Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Apresentado projeto de lei bipartidário no Congresso dos EUA para acabar com a extração de órgãos na China

19 de Dezembro de 2020 |   Por Xia Chunqing, correspondente do Minghui

(Minghui.org) Tom Cotton, senador republicano dos EUA em Arkansas, anunciou em 16 de dezembro que ele e dois membros do Congresso, os congressistas Chris Smith (R-Nova Jersey) e Tom Suozzi (D-Nova York), haviam apresentado um projeto de lei bipartidário para coibir a extração forçada de órgãos na China.

Conhecida como lei para impedir a extração forçada de órgãos, essa legislação “visa impedir que o Partido Comunista Chinês extraia órgãos de prisioneiros de consciência”, explicou Cotton em um comunicado à imprensa no site do Senado: “De acordo com um tribunal internacional em Londres, médicos chineses extraem órgãos de detidos em campos de prisioneiros chineses, às vezes enquanto os pacientes ainda estão vivos, para venda em um mercado que vale US $ 1 bilhão por ano”.

Um novo projeto de lei foi apresentado pelo senador Tom Cotton (R-Arkansas, esquerda), congressistas Chris Smith (R-Nova Jersey, meio) e Tom Suozzi (D-nova York, direita) para impedir a extração forçada de órgãos na China.

Esse é o mais recente projeto de lei apresentado para lidar com a extração de órgãos de praticantes vivos do Falun Gong na China desde que a Resolução 343 da Câmara foi aprovada em junho de 2016. Iniciado pelos representantes Ileana Ros-Lehtinen (R-FL), presidente do Subcomitê do Oriente Médio e do Norte África e Rep. Gerald Connolly (D-VA), bem como seis outros membros do Congresso, H.Res. 343 recebeu forte apoio bipartidário com 185 copatrocinadores.

Com o título "Expressando preocupação com relação a relatos persistentes e confiáveis de extração de órgãos sistemática e sancionada pelo Estado de prisioneiros de consciência, sem seu consentimento, na República Popular da China, incluindo um grande número de praticantes do Falun Gong e membros de outras minorias religiosas e grupos étnicos”, a resolução condenou a extração forçada de órgãos na China e pediu o seu fim.

O último projeto apresentado por Cotton, Smith e Suozzi propôs itens de ação para atingir a meta de H.Res. 343. “Há evidências crescentes de que o Partido Comunista Chinês continua extraindo órgãos de prisioneiros e membros de grupos religiosos chineses. Esse projeto de lei identificará e punirá os membros do PCC envolvidos na extração forçada de órgãos. Já passou da hora de responsabilizar Pequim por esses atos hediondos”, anunciou Cotton.

“A extração de órgãos é um ato bárbaro, desumano e flagrante de importância global, pois gangues transnacionais de tráfico de seres humanos, organizações terroristas, exploradores e até mesmo governos (o regime comunista da China em particular) matam pessoas inocentes e vendem seus órgãos com fins lucrativos”, disse Smith. “Um problema global requer uma resposta global. De acordo com nosso projeto de lei, extratores e traficantes de órgãos, que muitas vezes atacam populações vulneráveis como prisioneiros políticos ou minorias, serão identificados e expostos pelo Departamento de Estado com o objetivo de punir os perpetradores e promover sanções e restrições eficazes às viagens”.

Essa prática ilegal já dura muito tempo. "Durante anos, o Partido Comunista Chinês continuou a tirar vantagem de prisioneiros e membros de minorias étnicas e grupos religiosos. Hoje, ainda estamos os testemunhando tirando mais proveito desses grupos por meio da extração de órgãos", disse Suozzi. "Os membros do Partido Comunista Chinês devem ser responsabilizados por essas ações indescritíveis. A extração forçada de órgãos não tem lugar em nosso mundo".

Mais especificamente, esse recente projeto implementará planos em cinco áreas para impedir a atrocidade: 1) Negar ou revogar passaportes de compradores ilegais de órgãos. 2) Obrigar relatórios anuais sobre a extração forçada de órgãos em países estrangeiros. 3) Obrigar um relatório anual sobre as instituições médicas e educacionais dos EUA que treinam cirurgiões de transplante de órgãos de países com um alto nível de extração forçada de órgãos. 4) Proibir a exportação de dispositivos de cirurgia de transplante de órgãos para determinadas entidades. 5) Sancionar cidadãos estrangeiros e entidades que participam ou apoiam a extração forçada de órgãos.

O texto completo do projeto pode ser encontrado em: https: //www.cotton.senate.gov/imo/media/doc/CAN20880.pdf