Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Fahui da China | O patinho feio: a jornada de uma “criança problemática”

30 de Dezembro de 2019 |   Por uma jovem praticante do Falun Dafa na China

(Minghui.org) Sou uma jovem praticante que acabou de se formar no ensino médio. Depois que a perseguição começou, minha mãe foi a Pequim e apelou na Praça da Paz Celestial. Embora estivesse grávida de mim, ela foi enviada para um centro de detenção.

Minha mãe foi presa várias vezes por defender sua crença. Às vezes, ela ficava em casa por menos de dois anos antes de ir para outra prisão. Como resultado, passei minha infância com meu pai e sua família.

De péssima aluna a melhor da classe

Ninguém na família de meu pai pratica o Falun Dafa e eles são muito egoístas. A atmosfera naquele lado da família era deprimente. Eles consideravam todos fora da família maus. Influenciada pela família do meu pai, ficava facilmente irritada e com frequência fazia comentários sarcásticos sobre os outros.

Minhas notas na escola eram terríveis. Eu ignorava as regras da sala de aula e muitas vezes copiava as respostas de outras pessoas durante os exames. Meus professores sempre pensaram que eu era uma aluna ruim e sem valor.

Felizmente, o Mestre estava cuidando de mim. Minha mãe voltou no verão depois que me formei no ensino fundamental. Com o Dafa na minha vida, as coisas mudaram dramaticamente.

Eu me mudei com minha mãe durante o ensino médio. Quando cheguei, ficava facilmente irritada e falando mal com todo mundo. Eu não queria estudar. Minha mãe foi muito paciente e me incentivou. Era difícil me livrar do mau comportamento que aprendi em 10 anos, mas minha mãe tinha confiança e ela me guiou a ler livros do Dafa. “O Falun Dafa é muito profundo e pode mudar tudo para melhor. Que tal tentar?” Ela disse.

Minha mente ficou mais calma depois que comecei a praticar o Falun Dafa. Eu entendi as coisas em um nível mais profundo e eu conseguia discernir o certo do errado. Os princípios descritos nos ensinamentos fizeram sentido para mim, especialmente na parte: “A transformação do carma” (Quarta Aula, Zhuan Falun). O Dafa abriu minha mente, me deixando mais tranquila e positiva. Desde que entendi que as boas e más ações que realmente nos afetam, aprendi a controlar meu temperamento e parar de magoar os outros.

O Dafa me deu sabedoria e me manteve na escola. Minha mãe sempre teve confiança em mim. Após a primeira conferência de pais e professores, minha mãe disse que acreditava que eu poderia estar entre os melhores da classe. Eu realmente duvidava disso. No mês seguinte, no entanto, fiquei entre os melhores da classe. Nos meses seguintes, melhorei ainda mais e me tornei a melhor aluna da minha série. As coisas mudaram tão rapidamente que todos os dias pareciam um milagre para mim.

Minhas notas continuaram altas. Depois de entrar no ensino médio, eu sempre fui a melhor da classe, fosse em artes liberais ou notas gerais. Foi como um sonho tornado realidade - e todas essas coisas incríveis me foram dadas pelo Dafa.

Aprimorando-me e validando o Dafa na escola

Por causa das minhas boas notas, meus colegas do ensino médio me selecionaram como candidata à Liga da Juventude Comunista, uma organização júnior do Partido Comunista Chinês (PCC). Quando contei à minha mãe, ela me pediu para eu decidir o que fazer. O Dafa é tão bom e o PCC o persegue brutalmente. Eu decidi não ficar conectada com o partido.

No dia seguinte, contei a minha professora na sala de aula. Sua resposta foi: “O quê ?!” Ela parecia tão chocada que pensei que seus globos oculares iriam saltar. Ela contou aos outros professores sobre isso e todos ficaram surpresos. Quando perguntaram o porquê, eu disse: “O PCC é muito ruim. Eu não quero fazer parte disso.” Minha professora não sabia o que fazer e ligou para minha mãe. A mãe disse: “A escolha é dela.” No final, nunca me tornei membro da Liga da Juventude e tenho orgulho disso.

No ano em que me inscrevi no ensino médio, minha mãe sofreu uma tribulação por doença. Embora minhas notas significassem que eu poderia me matricular na melhor escola secundária, eu escolhi uma mais perto de casa. As pessoas se sentiam mal por mim. Disseram que eu poderia conseguir mais em uma escola secundária melhor. Mas eu não estava preocupada, pois já tinha sido abençoada pelo Dafa, o que é o mais importante neste mundo.

Depois de entrar no ensino médio, muitas vezes eu era a melhor da minha série. Percebendo minhas boas notas e personalidade, os professores gostavam muito de mim. Tive muitas oportunidades de contar aos outros sobre o Dafa. Os funcionários da escola conversaram com a mãe, na esperança de eu melhorar ainda mais minhas notas. Eles também a convidaram para falar durante as reuniões dos pais e dar conselhos sobre como educar seus filhos.

A minha mãe contou aos funcionários e professores da escola sobre nossa crença no Falun Dafa e o que experimentamos. Quando souberam da determinação de mamãe em meio à enorme pressão da perseguição, a respeitaram ainda mais. Durante as reuniões dos pais, ela contou a todos sobre como havia sido enviada para campos de trabalho por praticar o Falun Dafa. Foram os princípios do Dafa que a iluminaram sobre como me educar. Muitos pais ficaram surpresos ao ouvir isso, mas eles aceitaram.

Como definir coisas superficiais

As pessoas, incluindo muitos estudantes, ao meu redor costumavam perguntar: “Como você pode estudar tão bem?” Eu disse a eles que, por causa do Falun Dafa, não priorizava as coisas superficiais.

Quando parentes me davam dinheiro durante o ano novo chinês, eu sempre dava à minha mãe ou a outros praticantes. O dinheiro poderia ser usado para produzir materiais do Dafa ou comprar pequenos MP3, que poderiam ser carregados com arquivos de áudio para distribuir e salvar pessoas. Sempre que minha mãe queria que eu comprasse roupas novas, eu dizia: “Eu já tenho roupas”.

Minha comida também era simples. Alguns praticantes idosos disseram que minha mãe não cozinhava bem e que uma criança em crescimento precisava de boa nutrição. Eu disse a eles que podia comprar comida da escola, mas eu não gostava da comida. Ela estava sempre ocupada e costumava comer qualquer coisa para encher o estômago. Lembro-me de ter lido uma história sobre quando o Mestre introduziu o Dafa nos primeiros anos. Ele apenas comeu macarrão instantâneo. Sempre que eu notava meus colegas jogando comida fora, eu os lembrava de valorizarem a comida.

Quando eu estava com 11 anos, ajudei uma praticante idosa. Ela queria me agradecer e me levou para comer. Como eu tive que pedir algo, eu escolhi bolinhos. Ela disse à minha mãe que eu era diferente das outras garotas. Mais tarde, expliquei à minha mãe que escolhi o bolinho de massa porque eram apenas 12 yuans, enquanto todo o resto custava dezenas de yuans.

Como praticantes do Falun Dafa, não estamos apegados às coisas nesta sociedade cotidiana. Os princípios do Fa nos ensinaram que o universo é profundo. Como minha mente estava calma, eu pude me concentrar nos estudos. Além disso, o Mestre nos disse que, como estudantes, devemos estudar bem. Além disso, os princípios do Dafa me ajudaram a me dar bem com professores e outros alunos. Vi muitos alunos com boas notas discutindo com outros alunos, professores e pais. Isso causou problemas para todos e afetou suas próprias notas. Eu me senti mal com isso e às vezes expliquei aos outros o que aprendi com os princípios do Dafa. “O que você disse é verdade”, disse uma aluna, enquanto chorava de raiva, “mas é muito difícil conseguir isto”.

Celulares e mídias sociais são outras dores de cabeça que os alunos enfrentam. Por ser um praticante com a missão de salvar as pessoas, mal verificava as mídias sociais e não prestava atenção nas discussões ou postagens lá. Coloquei meu celular em silêncio, para que não interrompesse meus estudos. Se eu não fosse uma praticante, provavelmente seria como muitas outras crianças que estão fora de controle.

Um renomado advogado de direitos humanos soube das minhas boas notas e ficou muito impressionado. “Os filhos dos praticantes são muito bons. Eles podem cuidar de si mesmos. Meus filhos, por outro lado, estão sempre no celular”, disse ele à minha mãe.

De um patinho feio a um cisne

Como meus professores de sala de aula costumam me usar de exemplo para os outros alunos, eu tinha muitos “inimigos”. Algumas meninas reclamavam aos professores: “Por que você a trata tão bem?” Entendendo a questão da inveja nos ensinamentos do Dafa, eu nunca me exibi. Quando as pessoas diziam palavras sarcásticas, mudava de assunto ou reconhecia seus pontos fortes. Por causa da minha bondade e generosidade, quase não tive conflitos com os outros. Os professores também ficaram impressionados. “Olha, ela é tão positiva e de mente aberta. Pode-se dizer que o Falun Dafa é ótimo”, disse um deles.

Além de conversar com os professores, mamãe e eu demos a eles Pendrives que continham informações sobre o esclarecimento da verdade, como os Nove Comentários sobre o Partido Comunista. Quando uma professora me convidou para ingressar no PCC durante o segundo ano do ensino médio, eu disse que não e ela não ficou surpresa. Quando todos os professores e alunos da escola estavam organizando uma competição para cantar músicas pró-PCC, eu não entrei e pedi ao professor da sala de aula que não me obrigasse a comparecer. Quando os outros alunos perguntaram por que eu estiva ausente, expliquei o motivo. Por causa disso, quase todos os professores e alunos sabiam que minha mãe e eu praticávamos o Dafa. Eles respeitavam minha crença e não me discriminavam. Quero agradecer ao Mestre por sempre cuidar de mim.

Devido à pressão para ingressar em uma boa faculdade, passei a maior parte dos meus últimos dois anos no ensino médio estudando. O tempo para o estudo do Fa era muito pequeno e eu realmente me arrependi. Sem os princípios do Fa, minha mente não ficava calma. Foi uma lição séria para mim.

Após o vestibular, muitos estudantes saíram de férias para relaxar. Eles esperavam boas pontuações. Eu estava muito calma. Antes do exame, perguntei ao Mestre: “Mestre, por favor, providencie para que eu vá aonde eu puder ser mais útil para validar o Fa”. Confiei no Mestre.

Antes da publicação das notas, o oficial de admissão de uma faculdade fora da China me disse que a educação era ideal. Os alunos não precisam perder tempo aprendendo assuntos comunistas e também recebem uma bolsa de estudos. A minha mãe ficou perturbada porque sempre pensou que eu iria para uma boa faculdade local. Mas, isso parecia uma grande oportunidade.

Ela ficou ansiosa, então eu a lembrei: “Você pode pensar que nosso caminho é decidido por nós. Mas não é.” Essas palavras a ajudaram e ela não ficou mais chateada. Quando soube que fui admitida na faculdade, todos os meus parentes e amigos ficaram emocionados. Todo mundo dizia que eu sempre fui uma boa criança. Eu sabia que não era verdade. Eu era problemática para começar - foi o Dafa que me mudou, de um patinho feio para um cisne.

Durante o ensino médio e os anos finais, nunca fiquei doente ou precisei ir a um médico. Recusei injeções de vacina. Isso foi muito diferente dos meus anos de ensino fundamental, durante os quais eu frequentemente estava doente. Foi o Falun Dafa que trouxe essas mudanças positivas. Quando entrei no ensino médio, recebi uma nota perfeita na aula de ginástica. Minha saúde estava excelente. Vendo os alunos ao meu redor pegando gripe e outras doenças, eu sempre fui muito grata ao Mestre.

Usando todas as oportunidades para esclarecer a verdade

Também aproveitei todas as oportunidades para contar a outros alunos e professores sobre o Falun Dafa. Certa vez, o professor de idiomas mencionou um documentário sobre a poluição da China que foi banido. Um aluno disse: “Muitos desses documentários proibidos são realmente muito bons.” Outro disse: “O Falun Dafa também foi banido”. A professora não respondeu diretamente, dizendo que não sabia muito sobre isso. Eu sabia que tinha que falar com ela.

Após o término da aula, fui até a professora e disse que gostaria de conversar com ela sobre o Falun Dafa. Ela disse: “Tudo bem, por favor, continue.”

Sua atitude aberta me deixou menos nervosa. Eu disse: “O Falun Dafa é um método de auto cultivo e os princípios-chave são Verdade-Compaixão-Tolerância. O PCC difama o Falun Dafa e persegue os praticantes. Isso é semelhante à supressão dos cristãos durante o Império Romano. Sabemos que o poderoso Império Romano entrou em colapso. Muitas pessoas acreditam que foi realmente uma retribuição cármica”.

A professora ouviu em silêncio e fez perguntas sobre coisas como o incidente de autoimolação na Praça Tiananmen. Eu disse: “Isso foi uma farsa. O Falun Dafa proíbe o suicídio e o considera um pecado”.

“Então, e as doenças?” Ela perguntou. Eu disse: “O Falun Dafa não proíbe os praticanates de consultar médicos quando estão doentes. Essa é a calúnia que o PCC difunde sobre o Falun Dafa”. Nossa conversa correu bem. O Mestre me ajudou e me deu sabedoria para explicar tudo claramente.

“Um dos meus vizinhos praticava o Falun Dafa”, disse ela. “Ele deve ser uma boa pessoa. Certo?” Eu perguntei. “Sim ele é. Mas ele foi preso”, respondeu a professora.

“Você sabe o que acontece com os praticantes depois que eles são presos e detidos?” Eu perguntei, tentando segurar minhas lágrimas. “Eles sofrem todos os tipos de tortura por sua crença e alguns até são mortos”. A professora ficou chocada. Ela aparentemente não sabia o quão sombrio era o sistema judicial chinês, já que a propaganda do PCC sempre afirma o contrário.

Eu disse: “Eu tenho um pendrive e espero que você possa dar uma olhada quando tiver tempo. Os praticantes do Falun Dafa são boas pessoas e são inocentes”. Ela disse: “Isso seria ótimo. Vou dar uma olhada”.

Vários alunos também ouviram nossa conversa. Eles não me interromperam ou foram embora. Mais tarde, eles disseram aos outros o que eu disse e disseram que me respeitavam muito. Quando voltei para casa, ainda estava um pouco nervosa até receber uma mensagem de um aluno: “Todos nós apoiamos você”.

No meu tempo livre, outro praticante e eu frequentemente saíamos para distribuir materiais de esclarecimento da verdade. Intencionalmente fomos a uma área residencial militar, que era guardada por soldados armados. Entramos no prédio e distribuímos materiais por todos os andares. Tentamos evitar fazer barulho. Distribuímos uma grande quantidade de materiais em muitos edifícios e também em veículos. Por eu ser apenas uma estudante do ensino médio, as pessoas não suspeitavam de nós. Nós fomos lá três vezes no total e sempre estávamos atentos à segurança.

Epílogo

Nós, praticantes, não temos preocupações com o futuro. Estamos aqui na terra por pouco tempo e nossos verdadeiros lares estão no céu. Não devemos estar muito apegados às coisas aqui.

Pensando bem, eu costumava ser uma criança problemática. Felizmente eu me tornei uma praticante do Falun Dafa; caso contrário, eu seria mais outra pessoa deslizando nesta sociedade moralmente degenerada. Mamãe me ajudou a conhecer o Dafa, trazendo todas essas mudanças positivas para mim.

Minha vida é como a fábula em que um patinho feio se tornou um belo cisne! Continuarei a valorizar o Falun Dafa e a dizer a todos o quão incrível ele é.