Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Violador de direitos humanos: Tan Xiangqian, ex-oficial do Campo de Trabalho Forçado de Baimalong

3 de Novembro de 2019 |  

(Minghui.org) Nos últimos meses, praticantes do Falun Gong apresentaram listas com os nomes dos perseguidores aos governos ocidentais para apoiar sanções contra esses violadores de direitos humanos que estão domiciliados na China. Uma lista foi enviada ao Departamento de Estado dos Estados Unidos em julho de 2019 e outras listas foram enviadas em setembro aos governos dos EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália.

Tan Xiangqian é um ex-oficial empregado no Campo de Trabalho das Mulheres de Baimalong em Zhuzhou, província de Hunan. Antes da dissolução do campo de trabalho, ele era chefe da Divisão de Polícia Especial e liderava os oficiais na perseguição aos praticantes do Falun Gong. Para forçar os praticantes a renunciarem à sua crença, Tan e os seus subordinados torturaram-nos com dezenas de métodos de tortura diferentes. Nos vários anos sob a liderança de Tan, cerca de 100 praticantes ficaram feridos, incapacitados ou até perderam a vida.

Por exemplo, Tan instruiu Pan Xiangdong, delegado gerente da divisão e seis outros oficiais para torturar a Sra. Hu Yuehui, 42 anos, em 2001. Eles espancaram-na violentamente e deram-lhe choques em todo o corpo com bastões elétricos, até às pálpebras e às sobrancelhas. Isto continuou até à meia-noite, quando as prisioneiras arrastaram a Sra. Hu, que já tinha perdido a consciência, de volta à cela. Depois as prisioneiras levaram-na para a cama e uma mulher ajudou-a a despir, a prisioneira descobriu que as roupas íntimas da Sra. Hu estavam coladas ao corpo por causa do sangue seco. A prisioneira teve de usar uma tesoura para cortar as suas roupas. Então, ela descobriu que todo o corpo da Sra. Hu estava ensanguentado, principalmente na parte inferior do corpo. Na cela, até as mais cruéis viciadas em drogas choravam ao vê-la naquele estado.

Outra altura foi em março de 2001, quando Tan e outros oficiais espancaram a Sra. Cao Jing, praticante do condado de Yuanjiang. A Sra. Cao vomitou sangue, e três das suas costelas foram partidas. Depois de ser levada para a clínica do campo de trabalho, ela foi injetada com drogas desconhecidas e um médico anunciou que ela sofria de cancro do pulmão. A Sra. Cao morreu em breve, logo depois a sua família levou-a para casa.

Huang Ping, esposa de Tan e gerente da Primeira Divisão do campo de trabalho, chamou Tan para a sua divisão em 2003. Ao ver a praticante Sra. Li Yan dizendo que "Falun Dafa é bom", Tan bateu-lhe violentamente e empurrou-a para o chão. Pisando a sua cabeça, Tan continuou a bater-lhe violentamente. Ele e Pan então levantaram a Sra. Li e a atiram-na com força contra a barra de metal que estava no chão. O osso ilíaco da Sra. Li partiu instantaneamente.

Informação pessoal:

Nome: Tan Xiangqian (谭湘谦)
Gênero: masculino
Data de nascimento: 14 de outubro de 1963
Emprego atual: Divisão de Administração e Educação do Centro de Reabilitação de Drogas Baimalong
Endereço: em arquivo no banco de dados Minghui

Nome: Huang Ping
Gênero: feminino
Detalhes: a esposa de Tan, ex-gerente da Primeira Divisão no Campo de Trabalho das Mulheres de Baimalong

Reportagem relacionada:

2.500 membros da família de praticantes do Falun Gong assinam em conjunto uma carta expondo as atrocidades no Campo de Trabalho Forçado Feminino de Baimalong