Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Histórias de cultivo de antigos poetas chineses

19 de Outubro de 2019 |   Por Xun Zhen

(Minghui.org) Muitos poetas da história chinesa não escreveram apenas grandes versos, mas também desenvolveram habilidades no cultivo. Tais habilidades frequentemente estavam presentes nos poemas que escreveram e aumentaram o brilho das suas palavras.

Opiniões de Tao Yuanming sobre a vida e a morte

Tao Yuanming, um poeta da Dinastia Jin Oriental, não previu apenas a hora exata de sua morte, mas na véspera escreveu três elegias nas quais descreveu a reação da sua família à sua morte. Gerações posteriores elogiaram sua atitude em relação à morte, dizendo que ele “considerava a morte como um retorno para casa” e que ele realmente cumpriu o que disse em um dos seus poemas:

“Em meio a grandes ondas,
sem alegria ou medo:
Se alguém morrer, então morra
sem quaisquer preocupações”.

A mensagem pode ser interpretada como: “O meu corpo se tornará poeira, mas não é o fim da vida. Eu não vou me alegrar por finalmente deixar o mundo terreno, nem terei medo da morte. As coisas vão acabar quando for a hora, e não há necessidade de se sentir triste com isso”.

Bai Juyi e reencarnação

Em torno do pico do período da Dinastia Tang, muitos oficiais da corte e estudiosos praticavam o Budismo, e alguns deles sabiam o que faziam nas suas vidas passadas. Bai Juyi escreveu no poema "Auto-explicação":

“Fang foi dito ser um monge Budista na sua vida anterior,
enquanto Wang, um pintor artista;
Eu também olhei minha vida em meditação,
e descobri que as minhas vidas estavam ligadas à poesia..."

Quando o poema diz que “Fang Guan (um amigo de Bai) foi dito ser um monge Budista na sua vida anterior”, enquanto o poeta Wang Wei era um artista, Bai dizia que o seu talento como poeta foi acumulado vida após vida. A sua explicação ofereceu uma natural explicação para os "gênios", que também foi confirmado pela pesquisa científica atual sobre a reencarnação.

Por exemplo, uma criança com apenas alguns anos de idade e sem qualquer experiência foi capaz de conduzir uma lancha. Uma pesquisa detalhada revelou que, na sua vida anterior, ele era capitão de uma lancha com décadas de experiência.

Pesquisa de Wei Yingwu para o Tao

Wei Yingwu era um conhecido poeta no Período Daizong da Dinastia Tang. Ele já tinha decidido ser Taoísta quando se retirou aos 42 anos de idade do seu posto de oficial, devido a problemas de saúde. Ele foi morar num templo. Ninguém sabe exatamente até onde ele foi no seu cultivo, mas um dos seus poemas pode oferecer algumas pistas:

“Embora eu seja colocado como um ser divino,
meu coração ficou longe das coisas terrenas;
Eu comporto-me da mesma maneira que o cultivo em uma caverna,
Não vou violar a verdade sagrada."

A vida de Wei Yingwu era muito dura, com muitos altos e baixos, mas ele estava determinado a procurar o Tao. Ele sentiu que já havia obtido o Tao quando abandonou a fama e ganho no mundo terreno e alcançou um estado de retorno ao seu verdadeiro eu. Para alguém ser considerado um ser divino é uma honra eterna.

O cultivo do Tao de Zhang Zhihe

Revelações sobre o estado de cultivo de Zhang Zhihe podem ser encontradas no livro Xu Xian Zhuan (Biografias dos Imortais, Continuação), no qual ele era considerado uma pessoa que “mantinha a verdade e cultivava qi”, que podia “ficar na neve sem sentir frio e pular na água sem se molhar. Ele viajou por todas as montanhas e rios sob o céu”.

Do ponto de vista de uma pessoa comum, as suas habilidades já eram extraordinárias. Ainda assim, eram apenas habilidades desenvolvidas no cultivo da Escola Tao. Dos poemas e pinturas de Zhang, podemos ver que ele superou em muito o nível de meras habilidades e a sua mente já havia atingido um nível muito alto.

De fato, de qualquer maneira que alguém possa cultivar o coração, ou o caráter, de acordo com o Fa reto, é cultivo - um processo pelo qual uma pessoa se esforça para constantemente abandonar os seus apegos às coisas terrenas e melhorar a sua mente passo a passo para finalmente alcançar os padrões exigidos por essa escola particular de cultivo. É claro que queimar incenso, adorar Buda, meditar ou preparar uma fornalha e colher remédios para fazer elixir também são métodos de cultivo nas Escolas Budista e Taoista, mas são apenas métodos superficiais num estágio elementar.

“O grande caminho é sem forma” - esses métodos superficiais desaparecerão em altos níveis, e tudo no cultivo progride com o “cultivo do coração”. Nos tempos antigos, os poetas cultivavam-se escrevendo poesia, e a poesia antiga também fazia parte da cultura divina da China. Através da constante elevação do estado de espírito dos poetas, os seus padrões morais também estavam melhorando, juntamente com as suas habilidades em escrever poesia. Na comunidade de cultivadores, tal estado pode ser chamado de “No Tao sem cultivar o Tao” (Zhuan Falun, Volume II). Isso era apenas um processo natural.