Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

​"Praticar o Falun Dafa é uma experiência linda"

5 de Julho de 2021 |   Por uma praticante do Falun Dafa na província de Liaoning, China

(Minghui.org) Pratico o Falun Dafa desde janeiro de 1998. É incrível como entrei nesta prática de cultivo. Meu marido foi até a cidade, para visitar sua prima que estava comemorando seu aniversário de 66 anos. Ao voltar para casa, ele parou numa livraria e comprou o livro do Falun Gong, livro introdutório da prática de cultivo do Falun Dafa. Ele me presenteou dizendo para que seguisse conforme as figuras ilustrativas do livro, para aprender os exercícios do Dafa.

Predestinada a obter o Dafa

Acredito que era meu tempo destinado a obter o Dafa, porque li o livro sem nenhuma interrupção ou reflexão. A imagem do Mestre Li me parecia muito familiar, mas não conseguia lembrar onde o tinha conhecido. Depois de alguns anos, o Mestre me esclareceu que tínhamos estabelecido nossa relação predestinada há muitas vidas passadas.

Quando ganhei o livro Falun Gong, não tinha ideia do que se tratava a prática de cultivo. Li o livro, logo após fiz os exercícios com os quais me sentia confortável. Por exemplo: meus ombros faziam um clique cada vez que eu movia os meus braços para cima e para baixo no terceiro exercício. Então, pulei alguns e concentrei-me na meditação.

Sentei-me em posição de lotus durante 40 minutos no primeiro dia. Foi doloroso, mas a ideia de desistir não passou por meu pensamento.

Disseram ao meu marido que os praticantes dessa prática de cultivo tinham que estudar o Fa. Então, ele comprou o Zhuan Falun para mim. Aprendi muito sobre a prática de cultivo com o Zhuan Falun.

O Mestre começou a purificar meu corpo depois que li o Zhuan Falun e pratiquei todos os exercícios. Certa vez, senti que era muito alta, sendo mais alta que uma grande árvore em frente de nossa casa. Outra vez, entrei em tranquilidade e senti que meu corpo todo tinha desaparecido, restando somente o pensamento de fazer os exercícios. Estas experiências foram inesquecíveis.

Recuperação em três meses de prática

Sofria de muitas doenças antes de praticar o Dafa, incluindo: taquicardia, assim como uma inflamação na região do peito, inflamação no revestimento dos pulmões, dor na vesícula biliar e no trato digestivo. Além disso, tinha um dos ombros restrito de movimentos, que limitava mexer o braço até certa altura.

Cerca de uns três meses de prática já me sentia recuperada de todas essas doenças. Meu corpo mais leve e meu coração cheio de felicidade.

Meu marido olhou para mim como se não pudesse acreditar no que via, assim pude também compreender o porquê! Experimentei uma mudança tão dramática, sendo que era difícil para que acreditasse também.

Agora já conseguia trabalhar em nossa fazenda, por isso meu marido aceitou um emprego como trabalhador migrante na cidade. Portanto ele não precisava mais se preocupar tanto com sua família no campo.

Relação familiar restabelecida

Por um lado, meus sogros e eu vivíamos em um estado de hostilidade, porque minhas doenças me impediam de trabalhar na fazenda. Por outro lado, acreditava que minhas doenças eram causadas pelo trabalho árduo no campo. Moramos em casas que ficam de frente uma para a outra, mas não conversávamos.

Minha prática no Falun Dafa foi fundamental para resgatar minha relação com meus sogros. Minha sogra costumava me provocar, porque eu nunca conseguia satisfazer as expectativas dela. Frequentemente, ela falava mal de mim para os vizinhos, até dizia para meu sogro me bater quando a desafiava verbalmente.

O Falun Dafa me permite entender o conceito de retribuição do carma. Compreendi que minhas doenças não eram coincidências, mas por causa de todas as más ações que fiz em uma vida passada. Provável que também maltratei meus sogros numa vida passada, sendo que agora eles me retribuiram com hostilidade, portanto tornando difícil nossa convivência.

Já não me ressentia mais com deles, pois me tornei cada vez mais compassiva e tolerante com eles. Minha sogra mudou comigo depois que percebeu minha transformação. Ela me aceitou, agora diz às pessoas que a nossa relação melhorou por causa da bondade do Falun Dafa.

Depois que a perseguição ao Falun Dafa começou em julho de 1999, meu sogro e meu cunhado repetiram a propaganda caluniosa contra o Falun Dafa transmitida pela televisão. Em vez disso, minha sogra ficou do meu lado e defendeu o Falun Dafa. Ela nunca disse uma palavra ruim sobre o Dafa até o dia em que ela faleceu pacificamente.

Experiências surreais

Fiquei indignada quando todos os meios de comunicação da China começaram a difamar o Falun Dafa, em 1999. Não conseguia entender por que uma pratica tão boa foi proibida na China. Outros praticantes foram a Pequim para apelar pacificamente ao governo para que fosse feita justiça em relação ao Falun Dafa. Meu marido me encorajou para ir a Pequim e dizer para o governo central que os meios de comunicação social estavam errados em relação ao Falun Dafa.

Portanto, decidi escrever uma carta ao gabinete de recurso de apelações e enviei uma cópia do e-mail a dois jornais que cometeram difamações contra o Falun Dafa.

A polícia me prendeu na estação ferroviária, antes que pudesse embarcar em um trem para Pequim, onde me deteve em uma subestação da polícia regional durante dois meses. Meu marido e minha filha me apoiaram e me encorajaram a ser firme e a salvaguardar o Dafa.

Meu nome foi incluído na lista negra e as autoridades locais me assediavam frequentemente.

Certa noite, quando estava em casa sozinha, um carro parou no portão. O chefe da subestação da polícia local e mais dois policias entraram na minha casa alegando que eu e um colega praticante fomos denunciados por distribuir panfletos do Dafa por toda a região.

Ficou claro para mim que ele estava mentindo, mas para proteger o praticante disse: "Não é verdade! Distribui todos, sozinha".

Durante a soneca da tarde, tive um sonho. O Mestre Li me disse para levantar a palma da mão direita em frente ao meu peito, quando estivesse em apuros. Por isso, mantive a palma da mão direita erguida no peito.

Abriram armários e gavetas para procurar panfletos, mas não encontraram nenhum. Ele disse que eu tinha afixado panfletos e pediu para mostrar um. Apenas respondi que não me restava nenhum, porque foram para as pessoas lerem.

Eles procuraram por um tempo e não encontraram nada. O chefe da polícia me disse para baixar a palma da mão porque ele tinha medo, mas o ignorei.

Quando saíram, um dos policiais ao pisar em falso machucou o tornozelo. Ele se virou e olhou para mim com uma expressão atônica, perguntando se isso era uma vingança. Respondi que era apenas um aviso.

Antes de entrarem no carro, o chefe da polícia me pediu que os protegesse no regresso ao gabinete, por não me prenderem naquela noite. Disse apenas para que fizessem boas ações, que ficariam seguros.

Abaixei a palma da minha mão depois que eles sairam. Durante essa inspeção policial, não tive medo nem pensamentos impuros.

Uma família solidária

Meu marido e minha filha não são praticantes, mas me apoiam sempre. Meu marido me acompanhava frequentemente para distribuir panfletos à noite. Quando fui presa por falar sobre o Falun Dafa com estranhos, ele exigiu minha libertação. Ele também me ajudava a fazer banners.

Alguns anos atrás minha filha se casou. Meu genro também experimentou a beleza do Falun Dafa e gradualmente juntou nossos esforços para que as pessoas soubessem que o Dafa é bom. Eles escolheram certamente um futuro brilhante para eles.

Também imprimimos materiais e panfletos do Falun Dafa em casa. Desde que começamos o trabalho de impressão, flores de udumbara apareciam todos os anos nas folhas dos milhos, nas folhas de abóbora, nos vidros das janelas e na nossa parede de tijolos.

Transformando-se em uma cultivadora genuína

Olhando para trás, se passaram quase duas décadas em um piscar de olhos, vendo que mudei de uma pessoa comum que não fazia ideia do que se tratava o cultivo, para uma verdadeira praticante do Falun Dafa.

Ainda percebo muitas falhas e apegos dentro de mim. Portanto, sei que ainda não cumpri o padrão necessário. No entanto, nunca pensei em desistir da prática de cultivo.

O Falun Dafa me devolveu a saúde, harmonizou minha família, me iluminou sobre a prática do cultivo, deu oportunidades de salvar pessoas e fazer parte da retificação do Fa.

Praticar o Falun Dafa é uma experiência muito maravilhosa.