Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Concurso de pôsteres expõe a extração forçada de órgãos na China

8 de Fevereiro de 2021 |   Por Li Huirong, um correspondente do Minghui em Taiwan

(Minghui.org) Entre os dias 17 a 19 de janeiro de 2021, foi realizada em Taipé, uma exposição de pôsteres sobre os crimes de extração forçada de órgãos do Partido Comunista Chinês (PCC), o objetivo dessa exposição era chamar a atenção do público.

A Associação de Taiwan para o Tratamento Internacional de Transplantes de Órgãos (TAICOT), a Associação Coreana para Transplantes de Órgãos de Forma Ética e a rede japonesa, Pare o Genocídio Médico (SMG) organizaram a competição de pôsteres, a qual atraiu inscrições de artistas de todo o mundo. Os trabalhos vencedores foram exibidos na sala branca do Centro de Exposições Nangang em Beitou, Taipé.

A Associação de Taiwan para o Tratamento Internacional de Transplantes de Órgãos (TAICOT), a Associação Coreana para Transplantes de Órgãos de Forma Ética e a rede do Japão Pare o genocídio Médico (SMG) realizaram um concurso de pôsteres para impedir a extração forçada de órgãos do Partido Comunista Chinês

Stan, do popular canal do Youtube “Stan da Polônia fala chinês”, disse em sua mensagem para a cerimônia de premiação que espera que através do concurso, mais pessoas aprendam sobre as ações ilegais do PCC

O evento atraiu participantes de 70 países. Muitas pessoas têm seguido as violações dos direitos humanos na China e os crimes do regime de extração forçada de órgãos.

Stan, do popular canal do Youtube “Stan da Polônia fala chinês”, disse que todos sabem que o PCC é uma organização criminosa. Ele espera que mais pessoas fiquem sabendo das ações ilegais do regime por meio do concurso.

Através dos pôsteres um médico jovem aprende sobre extração forçada de órgãos

Um médico jovem que compareceu à exposição de pôsteres disse que certa vez leu um relatório sobre uma criança na China cuja córnea foi secretamente removida. A criança ficava perguntando por que sempre estava escuro. O médico ficou intrigado: "Como algo assim pode acontecer?". Ele tinha um dia de folga e o local da exposição de pôsteres era próximo, então ele decidiu visitá-la para saber mais sobre a extração forçada de órgãos na China.

Um praticante do Falun Gong que se ofereceu para explicar os pôsteres aos visitantes disse ao médico que a extração de órgãos é um negócio lucrativo na China e que os oficiais do PCC traíram suas consciências ao participarem desses crimes. Foi assim que a córnea da criança desapareceu.

O praticante também disse ao médico que muitos praticantes do Falun Gong, ao serem detidos, foram submetidos a exames para ver se o sangue e tipo de tecido correspondiam aos das pessoas que buscavam transplantes de órgãos. Os praticantes poderiam ser mortos a qualquer momento para atender à demanda e seus corpos seriam cremados enquanto ainda estavam vivos para destruir as evidências dos crimes.

O pôster que ganhou o prêmio de ouro retratava pontos cirúrgicos feitos às pressas. O médico disse: "Esta não é uma operação normal e profissional. É como atropelar o corpo humano!".

O médico já viu uma mãe e seu feto expostos em uma exposição corporal. Ele se perguntou quem consentiria que esses corpos fossem transformados em espécimes para exibição. Depois de ver os pôsteres, finalmente, ele entendeu que as partes do corpo dos prisioneiros na China foram extraídas à força.

Ele pegou algumas informações adicionais sobre a extração forçada de órgãos e disse que queria contar a seus amigos sobre isso.

Os crimes de extração de órgãos do PCC são mais cruéis do que o massacre dos judeus por Hitler

Tien Chiu-chin, um membro do Controle Yuan de Taiwan, disse que os crimes de extração forçada de órgãos do PCC foram ainda mais horríveis e brutais do que o massacre de Hitler contra os judeus.

Ela disse que, de acordo com a lei de Taiwan, as origens dos órgãos devem ser claramente conhecidas e que existe um sistema de registro. Os pacientes precisam esperar muito tempo por um órgão compatível. Mas se você puder obter um dentro de uma ou duas semanas na China, seja um coração, fígado, rim ou pulmão, isto não implica que existe um enorme banco de órgãos vivos nos bastidores?

Ela espera que mais pessoas aprendam sobre os crimes de extração forçada de órgãos do PCC.

Participar do concurso é ajudar a impedir a extração forçada de órgãos

Bahram Gharavi, do Irã, foi o ganhador do prêmio de ouro

Bahram Gharavi, um designer gráfico do Irã, ganhou o prêmio de ouro. Ele disse: "Eu vi as informações sobre a competição online de pôsteres. O tema era único, mas chocante. Nunca tinha ouvido falar da extração forçada de órgãos dos prisioneiros na China e achei isso inconcebível. Infelizmente, isso é sancionado pelo Estado, além do âmbito de um indivíduo ou de uma pequena organização".

Mo Qilin, ilustrador taiwanês que participou do concurso, disse que participou do evento porque justiça e consciência são os valores mais importantes para as pessoas e a humanidade. Ele se sentiu honrado em participar para impedir as atrocidades. Ele espera que o PCC entre em colapso em breve.

Pessoas de todas as camadas sociais elogiam o concurso pela exposição das brutalidades do PCC através da criação artística

Huang Kuo-chang, membro do Legislativo Yuan, disse que todo trabalho demonstra preocupação com os direitos humanos. É o maior protesto contra o regime totalitário comunista

Huang Kuo-chang, membro do Legislativo Yuan, disse que há dez anos, ouviu falar da extração forçada de órgãos. Ele disse que toda obra mostra preocupação com os direitos humanos e é o maior protesto contra o regime totalitário comunista.

Ele disse: " Falando honestamente, fiquei muito, muito surpreso. Isso é totalmente desprovido de humanidade, para não falar que vai contra os tratados internacionais de direitos humanos. Não se pode imaginar que isso continue ocorrendo no século 21".

Ele disse que todos os perpetradores devem ser denunciados e acredita que a justiça prevalecerá. "Acredito que, bravamente, mais e mais pessoas se levantarão contra isso," ele disse.

Li Shengyuan, presidente da Associação Coreana de Transplantes de Órgãos de Forma Ética

Li Shengyuan, presidente da Associação Coreana para Transplantes de Órgãos de Forma Ética, disse que a competição recebeu mais de 1.000 inscrições. Ele afirmou: "Quer tenham ganhado um prêmio ou não, todos os participantes ficaram ao lado da justiça. É uma grande potência que luta contra as injustiças".

Chen Yi-chi, presidente do Partido Construtor do Estado de Taiwan

Chen Yi-chi, presidente do Partido Construtor do Estado de Taiwan, disse: "Aqueles que participaram do concurso estão de fato expondo e deixando mais pessoas saberem sobre as brutalidades do PCC".

Ele disse: "Elaborar o pôster está ajudando mais pessoas a saberem sobre a natureza maligna do governo do PCC. De fato, vocês estão expondo as brutalidades do regime".

O premiado documentarista taiwanês Kevin Lee

O premiado documentarista taiwanês Kevin Lee pediu às pessoas que não ignorassem os crimes do PCC e, em vez disso, se levantassem para impedir a perseguição do regime.

Kevin disse: "Falando do mal, muitas pessoas dizem que ele nunca prevalecerá sobre o bem. Todos concordamos com isso. Mas o mal não entrará em colapso por si só. Em 1933, durante a Alemanha nazista, muitas pessoas pensaram que os nazistas não iriam atropelar os direitos humanos. Mais tarde, soubemos que os judeus foram perseguidos. Muitas pessoas pensaram que apenas os judeus eram vítimas, mas depois sabíamos que não era o caso".

“Quando vemos tibetanos sendo mortos pelo PCC, os órgãos dos praticantes do Falun Gong sendo extraídos à força, os uigures sendo presos em campos de concentração, muitas pessoas acham que essas coisas não acontecerão com elas. Se continuarmos a ignorar esses crimes, essas atrocidades continuarão a se espalhar. Se não as enfrentarmos, um dia isso acontecerá conosco".

Ele disse: "Como designers, seus pensamentos e criações perspicazes são como flechas retas penetrando o firewall erguido pelo PCC".

Roubar órgãos é o maior crime que ameaça a humanidade

Hubert Körper, porta-voz do grupo de trabalho da Sociedade Internacional para os Direitos Humanos (IGFM em alemão), disse em um comunicado que roubar órgãos é um dos maiores crimes que ameaçam a humanidade.

Ele disse que, de acordo com relatórios confiáveis, de 60.000 a 100.000 transplantes de órgãos são realizados na China anualmente. Especialistas dizem que a maioria dos órgãos vem de prisioneiros políticos e, em particular, dos praticantes do Falun Gong, uigures, tibetanos e cristãos de igrejas familiares.

Körper também disse que o relatório final divulgado pelo Tribunal de Londres em junho de 2019 concluiu que o ato de matar prisioneiros por causa da extração forçada de órgãos está ocorrendo na China há um período de tempo considerável e que o número de vítimas é significativo. O IGFM acha que o PCC continua a dar ordens para matar os prisioneiros em larga escala. Muitas evidências sugerem que o PCC cometeu genocídio e crimes contra a humanidade.

O professor Li Huige, membro do Departamento de Farmacologia da Universidade Johannes Gutenberg de Mainz, na Alemanha, disse que a China vem realizando transplantes utilizando órgãos provenientes de prisioneiros inocentes desde o ano 2000. Este é um crime contra a humanidade. Infelizmente, atualmente, isto ainda está acontecendo e já vem ocorrendo há muito tempo. Não é porque o mundo tenha tolerado isto por muito tempo, mas sim porque as pessoas sabem muito pouco sobre o assunto. Para deter isto, mais pessoas precisam saber sobre a verdade.

Membro do Parlamento na Alemanha apela às pessoas para que parem a extração forçada de órgãos

Sebastian Brehm, um membro do Parlamento na Alemanha, disse que a extração forçada de órgãos é uma forma chocante e desumana de abate e não deve ser aceita.

Ele disse que a maioria das vítimas são praticantes do Falun Gong.

Desde julho de 1999, milhões de praticantes do Falun Gong foram presos e detidos arbitrariamente pelo PCC na China. Muitos foram torturados e até mortos. Mais de 1.000 hospitais na China agora são especializados em cirurgias de transplante de órgãos. A espera por um órgão na China é de vários dias e, no máximo, algumas semanas, enquanto em outros países a espera geralmente é de vários anos.

Brehm disse que ninguém tem o direito de tirar uma vida em troca de outra. O direito de viver é um valor universal e deve ser protegido.

Ele pediu ao regime chinês que respeite as normas internacionais, as quais o regime assinou, obedeça aos Pactos Internacionais sobre Direitos Civis e Políticos da ONU, pare imediatamente a perseguição ao Falun Gong, liberte todos os praticantes detidos e outros prisioneiros religiosos, e pare a extração forçada de órgãos.

Um artista de Taiwan espera que mais artistas se unam para impedir a extração forçada de órgãos

Pocia Wang-Becker, um artista taiwanês que mora na Alemanha, disse que a extração forçada de órgãos do PCC é um negócio sangrento. Ele ficou feliz por tantos artistas terem exposto essa atrocidade através das artes e atraído a atenção global. Ele espera que no futuro mais artistas retos se unam para impedir essa transgressão gravíssima.