Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Histórias da China antiga: O perigo da luxúria

4 de Janeiro de 2021 |  

(Minghui.org) As pessoas na China antiga acreditavam que, entre todas as transgressões que impediam alguém de se tornar virtuoso, a luxúria era a pior. Muitas histórias foram escritas como aviso do perigo da luxúria, conforme ilustrado nas duas histórias a seguir.

A primeiro relata a história de um estudioso que quase perdeu a chance de avançar na carreira por causa do seu fracasso em se proteger contra a luxúria [1]. A segunda, de You Yang Za Zu [2], é sobre Xu Xun, uma das divindades famosas da religião taoista. Como o único discípulo a passar no teste da luxúria, Xu foi selecionado para ajudar o seu mestre a matar o demônio das cobras.

Um estudioso e a sua missão

Na antiga China, o sucesso de um homem era, em grande parte, medido em termos da sua capacidade de passar os diferentes níveis nos exames oficiais. Quanto mais exames ele passasse, maior a posição que receberia no governo.

Havia um estudioso em Shandong chamado Lin Changkang. Ele passou no exame de primeiro nível no início de sua vida, mas aos 40 anos, ainda não podia passar no exame de segundo nível. Um dia, desesperado, pensou em desistir da sua carreira. De repente, ele ouviu uma voz próxima dele dizer: “Por favor, não desanime!”.

Aterrorizado, Lin perguntou: “Quem está aí?”.

A voz respondeu: “Eu sou um fantasma. Eu o tenho seguido nos últimos anos”.

Lin pediu ao fantasma para se mostrar. A princípio, o fantasma recusou. Após Lin lhe pedir repetidamente, o fantasma disse: “Eu posso me mostrar, mas por favor, ao me ver não tenha medo”. Lin concordou.

O fantasma apareceu coberto de sangue e se ajoelhou na frente dele. “Eu sou um camponês. Um homem do condado de Ye, alguém de sobrenome Zhang, me assassinou e deixou meu corpo sob o moinho de pedra do lado de fora do Portão Leste. Senhor, você no futuro se tornará o magistrado do condado de Ye. É por isso que o tenho seguido e servido você secretamente na esperança de que você faça justiça no meu caso”. 

O fantasma também disse a Lin em que ano ele passaria no exame de segundo nível e em que ano ele passaria no exame imperial. Então o fantasma desapareceu. Quando chegou a hora, como o fantasma havia predito, Lin passou no exame de segundo nível. No entanto, ele não passou para o nível seguinte no momento em que o fantasma havia previsto.

“Quando se trata de fama e fortuna, como um fantasma pode saber tudo!”, suspirou.

“É a sua má conduta, não foi minha culpa, o que eu lhe disse não estava errado!”, do nada, veio a voz do fantasma pronunciou. “Você fez sexo ilícito com uma viúva num determinado dia. Ninguém mais neste mundo sabe disso, mas foi gravado no mundo subterrâneo. Já está perdoado, mas agora precisa esperar mais dois anos para passar no exame imperial”.

Lin ficou chocado ao saber que todos os atos foram registrados. Lamentando o seu comportamento, a partir desse momento se tornou virtuoso e teve um cuidado especial quando se tratava da luxúria. Dois anos depois, ele passou no exame imperial e foi nomeado magistrado do condado de Ye.

Quando chegou ao posto, saiu para patrulhar a cidade. Ele viu um moinho de pedra do lado de fora do Portão Leste, exatamente como o fantasma havia lhe descrito. Ele ordenou que a pedra fosse removida e um cadáver foi descoberto debaixo dela. Lin convocou e interrogou Zhang, a quem o fantasma havia mencionado. Zhang admitiu o assassinato e foi punido de acordo com a lei.

O taoista que matou o demônio da cobra

Diz-se que Xu Xun foi discípulo de Wu Meng, um famoso mestre taoísta da dinastia Jin (266–420 d.C.). Uma vez acompanhado por mais de uma centena de discípulos, Wu foi a Jiangdong para se livrar dos demônios cobra da região. Ao chegarem a um lugar chamado Gao'an, Wu ordenou que seus discípulos preparassem 45 quilos de pedaços de carvão de igual comprimento e os deixassem no altar.
À noite, os pedaços de carvão se transformaram em moças de vestidos brancos. Elas foram até os discípulos de Wu e tentaram seduzi-los. Na manhã seguinte, Wu inspecionou seus discípulos e descobriu que apenas as roupas de Xu não apresentavam marcas pretas de carvão. Confiando que Xu era virtuoso e capaz, Wu o levou ao lugar onde um enorme demônio de cobra assombrava as pessoas. Quando ele apareceu, Xu pegou uma espada e matou o monstro. Mais tarde, Xu se tornou uma das divindades mais reverenciadas na religião taoísta.

Referências
[1] Esta história vem da obra Censurado por Confúcio: Histórias de fantasmas de Yuan Mei (1716-1798 a.C.)
[2] You Yang Za Zu é uma enciclopédia escrita por Duan Chengshi, durante a Dinastia Tang (618-907 a.C.)