Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Falun Dafa em Jiamusi, província de Heilongjiang

27 de Fevereiro de 2018 |   Por Tong Song

(Minghui.org) Uma imagem vale mais do que mil palavras. Desde o dia em que o Falun Dafa foi introduzido em Jiamusi, na província de Heilongjiang, em 1994 até hoje, assumir a prática até resistir pacificamente à perseguição organizada pelo governo nos últimos 19 anos se mostrou uma jornada inesquecível, cheia de alegrias e dificuldades.

Este é um álbum de fotos que documenta a ascensão do Falun Dafa em Jiamusi nos primeiros dias e os esforços corajosos dos praticantes para resistir a perseguição do regime comunista desde 1999.

Falun Dafa se espalhou rapidamente os  dias iniciais

Em 1994, duas irmãs com o último nome de Wang em Jinzhou, província de Liaoning, vieram a Jiamusi para apresentar o Falun Dafa. Apenas uma dúzia de pessoas participaram da primeira reunião. Surpresos com os relatos das irmãs de como o Falun Dafa as beneficiou, muitos na audiência iniciaram a prática.

Para que mais pessoas soubessem sobre o Falun Dafa, os praticantes divulgavam gratuitamente o Falun Dafa e faziam os exercícios em grupo nos parques e na praça pública. Uma após a outra, mais e mais pessoas começaram a praticar o Falun Dafa, inclusive aquelas em cidades e municípios próximos.

No final de 1998, mais de 10 mil pessoas em Jiamusi tinham aprendido a prática.

Fazendo exercícios ao ar livre mesmo nos dias de inverno mais frios (foto tirada em 1996)

Fazendo os exercícios de manhã em uma praça residencial (1996)

Local dos exercícios em grupo (1996)

Preparando uma exibição pública para apresentar Falun Dafa (1997)

Apresentando Falun Dafa ao público (1998)

Grande grupo fazendo os exercícios em frente à Câmara Municipal (1998)

Grande grupo fazendo os exercícios em frente à Câmara Municipal (1998)

Os praticantes varrem a neve na frente da prefeitura antes dos exercícios da manhã (1997)

Foto em grupo após um evento que apresentou o Falun Dafa em uma fazenda (1997)

Exercícios em grupo (1999)

Bênçãos ao cultivar o Falun Dafa

À medida que o Falun Dafa se espalhava rapidamente em Jiamusi, muitas pessoas experimentaram uma tremenda melhoria em sua saúde e no seu caráter moral. O Falun Dafa os ajudou a aproveitar melhor a vida e a servir a comunidade.

Sr. Zhang Jiatong

Zhang Jiatong expressando sua gratidão ao Professor Li Hongzhi. A sua tuberculose foi curada após ter participado das aulas do professor Li em Dalian, província de Liaoning, em 1994. (1996)

Cao Wei

Um rolo compressor bateu na praticante Cao Wei e passou sobre sua perna quando ela estava parada na calçada. "Eu não tinha ideia do que aconteceu, eu só sabia que de repente fui esmagada sob um caminhão", lembrou Cao. Apesar da enorme dor, ela ficou impressionada ao ver sua perna ainda intacta após o acidente.

As calças rasgadas de Cao Wei (2006)

A marca na perna de Cao Wei depois que foi atropelada por um rolo compressor (2006)

Sr. Lin Zehua

O Sr. Lin Zehua foi torturado e se tornou incapaz de caminhar apenas quatro meses depois de ter sido admitido na Prisão de Jiamusi para cumprir uma pena de sete anos por não desistir de praticar o Falun Dafa em 2007.

Quando foi libertado em setembro de 2014, o médico disse-lhe que ele nunca mais caminharia.

Mas o Sr. Lin pensava de forma diferente. Ao voltar para casa, ele retomou sua prática diária do Falun Dafa. Desde março de 2015, cerca de sete meses depois, ele consegue andar devagar e subir as escadas.

Lin Zehua tornou-se incapaz de andar na prisão (2014)

O Sr. Lin Zehua conseguiu caminhar depois de continuar a prática em Falun Dafa (2015)

Sr. Li Shuangnan

Li Shuangnan teve um acidente de carro em 11 de outubro de 2006. Seu cérebro foi gravemente lesado.

Quando o médico disse que não seria capaz de salvá-lo, sua mãe e sua tia, que eram duas praticantes do Falun Dafa, não perderam a esperança. Elas correram para a sala de emergência e pediram a Shuangnan que recitasse: “Falun Dafa é bom”. No dia seguinte, o médico ficou surpreso ao verificar que a pressão sanguínea e o pulso do Sr. Li estavam normalizados, então eles decidiram operar.

No terceiro dia, o médico solicitou uma tomografia computadorizada de seu cérebro antes da cirurgia. Eles ficaram ainda mais surpresos ao ver que seu crânio havia se curado e a cirurgia não era mais necessária.

Em 10 de novembro de 2006, um mês depois do acidente, o Sr. Li estava quase recuperado e podia caminhar sozinho. “Foi o Professor do Falun Dafa que salvou a minha vida”, ele disse.

O Sr. Li Shuangnan e sua esposa quatro anos após o acidente de carro (2010)

Contra a perseguição com coragem e fé

Em julho de 1999, surpreendido com a popularidade sem precedentes do Falun Dafa na China, o regime comunista iniciou uma supressão para tentar acabar com a prática. Frente a uma das perseguições mais severas na história do país, os praticantes em Jiamusi foram, e são, corajosos. Eles são inabaláveis em sua fé, e se opõem a perseguição com enorme coragem e perseverança.

Chen Ying

Chen Ying, uma aluna do ensino médio, foi presa quando foi apelar pelo Falun Dafa em Pequim em 16 de agosto de 1999. Como a polícia a levou de volta a Jiamusi de Pequim, ela foi forçada a saltar do trem para evitar a brutalidade policial. Ela morreu instantaneamente. Ela tinha apenas 17 anos.

Chen Ying (terceira da direita para a esquerda) e suas colegas de escola

De acordo com informações coletadas pelo Minghui.org, pelo menos 82 praticantes em Jiamusi morreram por causa da perseguição entre 1999 e 2016. Outros 88 foram condenados à prisão, com prazo médio de 4,85 anos. 381 praticantes foram enviados para campos de trabalho forçado, com prazo médio de 2,25 anos.

Praticantes do Falun Dafa em frente a um tribunal em apoio àqueles que estão sendo julgados pela fé (2008)

Sr. Ma Xuejun

O Sr. Ma Xuejun foi condenado em 2002 a 12 anos de prisão por praticar Falun Dafa. Ele sofreu terríveis maus tratos na prisão, incluindo espancamentos, privação de sono e alimentação forçada. Ele estava perto da morte quando a prisão o mandou para casa em 2003, menos de um ano depois.

O Sr. Ma Xuejun era apenas pele e ossos quando foi libertado da prisão em 2003. Ele recuperou sua saúde depois que ele continuou praticando o Falun Dafa em casa. (A foto acima foi tirada em 2016)

Sr. Qin Yueming

O Sr. Qin Yueming foi torturado até a morte na prisão de Jiamusi em 26 de fevereiro de 2011. A sua família apelou para as autoridades e buscou justiça para ele repetidamente. Em retaliação, a polícia prendeu sua esposa e filha mais nova e as enviou para um campo de trabalho forçado por um ano e meio.
A filha mais velha do Sr. Qin, Qin Rongqian, foi deixada sozinha aos 19 anos de idade. Ela trabalhou incansavelmente por dois anos para expor os fatos da morte de seu pai e libertar sua mãe e sua irmã. Mais de 5 mil pessoas em Jiamusi assinaram sua petição para apoiá-la.

A Sra Qin Rongqian visitou todos os departamentos governamentais relevantes em Jiamusi para buscar justiça para sua família (2012)

Depois que o regime comunista suspendeu o conhecido sistema do campo de trabalho em 2013, surgiram centros de "lavagem cerebral" em toda a China, incluindo o Centro de Lavagem Cerebral de Qinlongshan, na área do subúrbio, em Jiasanjiang.

De acordo com informações coletadas pelo Minghui.org, pelo menos 92 praticantes do Falun Dafa foram detidos e torturados no Centro de Lavagem Cerebral Qinlongshan.

Para combater a perseguição no centro de lavagem cerebral, praticantes do Falun Dafa e advogados de direitos humanos reuniram-se no Centro de Lavagem Cerebral de Qinlongshan e exigiram que os praticantes detidos fossem libertados. Devido a isso, quatro advogados de direitos humanos foram espancados e detidos. Devido à ampla cobertura da mídia internacional sobre o incidente, o centro de lavagem cerebral foi finalmente fechado.

Os praticantes de Falun Dafa e advogados de direitos humanos reuniram-se em frente do Centro de Lavagem Cerebral de Qinlongshan para exigir a libertação de praticantes detidos.(Captura de tela de um vídeo em 2014)

Entre maio de 2015 e fevereiro de 2016, 1.705 praticantes em Jiamusi apresentaram denúncias criminais contra Jiang Zemin por ordenar a perseguição ao Falun Dafa, exigindo que o Supremo Tribunal Popular e a Suprema Procuradoria Popular o levem à justiça.

Os praticantes em Jiamusi apresentaram denúncias criminais contra Jiang Zemin por ser o responsável pela perseguição ao Falun Dafa.(2015)

Além de apresentar denúncias criminais contra Jiang Zemin, os praticantes também fizeram materiais informativos sobre o Falun Dafa em suas casas e conversaram com as pessoas sobre a prática.

Materiais informativos caseiros documentando a perseguição (2009)

Conversando com pessoas sobre o Falun Dafa (2012)

Falando com as pessoas sobre o Falun Dafa (2015)

Banners do Falun Dafa que expõem a perseguição (2014)

Banners do Falun Dafa que expõem a perseguição (2016)

A bandeira em uma área residencial diz que “Falun Dafa é bom” (2011).

Uma bandeira do Falun Dafa em uma ponte diz: “Comemorando o 12º Dia Mundial do Falun Dafa” (2011)

Banners do Falun Dafa em uma área residencial (2011)

Clientes em um mercado de agricultores felizes em receber os calendários do Falun Dafa de praticantes (captura de tela de um vídeo filmado em 2015)

Aldeões ouvem um praticante esclarecer os fatos sobre o Falun Dafa. (Captura de tela de um vídeo selecionado em 2013)