Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

25 de abril de 1999: Testemunha da pureza de Falun Gong

8 de Julho de 2014 |   Por um praticante da China

(Clearwisdom.net) Já se passaram 15 anos desde o apelo de 25 de abril. Recordando aquele dia, tudo ainda está muito vivo na minha memória.

Naquela manhã, eu e vários praticantes fomos para o lado norte da Rua Fuyou, em Pequim. Os policiais estavam orientando os praticantes para caminharem ao longo do muro do lado esquerdo da rua. Nós não sabíamos que aquele era o muro de Zhongnanhai. Mais tarde, eles nos pediram para passar para as calçadas do lado direito da rua. Em pouco tempo, as calçadas estavam cheias de gente, já que muitos praticantes continuavam chegando para apelar. Embora eles não se conhecessem, eles ficaram juntos, como famílias e silenciosamente compartilharam suas experiências de cultivo uns com os outros.

Praticar o cultivo de acordo com os princípios da Verdade-Compaixão-Tolerância ajuda a pessoa a melhorar, tanto física quanto mentalmente. Uma praticante do nordeste da China disse que ficou de cama por causa de uma doença. No entanto, logo depois de ter começado a praticar, ela notou melhorias evidentes na sua saúde e começou a cuidar de si mesma. Embora ela ficasse um pouco sem fôlego enquanto falava, ela estava extremamente grata ao Mestre e queria dizer às pessoas a verdade sobre o Falun Gong, sem se importar com as dificuldades!

Durante mais de 10 horas de espera, não houve bagunça e sequer qualquer barulho. Os praticantes se revezaram entre ficar na frente e descansar, na parte de trás. Alguns estudavam o Fa e faziam os exercícios enquanto esperavam. Eles também lembraram aos outros para respeitar a propriedade pública e manter o ambiente limpo. De vez em quando, nós víamos alguns praticantes mais velhos se abaixarem para recolher bitucas de cigarro e lixo. Alguns praticantes jovens recolhiam embalagens descartáveis e outros resíduos em sacos plásticos. Ninguém sabia quem eles eram. Eles poderiam ser trabalhadores, agricultores, professores ou mesmo cientistas. Quem eles eram não era importante. Naquele momento, eles só tinham uma identidade: praticantes do Falun Gong.

Todos estavam esperando calma e pacientemente nesse dia. Por volta das 21 h, os praticantes foram informados de que as pessoas que tinham sido presas em Tianjin haviam sido liberadas e que eles deviam voltar para as suas casas e continuar a prática, mantendo uma vida normal. Assim, os praticantes calmamente deixaram o local sem fazer barulho, com exceção do som leve dos seus passos. Imediatamente, todos verificaram se haviam deixado qualquer lixo no chão, recolhendo o que ainda encontrassem. Quando eles saíram, não havia um único pedaço de papel no chão, deixando o local impecavelmente limpo.

Olhando para o chão sob a luz, eu peguei um pauzinho descartável que tinha sido deixado de fora. Lágrimas correram dos meus olhos. Uma enorme multidão tinha estado aqui por um tempo tão longo, mas desapareceu sem deixar vestígios de sua presença, deixando o lugar impecável. Eu nunca vi nada assim! Um policial apontou para o chão e exclamou para outros oficiais: “Olhem para isso! O que é virtude? É isso, é isso que se chama virtude!"

Em abril, em Pequim, o tempo ainda está um pouco frio, mas uma cena tão harmoniosa e tranquila aqueceu o coração de todos, deixando nas pessoas a sensação da beleza de um coração puro. Eu acredito que os pedestres que passavam naquele dia também testemunharam a moral nobre que os praticantes do Falun Gong possuem. Um grande grupo de pessoas de coração puro! Este é um estado sagrado que o Falun Gong confere às pessoas! Como tenho sorte de praticar o cultivo no Falun Dafa!