Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

A inspiradora história de uma ex-paciente de leucemia

30 de Julho de 2015 |   Escrito por Zhang Shujun

(Minghui.org) Meu nome é Zhang Shujun e eu sou uma mulher de 35 anos de idade. Como a maioria dos outros jovens, eu amava a vida e estava cheia de vigor e vitalidade. No entanto, eu contraí leucemia quando tinha apenas 26 anos de idade. A doença foi como um golpe fatal na minha vida. Minha mente ficou completamente em branco e as lágrimas correram pelo meu rosto sem parar enquanto eu estava deitada na cama do hospital. Porque eu? Por que a vida era tão injusta comigo? Os procedimentos médicos intermináveis e dolorosos enfraqueceram o meu sistema imunológico. Eu sempre contraía gripe e constantemente tinha febres altas. Como eu era sensível às drogas de combate ao câncer, muitas vezes eu tinha terrível coceira por todo o meu corpo. Eu tinha que coçar forte e isso provocava sangramento. Devido a duração dos tratamentos e as frequentes transfusões de sangue, a pele na parte de trás da minha mão tornou-se rígida. Eu me sentia mal e vomitava toda vez que recebia uma transfusão.

Depois de um ano dessas lutas dolorosas, meu lindo cabelo preto caiu devido às grandes doses de radiação e os tratamentos de quimioterapia. Eu perdi quase 15 quilos em apenas alguns dias. Eu me sentia desesperada depois de ver vários outros pacientes com leucemia falecerem um após o outro. Comecei a pensar continuamente sobre a minha vida e seu valor: os seres humanos percebem o quão insignificantes e desamparados são quando enfrentam a morte. Embora possam ser ricos e possam ter as posições mais poderosas do mundo, na realidade, eles não têm nada. Fiquei me perguntando, que misterioso poder é esse que domina e equilibra tudo neste mundo de sofrimento? Os procedimentos médicos causaram muitas convulsões; quaisquer um deles poderiam facilmente ter tirado a minha vida.

Na época, eu estava magra, tinha uma palidez escura e estava fora de forma. Minha saúde continuou sempre se deteriorando mesmo depois de vários hospitais ocidentais e chineses estarem me tratando. Os meus pais cuidaram de mim e sofreram tanto emocional como financeiramente. Eu não sei quantas vezes minha mãe chorou nas minhas costas. Chorei sem parar. Eu gostaria de saber se existia qualquer poder para me ajudar a escapar das garras da morte. Orei e esperava que eu vivesse. Neste momento, entre a vida e a morte, de repente eu percebi que o sentido da vida não estava apenas na busca do conforto para si mesmo; em vez disso, havia coisas muito mais preciosas e belas!

Em março de 1995, eu felizmente descobri o Falun Dafa. Foi um momento decisivo na minha vida. No início, quando eu fui para o local de prática, eu não conseguia realizar nem os quatro primeiros exercícios uma vez, já que eu estava extremamente fraca e a condição do meu coração era muito pobre. Depois de algum tempo fazendo os exercícios, meu corpo gradualmente se sentiu relaxado e eu pude facilmente terminar os exercícios de pé, o que demorou uma hora. Eu me senti como se estivesse escapado do inferno de dor e desesperança! Foi um milagre!

Apenas um mês depois que eu comecei a cultivar os princípios universais do Falun Dafa de “Verdade, Compaixão, Tolerância”, a doença que não poderia ser curada pela medicina moderna, e que custou à minha família centenas de milhares de yuanes desapareceu completamente. Será que isto não mostra que o Falun Dafa é uma ciência genuína e extraordinária? O sorriso voltou ao meu rosto. Eu costumava ser uma inválida e não podia cuidar de mim mesma, mas logo eu pude fazer o trabalho doméstico e cuidar dos meus pais. Eles estavam muito felizes por verem a mudança em mim.

Depois de três anos de tortura desta grave doença e seus tratamentos, eu estava finalmente experimentando as maravilhas de estar completamente livre de doença e de dor. As mudanças no meu corpo e mente me fizeram acreditar firmemente na verdade do Falun Dafa. Depois de apenas dois meses de prática, voltei a trabalhar. Na minha vida diária eu segui os princípios explicados no Zhuan Falun, o livro principal do Falun Dafa. Eu trabalhei duro e sempre considerei os outros em primeiro lugar. Eu procurava me examinar primeiro sempre que havia um conflito. Sob a orientação do Fa, eu me esforcei para alcançar o reino da abnegação e do altruísmo. As mudanças que ocorreram em mim foram óbvias aos supervisores e aos outros funcionários na minha unidade de trabalho.

Minha mãe também mudou muito depois que ela começou a praticar o Falun Dafa. Todos os seus problemas de saúde desapareceram, bem como o seu mau humor. Ela costumava brigar com o meu pai e, agora, depois de praticar o Falun Dafa ela tornou-se gentil e compreensiva. Minha família é feliz e vive em perfeita harmonia. O Dafa deu-me a minha vida de volta; portanto, eu deveria beneficiar os outros com a minha vida e empregar o meu melhor esforço para esclarecer a verdade e despertar a consciência das pessoas. Fico triste quando vejo pessoas cedendo na busca da fama e interesses próprios ou lutando desesperadamente com doenças incuráveis.

Portanto, quando algumas pessoas no governo erroneamente começaram a perseguir e difamar o Falun Gong, eu fui a Pequim para declarar a verdade e despertar a consciência das pessoas com as minhas experiências pessoais e com a minha vida, que foi enriquecida pelo Dafa. No entanto, eu fui presa ilegalmente, detida e punida pela minha unidade de trabalho. Agora eu fui obrigada a sair de casa e vaguear sem abrigo para evitar mais perseguições. No entanto, eu sinto que vale a pena se as pessoas deixam de ficar cegas pelas mentiras do governo depois de eu dizer-lhes minhas experiências. Espero que as pessoas sejam capazes de distinguir entre a bondade e a maldade, entre o bem e o mal, examinando a sua própria natureza bondosa.

Eu realmente espero que todos neste mundo sintam a mesma esplêndida e magnífica felicidade que eu sinto! Agora eu entendo por que os cultivadores devem alcançar a iluminação reta de abnegação e altruísmo. O propósito da existência de um cultivador é inteiramente para o benefício dos outros!


Nota do editor: por questões de segurança, o nome do artigo foi alterado para um pseudônimo. Todos os nomes dos hospitais, médicos e endereços foram omitidos.