Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

“Somente os praticantes do Falun Gong podem expor totalmente a brutalidade do Partido Comunista”

15 de Março de 2016 |   Por Liu Wenxin

(Minghui.org) Em 6 de março, os praticantes do Falun Gong de Taipei, em Taiwan, realizaram, perto da rua Zhongxiao, encenações para conscientizar o público sobre a repressão contínua aos praticantes do Falun Gong na China, incluindo a extração forçada de órgãos de praticantes vivos do Falun Gong que foram presos por conta de sua fé.

Em uma das áreas comerciais mais movimentadas em Taipei, a atuação dos praticantes e os cartazes exibidos atraíram rapidamente a atenção das pessoas.

Praticantes do Falun Gong em Taipei esclarecem a verdade sobre a perseguição na China. Um praticante explica a dramatização aos pedestres.

Tsai Shouren, um dos organizadores do evento, disse que, apesar de evidências da extração forçada de órgãos pelo regime chinês ter vindo à luz, há muito poucos relatos atuais da mídia sobre o assunto. Ele esclarece: “Portanto os praticantes não têm escolha, senão tomar iniciativas para sensibilizar as pessoas para esta grave violação dos direitos humanos”.

Quando ele solicitou uma autorização para o evento, um policial disse que estava ciente de algumas atrocidades cometidas pelo regime chinês e acrescentou: “Somente os praticantes do Falun Gong podem expor totalmente a brutalidade do Partido Comunista”.

Jiang Zemin, o ex-líder chinês que iniciou a perseguição ao Falun Gong, foi processado em pelo menos 16 países por crimes contra a humanidade, tortura e genocídio. Desde maio do ano passado, cerca de 200 mil queixas-crime foram apresentadas contra ele na Suprema Procuradoria Popular e no Supremo Tribunal Popular da China.

Turistas da China Continental passam pelo estande dos praticantes.

“O esforço de todos irá fazer a diferença”

Xu, um turista dos EUA, assinou a petição pedindo o fim da perseguição na China. Ele disse: “Eu já tinha ouvido falar sobre a perseguição e estou contente por assinar a petição hoje”. Ele também disse que era importante fazer com que mais pessoas saibam sobre a extração forçada de órgãos de pessoas vivas e sobre outros crimes cometidos pelo Partido Comunista Chinês. Ele também espera que as pessoas de outros países consigam por fim ao turismo de transplante de órgãos de pessoas indo à China.

Ele acrescentou: “Nós não podemos ir à China continental para acabar com esta atrocidade, mas nós temos que fazer a nossa parte para ajudar, porque o esforço de todos irá fazer a diferença”.

Vários estudantes universitários disseram que foram informados sobre a perseguição ao Falun Gong pelo Facebook.

A Srta. Chen Chen, de 20 anos, disse que as autoridades de Taiwan, em vez de seguirem cegamente o regime comunista, deveriam fazer o máximo possível para se informar sobre o que está ocorrendo na China. Ela ouviu algumas informações sobre a prática de meditação do Falun Gong e antes de sair disse: “Vou tentar praticar algum dia”.

Um grupo de cinco turistas da China continental também assinou a petição dos praticantes. Um deles fez um sinal de positivo para os praticantes e disse: “Vocês têm o meu apoio. Por favor, continuem!”

Um ciclista para e assina a petição.