Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Recordação: Mestre Li ensina o Falun Dafa na Suécia durante a Páscoa

27 de Abril de 2021 |   Pelo correspondente do Minghui, Ping He

(Minghui.org) A Páscoa é um feriado solene no ocidente, somente sendo superado pelo Natal. Esse dia de esperança também tem grande significado para os praticantes do Falun Dafa na Suécia.

Há 26 anos, durante a Páscoa em abril de 1995, o Mestre Li Hongzhi, fundador do Falun Dafa (também conhecido como Falun Gong), visitou Gotemburgo, Suécia, e ensinou a disciplina espiritual ao longo de sete dias. Com essas aulas os moradores locais puderam ouvir falar do Falun Dafa pela primeira vez.

A Dra. Wang, uma praticante profissional de medicina tradicional chinesa que tinha se estabelecido em Gotemburgo, convidou o Mestre para dar uma palestra na Suécia. Aqueles dias ainda estão vívidos em sua memória e na de sua filha.

Mestre Li guia e corrige os movimentos das mãos dos alunos enquanto ensina Falun Dafa em Gotemburgo, em abril de 1995

Convidando o Mestre Li para a ir à Suécia

A Dra. Wang estabeleceu-se na Suécia no início dos anos 90 e montou uma clínica em Gotemburgo. "Pratiquei muitos tipos de qigong e gastei muito dinheiro", recordou a Dra. Wang. "Quando regressei à China para visitar familiares no verão de 1994, vi pessoas praticando Falun Dafa no Parque Zhongshan, em Pequim. Fui atraída pela música maravilhosa.

"Depois de ter feito os exercícios, senti-me muito bem. Mais tarde, soube que o Mestre Li iria dar uma aula em Jinan, província de Shandong. A aula seria realizada dias antes do meu regresso à Suécia... Tivemos a sorte de assistir à palestra do Mestre em Jinan, em 1994.

"Após a aula, meu coração e minha visão do mundo mudaram muito. Muitas perguntas que me intrigaram durante anos foram respondidas. Regressei à Suécia me sentindo feliz. Queria muito compartilhar a beleza e os benefícios da prática do Falun Dafa com os suecos, um povo tão honesto e amável."

Quando a Dra. Wang soube que o Mestre Li iria ensinaria na França em março de 1995, contatou praticantes de lá e convidou o Mestre para ir à Suécia. O Mestre concordou. Ela disse: "Fiquei muito feliz em saber que o Mestre vinha para a Suéciae rapidamente comecei a me preparar.

"Eu havia organizado vários workshops de saúde em Gotemburgo, por isso conhecia muitas pessoas interessadas na cultura tradicional chinesa e na medicina chinesa. Disse a todos os conhecidos que o fundador do Falun Dafa estava vindo para a Suécia. Também anunciei o evento."

Quando ela se lembrou da cena do Mestre Li ensinando milhares de estudantes em uma aula na China, a Dra. Wang ficou apreensiva. Quando ela ligou para o Mestre, ele lhe garantiu que tudo iria dar certo. Cerca de 120 pessoas foram ao seminário de sete dias em Gotemburgo; 20 eram da França e as restantes eram da Suécia.

A compaixão do Mestre Li

Durante a aula, a Dra. Wang notou que o Mestre Li estava muito descontraído. Ela recordou: "Quando o Mestre veio à Suécia, trouxe a sua própria comida, uma caixa de macarrão instantâneo. O Mestre não queria incomodar os alunos e pensava sempre nos outros.

"O mestre chegava cedo antes de cada palestra e estava sempre bem vestido. Com o objetivo de ajudar os estudantes ocidentais a compreender o máximo possível, o Mestre explicava repetidamente os princípios e respondia pacientemente as perguntas dos estudantes até todos compreenderem.

"O Mestre demonstrou as cinco séries de exercícios. Depois, foi até cada aluno e corrigiu pacientemente os movimentos das mãos de todos. Antes de sair da Suécia, o Mestre visitou os praticantes no local de prática do grupo para ajudar a corrigir seus movimentos das mãos. O Mestre sempre pensava nos outros."

Outra coisa impressionou a Dra. Wang: "Devido à falta de pessoas para ajudar e muito trabalho envolvendo a turma, as vezes eu ficava um pouco impaciente quando respondia as perguntas dos alunos. Um dia, o Mestre me chamou em particular e apontou seriamente o problema. Eu sabia que estava errada e lamentei muito".

Ela disse com emoção: "Agora, quando não me conduzo bem, ouço a voz do Mestre nos meus ouvidos, lembrando-me que devo ser gentil para com os outros. Eu sei o que fiz de errado e corrijo rapidamente".

Mãe e filha afortunadas

Anna, que trabalha em um jardim de infância, recordou a cena de 26 anos atrás: "Eu estava grávida da minha filha, foi cerca de um mês antes do parto. Eu estava na aula de cuidados de saúde pediátrica de medicina chinesa ministrada pela Dra. Wang. Ouvi dizer que o Mestre Li Hongzhi viria à Suécia para ensinar.

"Senti que o Mestre Li era especial e decidi imediatamente me inscrever. Mas eu queria muito que alguém me acompanhasse. Então liguei para minha mãe. Ela queria participar, mas sofria de dor nas costas e estava muito difícil de se deslocar. Liguei novamente para a Dra. Wang. Ela me disse para pedir à minha mãe que fizesse o possível para assistir à aula.

"A minha mãe veio, mas dirigindo curvada e sentadano meio do banco do motorista", disse Anna.

"Para que compreendêssemos, o Mestre explicava repetidamente os princípios. Embora não conseguisse compreender muito na hora, conseguia sentir a profundidade.

"Durante a palestra, minha mãe e eu frequentemente nos olhávamos admiradas. O Dafa nos mostrou um mundo totalmente novo. Eu estava sempre à procura de coisas espirituais, mas não conseguia decidir o que precisava. Naquele momento, compreendi que o que eu estava esperando era o Falun Dafa," disse Anna enquanto sorria alegremente.

"Temos tanta sorte em praticar o Dafa". Compreendo o sentido da vida e aprendi a olhar para dentro [para as deficiências] quando enfrento conflitos. Não consigo encontrar palavras para expressar a minha gratidão ao Mestre e ao Dafa."

Anna ficou triste quando o Partido Comunista Chinês (PCC) começou a perseguir o Falun Dafa em 1999 e a espalhar mentiras para difamar o Dafa. Ela disse: "O Dafa é tão bom". Ninguém pode me impedir de praticar". Essa perseguição é inaceitável. Quero dizer a todo o mundo que o Falun Dafa é bom. Espero que as pessoas possam aprender sobre o Falun Dafa e não se deixem enganar pelas mentiras do PCC".

Anna (à direita) e a sua mãe Christina (à esquerda) praticam os exercícios do Falun Dafa.

Experiência extraordinária com o Dafa

Aos 75 anos de idade, Christina tem uma pele delicada e lisa com uma aparência sempre radiante. Ela émuito grata ao Mestre Li por ter arranjado para que sua filha Anna a chamasse.

"Lembro-me de quando recebi a ligação", disse ela, "senti que alguém muito especial iria aparecer na vida de Anna. Eu sofria de dores lombares na época. Há mais de dez dias que mal conseguia me mexer. Mas eu realmente não queria perder essa oportunidade, por isso aguentei a dor e dirigi até lá. Demorei três horas!"

Ela sorriu alegremente. "Lembro-me claramente da analogia do Mestre sobre uma garrafa cheia de água suja. Quando a tradução não era exata, o Mestre Li sabia. Por isso repetia o que havia dito e explicava melhor. As questões levantadas pelos estudantes eram muito básicas, até mesmo um pouco ingênuas. O Mestre respondia com compaixão e paciência. Ninguém no mundo pode explicar claramente a relação entre a vida e o universo, exceto o nosso Mestre", disse ela.

"Durante a aula, o Mestre emitiu muita luz pura e transparente, que era uma energia muito forte para ajustar os nossos corpos. Depois da aula ter terminado, eu estava de bom humor e sentia meu corpo leve.

"Entrei no meu carro e voltei para casa. As dores nas costas que tinham me perturbado por mais de meio mês desapareceram", disse ela com lágrimas nos olhos.

"Eu sabia que o Mestre havia limpado o meu corpo e que tinha vindo nos salvar." Essa prática é extraordinária. Minha gratidão ao Mestre está além das palavras."

Christina segue os princípios Verdade, Compaixão e Tolerância em sua vida diária. Ela olha para dentro procurando suas falhas quando enfrenta conflitos. A sua saúde continuou a melhorar e o seu temperamento e caráter também mudaram. O seu marido Leif ficou surpreso.

Christina disse: "Eu disse a ele que o livro Zhuan Falun (o texto principal do Falun Dafa) me fez mudar. Mais tarde, ele leu o livro. Ele começou a aprender os exercícios e a praticar o Falun Dafa. Ele também abandonou seus hábitos de caçar e beber, que duraram décadas. Se ele não tivesse praticado o Dafa, teria sido impossível para ele abandoná-los. O Dafa é milagroso e realmente maravilhoso.

Todos os artigos, gráficos, e conteúdos publicados em Minghui.org estão protegidos por direitos autorais. A reprodução não comercial é permitida, mas requer atribuição com o título do artigo e um link para o artigo original.