Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

[Celebração do Dia Mundial do Falun Dafa] Austrália: Praticantes do Falun Dafa agradecem ao fundador por ensinar o Fa na Conferência de Sydney há 21 anos

24 de Maio de 2020 |   Por um correspondente do Minghui na Austrália

(Minghui.org) A Conferência de Compartilhamento de Experiência na Austrália foi realizada no Centro de Convenções Internacional de Sydney Darling Harbour, de 2 a 3 de maio de 1999. Cerca de 2700 pessoas da Austrália, América, Canadá, Suécia, Tailândia, Tailândia, Japão, Nova Zelândia, Cingapura, Hong Kong Macau, Indonésia, China e outros países ouviram o Mestre dar palestras e responder a perguntas sobre o Falun Dafa e o cultivo.
Sr. Li Hongzhi, fundador do Falun Dafa, veio a Sydney em maio de 1999 para dar uma palestra.

O Sr. Li Hongzhi, fundador do Falun Dafa, veio à Sydney em maio de 1999 para proferir uma palestra.

Essa foi a terceira vez que o Mestre Li veio à Austrália para ensinar o Fa. A palestra foi posteriormente publicada como "Ensinando o Fa na Conferência do Fa na Austrália". Muitos que participaram do evento praticavam o Falun Dafa apenas por um curto período de tempo. Vários disseram que foi um momento decisivo em suas vidas. Aqueles que estavam praticando há mais tempo disseram que depois começaram a levar a prática a sério e a praticar diligentemente.

Mesmo que 21 anos tenham passado, para quem assistiu parece que foi ontem.

A formação dos caracteres foi um dos eventos durante a conferência do Sydney Fa em 1999

Cerca de 2.700 pessoas participaram do Fahui da Austrália, realizada em Sydney, em maio de 1999.

Praticante: “Mestre Li é um professor sábio que veio aqui para salvar pessoas”

John Deller, praticante ocidental e porta-voz da Associação do Falun Dafa na Austrália, participou da conferência em 1999. Ele lembrou naquele dia: “Ao ouvir o Mestre, soube imediatamente que ele era um sábio professor aqui para salvar seres sencientes. Eu não queria sair quando o evento terminou. Eu me senti cercado por um campo de energia brilhante cheio de compaixão. Quando li o livro principal do Falun Dafa, Zhuan Falun, o Mestre mencionou que a Verdade, Compaixão e Tolerância é a característica do universo, minha mente se abriu naquele instante. Eu pensei: Isso é algo que beneficiará a todos. O coração de alguém será tocado pelas palavras em Zhuan Falun. Pode ajudar a entender o significado mais profundo da vida'".

Janine Rankin, de Melbourne, praticou o Falun Dafa apenas por três meses, quando participou da conferência e viu o Mestre Li. Ela disse que viu muitas cenas magníficas em outras dimensões, que estão indelevelmente gravadas em sua memória.

Ela procurava uma maneira de se tornar mais espiritual desde os 16 anos. “Eu tinha certeza de que havia um reino acima do nível humano. Chegamos a este mundo com um objetivo”, disse ela. Ela viajou pelo mundo e tentou todos os tipos de práticas espirituais. Quando ela tinha 50 anos, ela ainda não havia encontrado nada. “Mas eu estava claramente ciente de que o mundo estava se movendo para trás e os padrões morais estavam em declínio. Os corações humanos gradualmente perderam seus valores universais e natureza pura.

“Lembro-me claramente daquele dia de fevereiro de 1999, quando fui a um local de prática do Falun Dafa pela primeira vez. Foi o primeiro grupo de exercícios ao ar livre em Melbourne. Meu corpo inteiro estava envolto em um forte campo de energia. Eu estava muito empolgada. Eu sabia que finalmente o encontrara. Chorei incontrolavelmente por um longo tempo.

Logo depois, Janine soube que o Mestre estava vindo para a Austrália. Inicialmente, ela não planejava ir a Sydney por várias razões, sendo as despesas de viagem uma delas. Ela disse: “Senti um choque no coração um dia. Algo me disse que eu deveria ir. Assim como um milagre, o problema das minhas despesas de viagem foi resolvido”.

Ela lembrou: “Quando o Mestre entrou no corredor e sentou-se na tribuna, fiquei surpreso ao descobrir que todo o seu corpo era transparente. Eu não podia acreditar no que vi. O Mestre continuou enfatizando a importância de estudar os ensinamentos em sua palestra, bem como durante a sessão de perguntas e respostas. Estas são as partes que me deixaram com a impressão mais profunda.

“O Mestre abriu meus olho celestial antes de eu entrar na conferência. Pude ver muitos níveis de moléculas e cenas maravilhosas em outras dimensões. Este foi um testemunho do que o Mestre disse em seus ensinamentos. Depois da conferência, meu terceiro olho se fechou. Para mim, esse foi o começo da prática do cultivo seriamente.

“O Mestre nos ensinou o Falun Dafa, que é tão precioso. Minha mente e meu corpo se beneficiaram da prática. Não encontro palavras para descrever minha gratidão.

Ao longo desses anos, além de ser diligente no cultivo, Janine também participou e organizou muitos projetos para promover o Falun Dafa, além de aumentar a conscientização sobre a perseguição na China. Ela disse: "Atualmente, estou entrando em contato com escolas primárias e secundárias em Melbourne. Espero que, compartilhando minhas experiências na prática, professores e alunos apreciem o quão maravilhosos são os ensinamentos e o que é a verdadeira eternidade”.

Praticante em Brisbane: Locais de prática local se multiplicam após a Conferência de Sydney

William Luo, praticante chinês em Brisbane, começou a praticar o Falun Dafa em 1998. Atualmente, é o coordenador da Associação do Falun Dafa de Queensland.

Ele disse que o Mestre Li foi primeiro a Brisbane, antes de ir para Sydney. Ele se encontrou com praticantes locais em uma pequena sala de reuniões na tarde de 28 de abril de 1999 e respondeu a perguntas sobre cultivo.

Éramos todos novos praticantes na época e fizemos perguntas básicas. Mas o Mestre pacientemente respondeu. Perguntei ao Mestre como saberia se meu entendimento dos princípios que ele ensinava estava certo ou errado. A ideia geral do que ele disse era: desde que eu olhasse para as coisas com pensamentos retos, isso não seria errado. Eu guardei essas palavras em meu coração todos esses anos e elas me ajudaram tremendamente. Percebi que, enquanto agir de acordo com a verdade, a compaixão, a paciência, não me extraviaria. Toda vez que entrei em conflito, usei esses princípios como meu guia”.

Segundo William, a maioria dos praticantes que compareceram à reunião naquele dia eram membros-chave ativos na promoção da prática. Apesar dos altos e baixos nos últimos 20 anos, a maioria continuou a praticar e aumentaram a conscientização sobre a perseguição.

Após a conferência de Sydney, para informar mais pessoas sobre o Falun Dafa, os praticantes locais decidiram se afastar de New Farm, o único local de prática em Brisbane na época. Cerca de 40 praticantes montaram grupos perto de suas casas. Ele disse que essa medida aumentou o número de locais de prática do Falun Dafa em Brisbane para 20. No próprio estado de Queensland, existem ainda mais locais. Hoje, ainda são fortes, e novas pessoas vêm de tempos em tempos.

Praticante de Melbourne: uma experiência inesquecível

Antes de participar da Conferência de Sydney, John Xiao, CEO de um órgão de mídia chinês independente, havia aprendido apenas recentemente os exercícios. Ele disse: "Foi uma experiência extraordinária".

John era professor de uma escola secundária em Sydney naquela época. Ele experimentara vários tipos de qigong e procurava um verdadeiro meio de cultivo. Um dos pais de seu aluno falou sobre o Falun Dafa. Ele aprendeu a fazer os exercícios, mais ou menos. Mas sua compreensão da prática era bastante superficial. Quando soube que o Mestre daria uma palestra, ele imediatamente pegou um trem para o local da conferência.

Ele disse: “No segundo dia, o Mestre pediu aos participantes que enviassem suas perguntas. Eu não tinha caneta ou papel comigo. Fiquei surpreso que, embora ninguém tenha levantado perguntas semelhantes ao que eu tinha em mente, como o Mestre respondeu uma pergunta não relacionada, ele respondeu ao que eu queria perguntar de passagem. Além disso, como ele estava explicando o problema, mesmo que eu estivesse sentado atrás, senti como se ele estivesse olhando para mim. Estávamos tão distantes. Eu era apenas um pequeno ponto na platéia. No entanto, através da voz dele e do olhar dele, entendi: 'Estou respondendo sua pergunta'. Ainda hoje, essa memória ainda está fresca em minha mente.

“Tive outro incidente extraordinário após a conferência. No trem para casa, conheci um jovem casal com um filho. Depois de iniciar uma conversa, soube que eles também estiveram na conferência e moravam perto de mim. Eles tinham praticado o Falun Dafa por algum tempo. Fiquei muito feliz, pois não conhecia outros praticantes que moravam no meu distrito. Comecei a ir ao parque perto da casa deles e fizemos os exercícios juntos”.

John tornou-se um praticante constante após a conferência. Ele disse: “Todos esses anos, eu nunca vacilei em minha fé, não importando as dificuldades em que me deparei, porque sei o que o Mestre ensinou é a verdade. Em situações difíceis ou sempre que me sinto derrotado, encontro orientação nos livros do Mestre. Eu descobri que tudo acontece por uma razão. Através das adversidades, encontro meus apegos e progrido no cultivo. Minha experiência é que, estudando os ensinamentos de forma consistente, obteremos a sabedoria necessária para resolver todos os problemas”.

Praticante de Sydney relata a graça do Mestre

Luo Mingqing, praticante em Sydney, é um dos poucos praticantes que assistiram às três palestras do Mestre em Sydney.

Olhando para trás, ele disse: “Eu estava ansioso por ouvir do Mestre como poderíamos melhorar o cultivo e informar mais pessoas sobre essa prática maravilhosa. Através das palestras do Mestre e da sessão de perguntas e respostas, adquiri uma compreensão mais profunda dos ensinamentos”.

Luo começou a ler Zhuan Falun no início de 1996. Ele estava ensinando um qigong na época. “No Zhuan Falun, o Mestre explicou as razões por trás dos fenômenos experimentados por quem pratica outras formas de qigong e o processo de cura de doenças. Ele respondeu todas as minhas perguntas e revelou princípios mais profundos do universo. Eu pensei que ele era notável e eu realmente o respeito”, disse ele.

"Ao participar de várias conferências do Mestre na Austrália, observei como ele está preocupado com o progresso do cultivo de todos os praticantes. Sinto-me afortunado por tê-lo encontrado.

Praticante de Melbourne compartilha histórias de cultivo de duas décadas

Angela, 70 anos, é praticante em Melbourne. Originalmente da Malásia, ela já foi uma budista devota.

Ela disse: “Todos os membros da minha família seguiram o budismo ou o taoísmo. Então, depois que minha família de quatro pessoas se mudou para a Austrália, fui voluntária em um templo. Era trabalho duro. De manhã, depois de deixar meus filhos na escola, eu ia ao templo trabalhar e não parava até a hora de buscá-los. À noite, depois de fazer o jantar e terminar as tarefas domésticas, ia trabalhar como enfermeira. Fazia o turno da noite para poder me voluntariar no templo durante o dia. Eu mal tinha tempo para dormir. Isso durou quase cinco anos. Minha saúde piorou. Eu sofria de dores de cabeça como resultado de longos períodos de falta de sono. Eu também desenvolvi cálculos biliares e tive que fazer uma cirurgia.

“Uma mulher que costumava participar de atividades no mesmo templo parou de ir em 1997. Quando eu a encontrei por telefone, ela me disse que estava praticando o Falun Dafa. Ela não entrou em detalhes, pois sabia que eu estava muito envolvida no templo.”
Em janeiro de 1999, Angela e o marido ficaram muito decepcionados com a luta constante entre os monges e monjas no templo e decidiram sair. Angela decidiu descobrir mais sobre o Falun Dafa de sua amiga, que lhe deu o livro Zhuan Falun e ensinou-lhe os exercícios.

Depois que ela começou a ler Zhuan Falun, Angela entendeu por que os monges brigavam por ganhos insignificantes e tinham conflitos. Ela disse: “Em fevereiro, decidi praticar o Falun Dafa. Quando me disseram sobre a conferência em Sydney, me inscrevi para ir. Meus amigos e familiares me aconselharam a não ir. Meu irmão na Malásia leu informações erradas sobre a prática em jornais locais vindos da China e fez muitas ligações de longa distância para me convencer a desistir.

“Mas não fiquei comovida, porque testemunhei como era diferente do que eles disseram. Por exemplo, na primeira vez que fiz os exercícios, senti algo girando em torno de minha cabeça. Eu também senti um forte campo energético. Meus cálculos biliares se foram sem nenhum tratamento médico.

“No dia seguinte, durante a sessão de perguntas e respostas, o Mestre respondeu a todas as minhas perguntas sobre como seguir o modo de cultivo budista. Entendi que era responsável pelo meu próprio cultivo. Abandonei todas as minhas dúvidas e, a partir desse dia, meu marido e eu praticamos diligentemente”.

Um ano depois, ela e o filho sofreram um acidente de carro e toda a família teve quase um acidente. Ela lembrou: “Fui buscar meu filho na escola e um carro nos atingiu por trás. Foi tão ruim que eu mal conseguia sair. Mas meu filho e eu estávamos bem. Naquela mesma noite, todos saímos no nosso outro carro. De repente, um carro veio voando em nossa direção, na direção oposta. Eu avisei meu marido para 'tomar cuidado', mas, no momento oportuno, o outro carro desviou para o lado oposto da estrada e evitamos um acidente potencialmente fatal.

"Meu marido e eu sabíamos que o Mestre havia nos protegido duas vezes naquele dia."

Essas experiências extraordinárias fortaleceram a fé de Angela e seu marido no Falun Dafa. Por mais de duas décadas, eles fizeram os exercícios e estudaram os ensinamentos todos os dias, tornando-se praticantes diligentes. Se, por algum motivo, eles não conseguiram fazer os exercícios um dia, fizeram questão de fazê-lo no dia seguinte.

Este ano, Angela voltou à Malásia para comemorar seu 70º aniversário com amigos e familiares. Eles observaram que o irmão, quatro anos mais velho, não está mais em condições de viajar para o exterior, enquanto Angela e o marido voam pelo continente todos os anos para participar da conferência internacional do Falun Dafa, assim como os jovens.

Ela disse: “Nós dois nos sentimos jovens, apesar da nossa idade. Essa é uma das coisas extraordinárias que acontece aos praticantes. Nossos amigos e familiares testemunharam quanta energia nós temos comparado com outras pessoas da nossa idade e tem uma boa impressão do Falun Dafa”.

Ela e o marido distribuem um jornal chinês independente nos subúrbios locais perto de Melbourne há muitos anos. Eles também se ofereceram para organizar e fazer os preparativos para atividades em larga escala para promover o Falun Dafa, bem como fazer as malas após os eventos. Eles preparam banners e constroem cabines de informações. Às vezes, pode ser trabalhoso, mas eles não acham exaustivo. Às vezes, trabalham das 7h da manhã até tarde da noite. Atividades diferentes requerem configurações diferentes e há muitos detalhes para resolver. Angela diz que, quando eles colocam seus corações nisso, ela pode sentir que o Mestre está cuidando deles, e as coisas vão bem. Ela diz que muitas vezes sente como se estivesse flutuando quando caminha.

Ela disse: “Sou grata ao Mestre por sempre cuidar de nós. A única maneira de recompensá-lo é ser diligente no meu cultivo.”