Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Fahui da China | Usando todas as oportunidades para salvar pessoas

23 de Novembro de 2020 |   Por uma praticante do Falun Dafa na China

(Minghui.org) [Ouça esta experiência] 

Saudações, reverenciado Mestre. Saudações colegas praticantes!

Minha família trabalha no ramo de reforma de casas residenciais. Quando o mercado imobiliário atingiu o pico na China, nos saímos muito bem e nossos negócios decolaram. Existem todos os tipos de negócios duvidosos neste setor: corte de custos, questões de qualidade, ganhos financeiros com descontos na compra de materiais e assim por diante. Como praticante, sei que devo ser rigorosa ao me conduzir de acordo com os princípios dos ensinamentos. Eu sempre faço as coisas corretamente, presto atenção na qualidade e em cada detalhe, e procuro fazer o meu melhor para ter consideração pelos meus clientes.

No início, não fiz a coisa certa porque meu cultivo não era sólido. Aceitei um desconto após comprar materiais para um cliente. Quando cheguei em casa, quanto mais eu pensava sobre isso, mais desconfortável me sentia. Não era um apego de cobiça? Devo seguir padrões mais elevados, já que sou uma praticante do Dafa. Devolvi o desconto no dia seguinte. A fornecedora ficou tão emocionada que me abraçou, dizendo: “Ainda existem pessoas boas como você no mundo hoje!”. Aproveitei a oportunidade para falar a ela sobre o Dafa e ela aceitou a verdade.

Parei de comprar materiais para clientes para evitar tais problemas. Quando os clientes insistiam que eu comprasse os materiais, nunca aceitava os descontos. As coisas que comprei eram de boa qualidade, mas não eram caras. Os clientes ficaram muito felizes.

Uma vez, meu marido e eu reformamos a casa de uma mulher. Ela elogiou nosso trabalho e nos indicou sua irmã, que também estava reformando sua casa. Quando fomos para a casa de sua irmã, seu marido estava lá. Ele era um policial e barganhou conosco. Ele propôs um preço tão baixo que era menos do que o salário de um comerciante. Aceitei o trabalho porque senti que ele tinha uma relação predestinada e deveria ser salvo.

Mas hesitei em esclarecer a verdade, pois ele era policial. Enquanto pintava a casa, expliquei os fatos para sua esposa. Ela renunciou ao Partido Comunista Chinês (PCC) e às suas organizações afiliadas. Nunca vi o marido dela. Lamentei profundamente não ter esclarecido a verdade para ele. Se ele soubesse a verdade, não apenas seria salvo, mas também diminuiria a perseguição a outros praticantes. Eu olhei para dentro e encontrei pensamentos egoístas, como medo de ser presa e perder a reputação. Enviei pensamentos retos para eliminar esses apegos e disse: “Mestre, eu realmente quero salvar esse homem”.

Uma coisa incrível aconteceu. Vários dias depois, a cliente telefonou e disse que havia rachaduras no teto e uma parede estava saliente. Há tantos anos no mercado, sempre prestei atenção em fazer um trabalho de alta qualidade. Isso nunca havia acontecido antes. Assim que entrei, percebi que seu marido estava em casa. Conversei alegremente com ele enquanto trabalhava. Comecei a explicar o que é o Falun Dafa, como é praticado em muitos países em todo o mundo, como as várias campanhas políticas lançadas pelo PCC mataram milhões de pessoas etc.

O policial renunciou à sua filiação ao Partido após nossa conversa.

O Mestre disse no Zhuan Falun:

“O cultivo depende da própria pessoa, enquanto a transformação do gong é feita pelo Mestre”.

Quando tenho coração para salvar pessoas, o Mestre cria oportunidades. Sou extremamente grata ao Mestre por seu arranjo compassivo.

A esposa do policial é professora. A diretora de sua escola estava reformando sua casa e a professora me recomendou para o trabalho. A diretora possuía muitas coisas valiosas em sua casa. Ela confiou em mim e nunca examinou meu trabalho. Ela também me pediu para encontrar um faxineiro depois que o lugar fosse reformado, instruindo-me a colocar as coisas no lugar original. Fiz como solicitado e, quando as chaves foram entregues, ela ficou muito satisfeita com nosso trabalho.

O filho da mulher estava se casando e ela me pediu para reformar a casa dos recém-casados. Esclareci ainda mais a verdade para o policial e fiz com que seu filho, que recentemente havia se formado na academia de polícia, e sua esposa, renunciassem ao PCC. Eu disse a eles o princípio de que o bem é recompensado e o mal é punido, bem como incidentes em que altos funcionários perderam seus cargos por causa de seu envolvimento na perseguição de praticantes. Eu também pedi a eles que não ajudassem o PCC a perseguir os praticantes para que eles tivessem um futuro brilhante.

Frequentemente, os clientes nos apresentam aos seus amigos, parentes, vizinhos e colegas de trabalho porque somos honestos, nossos honorários são baixos e fazemos um bom trabalho. Pude esclarecer a verdade para essas pessoas enquanto reformava suas casas.

Percebi que um proprietário tinha muitas estátuas de Buda. Eu contei ao casal sobre o Falun Dafa e a esposa concordou em deixar o PCC, mas o marido não. Depois de colocarmos o papel de parede atrás da TV, o homem disse que não parecia bom. Percebi que ele queria que refizéssemos, mas ele não queria pagar por isso. Eu disse: “Se você não gostar, podemos refazer a parede e não cobrarei por isso”. Feliz, ele comprou um novo papel de parede. Eu tirei o antigo papel e coloque o novo. No processo, continuei esclarecendo a verdade para ele. Ele ainda se recusou a renunciar ao PCC. Não desanimei e continuei trabalhando com alegria.

O homem tinha muitos armários de parede e queria que eu colasse papel dentro deles. Eu disse que isso não fazia parte da reforma. Naquela tarde, havia planejado sair e esclarecer a verdade às pessoas depois de terminar o trabalho. Mas mudei meus planos, porque ele ainda não havia sido salvo. Ofereci-me para colar o papel dentro dos armários. Ele ficou muito feliz. Foi um trabalho difícil. Eu me espremi no pequeno espaço entre as prateleiras do armário e apliquei papel a tarde toda. Enquanto trabalhava, expliquei os fatos sobre a perseguição. Senti que tinha dito tudo que podia, mas no final ele disse: “Vou pensar nisso mais tarde”.

Terminei o trabalho na casa dele com pesar. Ele me pediu para lhe dar um pouco mais de tempo para pagar, pois estava precisando de dinheiro. Eu concordei porque o Mestre disse:

“Também essas pessoas que vocês encontram por casualidade, essas pessoas que você conversa diariamente, as pessoas de seu trabalho, enfim, você deveria esclarecer a verdade a todas. Inclusive em sua vida diária, quando você encontra alguém por um pequeno instante que não tem nem tempo de conversar, ainda deveriam passar vossa compaixão e amabilidade a elas. Não percam aquelas que devem ser salvas, especialmente aquelas com relação predestinada.” (“Ensino do Fa no Fahui de Atlanta de 2003”).

Um dia, aquele homem ligou para meu marido e disse que o cabo não estava conectado corretamente. Para resolver o problema, ele cortou a parede e perguntou como rebocá-la. Meu marido lhe disse o que fazer, mas não se ofereceu para ajudar. Eu disse que iria ajudá-lo a consertar, porque ele deveria ser salvo.

Fui para a casa dele depois do trabalho e o ajudei a consertar a parede. Levei mais de duas horas. Nesse ínterim, seu parente veio visitá-lo e eu esclareci a verdade para ele. Seu parente concordou em renunciar ao PCC. Antes de sair, eu disse a ele gentilmente: “Por que você não renuncia ao PCC?. Estou pedindo isso para seu benefício. Você não será responsabilizado quando o PCC tiver que pagar por seus crimes”. Ele respondeu alegremente: “Tudo bem, por favor me ajude a renunciar à minha filiação ao Partido”. Agradeci ao Mestre por ele finalmente ser salvo.

Esclarecendo a verdade para os convidados no casamento da minha filha

O casamento da minha filha foi adiado para oito de agosto devido ao bloqueio do vírus PCC (coronavírus). De acordo com os costumes da vila, o homem e a mulher oferecem banquetes separados. Eu li um artigo no site Minghui no qual a praticante compartilhou sua experiência de esclarecer a verdade aos convidados no casamento de seu filho. Eu me inspirei.

Mas não tinha pensamentos retos fortes. Então, me lembrei que não era por acaso que o casamento da minha filha seria durante a pandemia. Não era um sinal de que deveria dizer às pessoas como o Dafa é maravilhoso e salvá-las? Eu contei a outros praticantes meu plano e eles disseram que viriam e ajudariam enviando pensamentos retos. Isso aumentou minha confiança. Meu marido, filho, filha e pais expressaram seu apoio.

No final de julho, meus avós maternos e os pais do meu marido me contaram sobre ordens superiores de que nenhuma cerimônia de casamento poderia ser realizada depois de 1º de agosto. Eu sabia que as velhas forças estavam interferindo na salvação dos seres. Pedi ajuda ao Mestre e continuei me preparando para o banquete, pedindo a melhor comida e em quantidade suficiente para tratar os convidados com suntuosidade.

Parentes distantes que não víamos há 20, 30 anos disseram que viriam. Mas eles disseram, mais tarde, que não poderiam vir. Pedi ao Mestre que os deixasse vir para que pudesse salvá-los. No final, todos eles estiveram presentes naquele dia.

Em oito de agosto, a cerimônia de casamento da minha filha ocorreu conforme programada. Músicas compostas por praticantes foram tocadas e a atmosfera era pacífica e alegre. Eu não estava nervosa quando subi no palco para falar. Depois de fazer comentários educados, recitei o poema do Mestre “As palavras têm predestinação”:

“No imenso oceano de seres humanos, é difícil se encontrar
Num sorriso de desconhecidos, forma-se a predestinação
Escute a verdade com o coração silencioso
Você tem esperado por milênios por essas palavras
Já está sendo difundido o Dafa que salva das tragédias
Cada segredo celestial é uma palavra verdadeira” (Hong Yin III)

Eu disse: “Queridos amigos e parentes, este ano foi extraordinário. Embora a pandemia tenha estourado globalmente, há uma maneira de evitar o perigo. Isso ocorreu para lembrar e dizer com sinceridade: 'Falun Dafa é bom, Verdade, Compaixão e Tolerância são bons valores'. Espero que todos se mantenham seguros”.

Meu sobrinho correu até mim e disse: “Tia, sua voz está um pouco baixa e os que estão atrás não podem ouvi-la”. Repeti minhas palavras novamente mais alto. De alguma forma, o alto-falante continuou reverberando o que eu disse. Os praticantes também cantaram uma música composta pelos discípulos do Dafa. Os convidados disseram que era uma canção adorável.

Meus vizinhos fizeram um sinal de positivo para mim quando saí do palco. Meu marido disse: “Você não precisa fazer nada hoje. Apenas conte às pessoas sobre o Dafa”. Eu ajudei as pessoas a renunciarem ao PCC enquanto me misturava com os convidados. No dia seguinte, minha cunhada disse: “Eu não sabia que você era tão eloquente”. Meu filho disse: “Mamãe pode não ser muito instruída, mas sua oratória é boa”. Sorri e respondi: “Sou apenas uma camponesa. Não sou boa com as palavras, mas o Dafa me deu sabedoria”.

Abandonar o medo, cooperar bem com outros praticantes

Tento fazer bem as três coisas. Isso inclui cooperar com os praticantes para salvar pessoas. Um ano, fizemos calendários de esclarecimento da verdade em minha casa. Dois praticantes imprimiram o calendário e uma terceira pessoa os encadernou. Comecei a reclamar quando os praticantes não limparam depois que os materiais foram impressos. Quando fui procurá-los para ajudar, percebi que havia trancado a porta, mas deixado a chave dentro.

Como sou praticante, sei que nada acontece por acaso. Eu rapidamente olhei para dentro e descobri minha impaciência e apego a mim mesma. Quando os praticantes conversaram enquanto trabalhavam, eu disse a eles para ficarem quietos e até mesmo dei ordens. Achei que era meu direito, eu estava no comando já que era minha casa. Como fui arrogante! Eu disse: “Mestre, estou errada. Devo mudar”.

No terceiro ano, fomos à casa de outro praticante para imprimir calendários. O coordenador pediu a três praticantes que imprimissem a arte em suas casas e depois a levassem para outro local para encadernar. Porém, a praticante Eni não deu ouvidos e trouxe duas impressoras ao local, imprimindo e encadernando os materiais no mesmo local. No dia seguinte, a praticante Mey me disse: “Houve uma prisão em grande escala. O telefone do coordenador foi grampeado e ele foi preso. Eni não voltou para imprimir a arte e uma impressora não está funcionando. Já compramos papel e outros materiais, não devemos desperdiçar recursos. Temos que continuar”. Eu concordei em ajudá-la.

Estava nervosa porque o coordenador havia me enviado dez caixas de papel no dia anterior. Pensei: “Ele foi seguido por muitos dias antes de sua prisão, a polícia descobriu minha casa e o lugar onde terminamos os calendários? É melhor eu tirar o papel rapidamente de lá”. Eu interrompi meus pensamentos e enviei pensamentos retos: “Este papel é mágico. Cada folha impressa é uma espada que pode eliminar o mal. Eles não devem ser movidos. Devo me livrar do meu medo!”. Enviei pensamentos retos continuamente e pedi proteção ao Mestre.

Fui ao local onde estavam fazendo os calendários. Quando entrei, Mey e seu filho estavam consertando a impressora. Fiquei tão comovida que chorei. Ela não parou, apesar das recentes prisões em grande escala. Ela é notável. Eu estava determinada a cooperar com ela. Pensamos em nos mudar para outro lugar porque não sabíamos se a polícia havia encontrado esse local. Mas, como havia muitos equipamentos e suprimentos, chamaria a atenção se tentássemos mover tudo. Decidimos deixar isso nas mãos do Mestre e ficarmos no local.

No estudo do grupo Fa, Eni disse que o local tinha um campo de energia ruim. Meu terceiro olho não está aberto, mas fiquei movida com a atmosfera assustadora das prisões. Quando fui ao local à noite para fazer os calendários, estava bastante assustador, especialmente quando estava escuro. Acendi a luz e vi o retrato do Mestre. Imediatamente me senti muito melhor. Eu sabia que estávamos fazendo a coisa mais reta do mundo e que tudo ficaria bem. Enviei pensamentos retos e recitei o Fa enquanto fazia os calendários. Pedi a outra praticante que me ajudasse porque havia uma grande demanda pelos calendários, já que os praticantes os distribuíam às pessoas durante o dia. A praticante saiu mais cedo e meu medo veio à tona novamente quando vi que estava escuro como breu. Percebi que não deveria confiar nos outros. Era hora de melhorar meu xinxing e temperar-me nesse ambiente. Enviei pensamentos retos sem parar. Ela voltou depois das 20h.

Ouvimos o som da sirene da polícia quando nos sentamos para enviar pensamentos retos. Pareceu parar no andar de baixo. Fiquei nervosa e queria ver se havia um carro da polícia fora do prédio. Eu neguei esse pensamento e fiquei parada. O Mestre disse no artigo “Aos praticantes do Vietnã”: 

“Para cultivadores perseverantes, um coração que não se abala pode dominar todas as turbulências”.

Nenhum de nós se moveu e continuamos enviando pensamentos retos. De repente, percebi que as luzes ainda estavam acesas e pensei que deveria desligá-las. Novamente, não agi de acordo. Eu não devo me mover. Se me movesse, significaria que reconhecia essa perseguição. Nada aconteceu naquela noite. Com as bênçãos do Mestre, nós duas passamos no teste. Quando refleti sobre minhas deficiências após o incidente, descobri apegos como egoísmo, ressentimento e medo. Eu sei que estou longe de cumprir os requisitos do Dafa. Essa foi uma boa oportunidade para cooperar bem com outros praticantes e progredir no cultivo juntos.