Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Em Heilongjiang, autoridades ameaçam cremar forçadamente o corpo de um homem morto 10 dias após prisão por sua fé

31 de Março de 2017 |   Por um correspondente do Minghui na província de Heilongjiang, China

(Minghui.org) Autoridades da Cidade de Mudanjiang estão ameaçando cremar forçosamente o corpo de um homem morto há apenas 10 dias depois da sua prisão por sua fé.

Em 19 de abril de 2016, o Sr. Gao Yixi foi levado de sua casa por se recusar a renunciar o Falun Gong, disciplina espiritual que está sendo perseguida pelo regime comunista chinês.

Sr. Gao

Senhor de 45 anos morreu 10 dias depois ter sido preso, com uma saliência no peito e o abdômen afundado. No dia seguinte, foi feita autópsia pela polícia, mas até agora a sua família ainda não recebeu os resultados.

A família do Sr. Gao solicitou uma segunda autópsia, mas isso também lhe foi recusado.

Por isso, a família decidiu cuidar do caso com as próprias mãos. Em finais de julho deste ano, contrataram um advogado e um médico particular para examinar o caso, os quais sofreram ameaças.

No dia 11 de agosto, o Senhor Tian Ruisheng, diretor do Escritório de Ligação da Procuradoria da Cidade de Mudanjiang, no Centro de Detenção de Mudanjiang, telefonou para a família. Pediu que fossem entregues a ele todo o dinheiro que eles deviam ter economizado para cobrir os custos do médico particular.

A família se recusou a obedecer e no dia seguinte foi ameaçada por Tian. Tian alegou que o corpo do Sr. Gao seria cremado se sua família deixasse de enviar nos próximos dias, e em espécie, a quantia em dinheiro.

A Sra. Sun Fengxia, esposa do Sr. Gao, também pratica Falun Gong. Ela foi presa junto com seu falecido marido, e até recentemente não havia sido solta sob fiança.

A filha adolescente do casal, tinha deixado a escola para lutar contra a injustiça que o seu pai sofreu.

Com as novas ameaças, as duas mulheres na família Gao estão sem respaldo e sem saber que alternativa tomar para impedir que o corpo seja cremado, antes de ser feita uma autópsia independente.