da dança clássica chinesa deve ser infundida de: espírito, energia, alma (精 jīng, 氣 , 神 shén).
  15. 15. Ritmo, cadência ou sentimento (韻律 yùnlǜ) aplicado à dança.
  16. 16. O corpo lidera os braços (身帶手 shēn dài shǒu); o quadril lidera as pernas (胯帶腿 kuà dài tuǐ).