Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Cidade de Harbin, província de Heilongjiang: 27 praticantes do Falun Gong e três familiares são presos em dois dias

26 de Novembro de 2020 |   Por um correspondente do Minghui na província de Heilongjiang, China

(Minghui.org) Numa operação coordenada pela polícia na cidade de Harbin, província de Heilongjiang, 25 praticantes do Falun Gong e três dos seus familiares foram presos em 22 de setembro de 2020; mais dois praticantes foram presos no dia seguinte. Outros oito praticantes foram assediados nos dias que se seguiram às detenções.

O Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, é uma antiga disciplina espiritual e de meditação que tem sido perseguida pelo regime comunista chinês desde 1999.

Foi noticiado que Hao Weifu, vice-diretor do Comitê de Assuntos Políticos e Jurídicos de Heilongjiang, uma agência extrajudicial que supervisiona a perseguição ao Falun Gong, ordenou as prisões. A polícia prendeu os praticantes de acordo com uma lista de nomes. Receberam também uma quantia desconhecida de bônus pela detenção de cada praticante. A maioria das praticantes que permanecem presas estão no Centro de Detenção nº 4 de Harbin.

Nos últimos anos, a polícia em Harbin realizou várias prisões em grupo de praticantes locais, incluindo 20 praticantes em 9 de outubro de 2017, 72 praticantes em 9 de novembro de 2018, 17 praticantes em 11 de setembro de 2019, e 11 praticantes entre 7 e 8 de abril de 2020.

O Departamento Provincial de Segurança Pública de Heilongjiang estabeleceu um centro de comando em Harbin para perseguir o Falun Gong no início de 2019. O objetivo do centro era monitorar e coletar informações sobre como os praticantes do Falun Gong divulgam informações sobre a sua fé.

Yang Bo, o chefe da Divisão de Segurança Interna da Província de Heilongjiang, é o responsável pelo centro. Foi relatado que ele recrutou mais de 100 funcionários e recebeu financiamento do governo central de até 10 milhões de yuans.

Abaixo encontram-se informações adicionais sobre as últimas detenções em Harbin.

Distrito de Xiangfang

A Sra. Zheng Shuyan foi presa por volta das 7 horas da manhã do dia 22 de setembro. Seu laptop, a foto do fundador do Falun Gong e um pen drive foram confiscados.

A Sra. Song Jinling foi presa por volta das 8 horas da manhã quando saiu de seu prédio. A polícia vasculhou sua casa e confiscou quatro impressoras, 60 mil yuans em dinheiro, a foto do fundador do Falun Gong e algumas recordações do Falun Gong. O seu marido também foi preso.

A Sra. Zou Shuqin foi presa por volta das 14 horas. A sua situação atual não é clara.

A Sra. Wu Lijun foi presa às 15 horas. Outra praticante idosa que a estava visitando no momento também foi presa. Ambas foram liberadas mais tarde naquela noite.

A Sra. Chen Huijing foi presa pela polícia e pelo pessoal do comitê residencial que esperava do lado de fora da sua casa, quando saiu por volta das 15 horas. Os seus livros do Falun Gong, a foto do fundador do Falun Gong e outros artigos pessoais foram confiscados.

Por volta da mesma hora, o Sr. Zhang Demin também foi preso. Os seus livros do Falun Gong, a foto do fundador do Falun Gong e 20 mil yuans em dinheiro foram levados.

A Sra. Wang Fenglan, de 76 anos, ficou chocada ao encontrar cinco policias vasculhando sua casa quando voltou das compras naquela tarde. Nenhum dos agentes mostrou sua identificação. Alegaram que estavam executando ordens superiores. Os livros do Falun Gong da Sra. Wang, a foto do fundador do Falun Gong e dois calendários com informações sobre o Falun Gong foram confiscados. O seu marido, que não pratica Falun Gong, também foi preso.

Mais dois praticantes, o Sr. Liu Zengkui e a Sra. Liu Bobin, também foram presos durante a tarde.

Além dos praticantes acima mencionados, outros cinco praticantes foram presos por volta das 17 horas. A Sra. Kai Hong, a Sra. Xiao Chunrong e a Sra. Yu Wei estão atualmente detidas no Centro de Detenção nº 4 da Cidade de Harbin. A Sra. Kai e o Sr. Liu Baocai tiveram as suas casas vasculhadas. O Sr. Liu foi detido durante 15 dias. Uma praticante que foi presa ao mesmo tempo e cujo nome é desconhecido foi libertada no momento da edição deste artigo.

A Sra. Wei Shujie e seu marido, que não pratica Falun Gong, foram detidos em casa às 18 horas. A Sra. Wei já tinha sido detida em 25 de fevereiro de 2020, depois de ter sido denunciada por distribuir material informativo sobre o Falun Gong. Embora tenha sido liberada porque o centro de detenção se recusou a aceitá-la, a polícia a tem assediado seguidamente para checar seu paradeiro.

Entre outros praticantes que foram presos em 22 de setembro estão a Sra. Tan Guiling, a Sra. Wang Shurong, de 70 anos, Fei e Bo (cujos sobrenomes são desconhecidos).

A Sra. Tan e a Sra. Wang tiveram suas casas vasculhadas. A Sra. Tan foi condenada a 15 dias de detenção. A Sra. Wang foi forçada a escrever uma declaração renunciando ao Falun Gong antes de ser liberada.

A Sra. Pan Xuemei foi presa em 23 de setembro. Todos os seus livros sobre o Falun Gong foram confiscados.

Distrito de Daowai

O Sr. Lin Jinpeng foi detido por volta das 14 horas do dia 22 de setembro no lado de fora do seu prédio, quando voltava de uma viagem de negócios fora da cidade. A polícia o levou para a delegacia de Daokoujie e confiscou a chave de sua casa. Eles então revistaram sua casa e prenderam sua esposa, Sra. Liu Hui, e outra praticante, a Sra. Zhang Jinsheng, que estava lá naquele momento.

A polícia confiscou as duas impressoras do casal, três laptops, livros do Falun Gong e calendários de 2021 impressos com informações sobre o Falun Gong. Muitas ferramentas utilizadas para fazer os calendários, incluindo um furador e um cortador de papel, foram também apreendidas. Nenhuma lista de artigos confiscados foi fornecida pela polícia.

O Sr. Lin recusou-se a fornecer qualquer informação à polícia durante o interrogatório. Foi libertado por volta da 1h30min da manhã do dia 23 de setembro. Ao voltar para casa, o Sr. Lin verificou que os cinco mil yuans em dinheiro que eles tinham também haviam sumido.

A Sra. Liu e a Sra. Zhang foram enviadas para o Centro de Detenção nº 4 da cidade de Harbin em 23 de setembro, depois de terem sido forçadas a fazer um exame físico.

A polícia informou à família da Sra. Liu em 30 de setembro que sua detenção tinha sido aprovada pela procuradoria.

Distrito de Jiangbei

A Sra. Jia Tianzhen foi detida em 22 de setembro, após uma detenção anterior em 2 de março de 2020, por distribuir materiais do Falun Gong no seu bairro. Embora a polícia não a tenha mantido sob custódia devido à pandemia, voltou várias vezes para assediá-la. Ela agora foi levada para o hospital da polícia para quarentena. A polícia disse que planejava apresentar o caso dela à procuradoria depois que a quarentena acabasse.

Distrito de Nangang

A Sra. Yan Jinxia foi presa por volta das 20 horas do dia 22 de setembro no seu local de trabalho no distrito de Nangang. Ela ainda está detida no momento desta edição.

A Sra. Shan Yulian foi presa e detida em 23 de setembro depois de ter sido enganada pela polícia para ir a delegacia.

Oito assediados

Uma semana antes da prisão em grupo, a Sra. Zhang Weiqing foi assediada em casa em 15 de setembro. A polícia voltou à sua casa todos os dias na semana seguinte e tentou pressioná-la a renunciar ao Falun Gong. Ameaçaram que se ela não assinasse as declarações que eles apresentaram, eles viriam todos os dias para assediá-la.

Mais duas praticantes, a Sra. Qu Guirong e a Sra. Guan Liping, também foram assediadas em 15 de setembro.

Por volta das 19h30min do dia 22 de setembro, dois policiais assediaram o Sr. Gao Ke. O Sr. Gao recusou-se a cooperar com eles e apelou aos agentes para não seguirem o Partido Comunista Chinês fazendo o mal ou participando na perseguição.

A Sra. Zhao Yin e outra praticante, Yu (primeiro nome desconhecido), também foram assediadas em 22 de setembro. A polícia arrancou os dísticos com frases relacionadas ao Falun Gong da porta da Sra. Zhao.

O Sr. Hao Zhendong foi assediado frequentemente no final de setembro e obrigado pela polícia a assinar a declaração de renúncia ao Falun Gong.

Mais um praticante cujo nome não é conhecido foi assediado no seu local de trabalho em 29 de setembro.

Artigo relacionado (em inglês):

Harbin City, Heilongjiang Province: Falun Gong Practitioners Targeted for Spreading Information about Their Faith