Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Profecia de um velho monge se torna realidade

4 de Julho de 2014 |   Por uma praticante de Falun Dafa na China

(Minghui.org)

Profecia de um velho monge

Em 1º de maio de 1966, eu tinha 11 anos e vivia na cidade de Liaoyang, província de Liaoning. No feriado de "1º de maio" do Dia do Trabalho, a minha escola organizou uma excursão para a montanha Qianshan, no bairro da cidade de Liaoyang. Quando viajei para um mosteiro budista, eu andei até um estande admirando as lembranças extravagantes para venda e deixei para trás meus colegas de classe. Entrei sozinha no mosteiro. Um velho monge sentado na varanda me parou dizendo que ele estava esperando por mim e que eu deveria ficar lá e me tornar uma freira budista.

Suas palavras me deixaram perplexa porque eu era muito jovem e nunca tinha ouvido falar de nada parecido antes. Eu respondi: "Mas vou sentir saudades de minha mãe." Então ele tentou me doutrinar: "Você já ouviu falar de quaisquer divindades antes?". Então eu disse a ele sobre as várias divindades que eu conhecia. Ele perguntou: "Você gostaria de se tornar uma delas?" Eu disse: "Eu gostaria, mas sinto saudades de minha mãe. Se eu não voltar para casa, ela vai ficar muito preocupada comigo". Ele disse: "Não se preocupe, ela vai ser informada. O poder divino do Fa Buda é onipotente. Apenas alguns dias depois de sua reencarnação você já esqueceu quem você é. Se você pudesse se lembrar de quem você realmente é, você teria ficado de joelhos me pedindo para tomá-la como minha discípula". Eu disse: "Eu quero ajoelhar-me para você, e quero cultivar-me em uma divindade, mas não posso deixar de viver com minha mãe. Você realmente deve ter me tomado como sua discípula quando eu era jovem e inocente. Agora eu já sou velha o bastante para ser relutante em deixar minha mãe e, para ser honesta, eu quero ir para uma universidade quando eu crescer."

Ele disse: "Você nunca será capaz de ir para uma universidade. Um movimento político vai varrer toda esta terra muito em breve. Ele irá durar por um longo período de tempo, cerca de dez anos. Todas as pessoas serão envolvidas nele, e não haverá nenhuma chance para você ir para nenhuma universidade”. Ele continuou: "Se você não quiser ficar comigo, você ainda terá a chance de cultivar, mas você vai ter que esperar por 30 anos. Naquela época, um grande Fa chamado Falun Gong será divulgado a este mundo e muitas pessoas vão praticá-lo. O homem que vai divulgar o Fa já desceu a este mundo. Você poderá se tornar seu praticante mais tarde, mas você terá que esperar por 30 anos. Neste mundo mundano, você vai chegar você vai entender a sua vida mortal, mas no final o que vai ficar na sua mão não é nada". Eu disse: “Vou cultivar 30 anos mais tarde. Se eu me esquecer, então, por favor, me lembre”.

Meus colegas me encontraram depois de terem me procurado e me pediram para eu ir com eles. Antes de sairmos o velho monge pediu a um jovem monge budista na varanda para me parar. Ele me separou deles dizendo: "Vocês vão, mas ela vai ficar aqui." Sem saber o que estava acontecendo, eles me arrastaram pelas minhas mãos e descemos correndo montanha abaixo. Paramos em um lugar no meio do caminho da base da montanha que era coberta por muitas barracas que vendiam lembranças. Antes que eu pudesse parar para recuperar o fôlego, eu descobri que o velho monge já estava lá. Fiquei surpresa: "Por quê? Como é que você já está aqui, diante de nós? Eu não o vi descendo a montanha quando corríamos". Ele disse: "Você me vê aqui, mas você não me viu correr montanha abaixo como você fez; você já deve saber quem eu sou". Então eu percebi que ele poderia ser uma divindade. Ao vê-lo no meu caminho, meus colegas me arrastaram pela minha mão novamente e corremos até a base da montanha. Quando estávamos na saída o vimos lá mais uma vez. Ele me disse: "Eu sugeriria que você não voltasse para o mundo mundano. Você não ganhará nada de lá, apenas miséria." Meus colegas me cercaram como guarda-costas protegem um VIP. Peguei o ônibus, e eu acenei para o velho monge e disse-lhe adeus. Esta história aconteceu no dia 1º de maio de 1966. Um mês depois, em 5 de junho, a "Grande Revolução Cultural", que não tem precedentes na história humana, varreu a China. O movimento durou dez anos e eu nunca tive a chance de ir para uma universidade.

Embarcando no cultivo em Dafa

Mesmo que minha vida fosse amarga, eu sempre pude encontrar um emprego bem remunerado e respeitável. Muitas pessoas queriam trabalho, mas em 1992, eu me senti indiferente à minha boa sorte e estava ansiosa para me tornar uma cultivadora. Em 1º de maio de 1992, eu decidi que iria começar meu cultivo. Eu decidi que daquele dia em diante eu iria poupar tempo para a meditação todos os dias. Eu nunca iria parar de fazer isso até que eu encontrasse o caminho certo, quando o meu cultivo verdadeiro começasse. Depois que eu terminava o trabalho, ia meditar sozinha em um lugar onde outras pessoas improvavelmente me vissem. Eu me sentava em uma laje de concreto que tinha sobrado de um projeto de construção de meu empregador, a qual ficava escondida da vista das pessoas, pela grama alta que crescia em torno dela.

Eu continuei fazendo isso até o final do outono de 1995, quando encontrei o livro Zhuan Falun. Quando o li, eu fiquei completamente absorvida. Eu sabia que tinha encontrado o que estava buscando com a maior ansiedade durante toda a minha vida. Depois que terminei de lê-lo pela primeira vez, eu respeitosamente o coloquei de lado e me ajoelhei em frente à foto do fundador do Falun Gong e prometi a ele que daquele dia em diante seria uma praticante do Falun Gong. A verdade embutida em Dafa alimentou minha mente como a água alimenta um homem sedento, de forma tão inspiradora que eu não podia deixá-lo de lado, assim que eu começava a lê-lo. Passei todo meu tempo livre estudando o Fa, exceto para cuidar da minha mãe idosa. Em janeiro de 1996, ela faleceu e eu podia gastar todo o meu tempo cultivando em Dafa. Assim, a profecia do velho monge se tornou realidade e eu trilhei o caminho íngreme e espinhoso de cultivo, e continuei marchando em frente até hoje.

Acalmando minha alma e eliminando meu carma

O Mestre purificou meu corpo quando eu comecei a praticar Falun Gong. Na minha vida mundana, eu persegui fama e ganho pessoal, em detrimento da minha saúde. Eu costumava sofrer de intoleráveis dores de cabeça agudas. Quando o Mestre limpou a doença de mim, ele sempre fez isso à meia-noite, quando eu estava dormindo. Então muitas vezes aconteceu que eu estava acordada pela dor de cabeça aguda no meio da noite, mas eu simplesmente tolerava, sem recorrer a qualquer medicamento. Eu sabia que era um sinal de que o Mestre estava eliminando o carma em mim, que eu vinha acumulando desde o início da minha vida. Eu também sofria de dores de dente que, às vezes, eram tão fortes que eu era incapaz de comer qualquer coisa. A dor foi embora depois de um período de tempo e ela nunca mais voltou. Eu também fui uma paciente de asma grave. Por muitos anos, eu tive dificuldades de respiração e ficava ofegante como se eu fosse morrer por falta de ar. O Mestre também eliminou o carma que alimentava a doença. Depois de dois meses a asma foi embora. Foi um processo difícil, mas nunca mais voltou depois que eu passei por isso.

A asma é uma condição médica muito comum entre as pessoas, e é considerada incurável pela comunidade médica. Só os próprios pacientes percebem o desconforto indizível que sofrem. Meus sintomas eram muito piores do que a maioria das pessoas com asma. Eu nunca poderia ter me recuperado disso se não fosse pela ajuda de Mestre. Agora eu estou livre de qualquer doença, sem tomar quaisquer medicamentos, tudo graças à purificação do Mestre do meu corpo.

Quando eu comecei a praticar Falun Gong eu era como uma criança mancando, sem saber o quão longe eu poderia chegar no meu cultivo. Eu me examinava em tudo o que fazia, medindo minhas ações em relação ao Fa. Um dia fui comprar um mapa. O vendedor por engano retornou 50 yuans a mais, mas eu não percebi até que eu cheguei em casa. Quando voltei para devolver o dinheiro, vi o casal discutindo sobre ter perdido o dinheiro. Eles ficaram muito felizes em me ver. Eu devolvi o dinheiro para eles e disse-lhes: "Eu sou uma praticante de Falun Gong e não vou deixar você perder o seu dinheiro, mas eu não teria agido desta forma se eu não praticasse Falun Gong."

Em seguida, compartilho outra história. Um dia, um caixa esqueceu de me cobrar depois que eu comprei muitas coisas em um supermercado. Depois de sair eu fui fazer compras em outra loja. Enquanto pagava, percebi que o caixa anterior não havia me cobrado. Eu imaginei que o caixa anterior estaria muito preocupado com seu erro. Quando corri para lá, expliquei o que havia descoberto. Ele disse: "Logo depois que você saiu, eu percebi que eu tinha deixado você ir sem lhe cobrar. Eu tentei alcançá-la, mas já era tarde demais. Falei com os meus colegas sobre minha má sorte, mas não podia fazer nada”. Vendo-me voltar para devolver o dinheiro, seus colegas disseram-lhe: "Você tem muita sorte de conhecer uma pessoa tão boa. É difícil de acreditar que uma coisa dessas aconteça hoje em dia." Eu disse a eles que eu sou praticante de Falun Gong, que não se beneficiaria das perdas dos outros. Eles disseram: "Por seu exemplo, podemos ver que os praticantes do Falun Gong são boas pessoas, embora o governo tenha antipatia à prática e proíba-a com as mais fortes táticas. Vimos uma outra pessoa que retornou depois de não ter sido cobrada. Ele também disse que era um praticante de Falun Gong".

Auxiliando o Mestre na retificação do Fa e salvando pessoas com o esclarecimento da verdade

Muito poucas pessoas podem reconhecer as mentiras da propaganda sobre o Falun Gong que o Partido Comunista Chinês (PCCh) vomita de seus porta-vozes, nem mesmo o meu marido. Em 2000 quando fui presa, ele foi até a delegacia de polícia local para solicitar a minha libertação. Quando cheguei em casa, ele me preveniu de fazer os exercícios de Falun Gong e tentou me forçar a desistir. Tendo um coração de reverência e gratidão para com o Mestre, como eu poderia desistir? Percebendo que ele não poderia mudar minha mente, ele decidiu se divorciar de mim. Então ele passou a trabalhar em outra cidade, deixando eu e nosso filho para trás. Muito em breve ele encontrou outra mulher e com toda a sua renda construiu uma nova casa, apesar do fato do nosso filho, que era um estudante universitário na época, estava em extrema necessidade de dinheiro para sustentar seus estudos. Pelo fato da delegacia de polícia Local e Comitê Político e de Assuntos Jurídicos mantinham-me sob estreita vigilância, eu não podia me mover livremente e tive que sair da minha cidade para trabalhar. Era uma vida difícil, mas eu conseguia pelo menos fazer algum dinheiro para sustentar meu filho e me livrar da vigilância das autoridades.

Na ânsia de obter a posse da minha casa, meu marido e sua nova amante tentaram que eu fosse presa novamente circulando a mensagem que eu era uma praticante de Falun Gong que havia sido presa antes. Eles até foram à polícia para lhes dizer que eu era uma praticante de Falun Gong e que tinha muitos materiais de Falun Gong em minha casa, na esperança de que eu pudesse logo ser presa para que eles pudessem ficar com a minha casa para eles. No entanto, graças à proteção do Mestre, o plano deles falhou. Eles então recorreram a uma trama ainda pior para me envolver na mais desesperada das situações, mas falharam novamente por causa da minha nobreza como uma praticante do Dafa. Como a retificação do Fa varria à frente, os maus elementos em outras dimensões foram praticamente eliminados e o meu ambiente de cultivo consequentemente melhorou. Meu marido logo se separou da mulher e voltou para mim, dizendo: "Afinal, Falun Gong não é mal. Você pode fazê-lo. Eu vou deixá-la em paz." No entanto, eu ainda tinha um rancor em relação a ele, especialmente quando eu pensava em todas as tramas cruéis que ele com aquela mulher haviam feito contra mim. De qualquer forma, ele tinha feito um mal tão grande para mim, e eu achava difícil perdoá-lo. Então eu pensei em estudar o Dafa, o qual pode resolver qualquer problema.

Não foram as tribulações e sofrimentos as melhores chances para eu melhorar o meu xinxing? Eu não deveria abandonar todos os meus apegos por fama, interesse pessoal e emoções de pessoas comuns? Não é cultivo quando se elimina esses apegos humanos? Com isso em mente eu abandonei meu rancor em relação a ele. Eu esclareci os fatos de Falun Gong para ele e fiz as três renúncias para ele. Eu disse a ele: "Você deve suprimir seu ressentimento ao Falun Gong, e somente desta forma você será salvo."

Junto com companheiros praticantes locais dediquei-me ao esclarecimento da verdade, fazendo as três renúncias e salvando as pessoas, cumprindo as promessas que eu fiz em tempos pré-históricos. Um dia eu viajei para um resort turístico com meu marido. Quando eu ajudei meu marido a descer a montanha, uma mulher me disse: "Ao contrário de você, eu não poderia ter me movido sem o apoio do meu marido." Eu vi que ela foi descendo cuidadosamente com a ajuda do marido. Eu disse: "Eu era como você antes e precisava da ajuda do meu marido para me movimentar". Ela perguntou: "Como que você melhorou? Agora você parece tão saudável". Eu disse: "Eu recuperei a minha saúde depois que comecei a praticar Falun Gong. Veja você, agora eu posso fazer todas as viagens das montanhas sem esforço, sem qualquer assistência". Ela disse: "Eu também quero praticar Falun Gong". Então eu passei as três renúncias para ela.

Um dia eu pedi a um homem idoso que fizesse as três renúncias, mas ele se recusou com a afirmação de que o Falun Gong estava tentando tomar o poder do PCCh. Eu disse a ele: "Como cultivadores não temos interesse no poder político. Peço-lhe para fazer as três renúncias somente para o seu próprio bem. Eu espero que você escape da catástrofe iminente e garanta sua vida no futuro. Você deve ter notado que hoje em dia as catástrofes, tanto naturais como provocadas pelo homem, aparecem uma atrás da outra. Elas chegam tão rápido! Os céus em breve enviarão destruição ao PCCh, o qual está perdidamente corrupto. Só renunciando a isto você pode proteger sua vida." No final, ele concordou em renunciar.

Uma vez eu pedi a um oficial militar aposentado para fazer as três renúncias, mas ele disse: "Eu não pago minhas dívidas para com o PCCh e nem participo de suas atividades há muitos anos. Isso significa que eu saí dele automaticamente." Eu conheci muitas pessoas que dão o mesmo argumento. Eu disse a ele: "Você jurou dar a sua vida para o PCCh em frente de sua bandeira de sangue, de modo que você deve abandonar esta promessa explícita. Caso contrário, você vai se tornar um objeto para ser enterrado junto com o PCCh." Então, ele concordou em renunciar.

Um trabalhador aposentado respondeu ao meu pedido de fazer as três renúncias: "Sou grato ao PCCh. Se o seu Mestre tornar-se o imperador da China, quais as mensagens e as recompensas que ele poderá me oferecer? Por que ele vive clandestinamente no exterior?". Eu disse: "Ele foi para o exterior para divulgar o grande Falun Dafa para o mundo. Agora o Dafa se espalhou para mais de 100 países. Imperador? Nós cultivadores não estamos interessados nisso. Como você pode ver, a única coisa que o PCCh se preocupa é fazer dinheiro para si próprio por meio da corrupção. Ninguém se preocupa com o povo chinês. Sua corrupção é irreversível. Somente renunciando a ele você pode salvar a si mesmo", ele sorriu e disse: "Obrigado. Por favor, faça isso por mim." Nos últimos anos inúmeras pessoas fizeram as três renúncias graças à minha persuasão.

Um dia eu fui para um mercado aberto para comprar algumas verduras, quando vi uma mulher idosa passando. Ela parecia muito fraca enquanto se movia cuidadosamente. Ela me disse: "Há alguma maneira milagrosa neste mundo para curar uma pessoa de todos os seus sofrimentos de uma vez por todas", respondi imediatamente: "Existe tal maneira. Se você sinceramente recitar "Falun Dafa é bom" e "Verdade-Compaixão-Tolerância é bom” você vai recuperar sua saúde em breve." Ela ficou muito grata a mim e fez três renúncias.

Quando eu fiz as três renúncias para um senhor idoso, ele disse de maneira pessimista: "Eu já estou tão velho. Que diferença isso pode fazer se eu sair ou não." Ao fazer seus exercícios, ele disse com tristeza: "Vou morrer logo". Eu disse: "A alma de um homem não morre depois que ele falece. Quando ele deixa este mundo ele só abandona a carne que desenvolveu a partir de alimentos que consumia, mas a sua verdadeira vida não perece e continuará a existir para sempre. Mas você deve fazer as três renúncias. Caso contrário, não haverá garantia para a imortalidade da sua alma." Em forma de agradecimento, ele concordou em fazer as três renúncias.

Tantas histórias aconteceram nos últimos anos e não vou enumerá-las todas aqui. Mestre, já que as palavras humanas são inadequadas demais para descrever o caminho que eu venho trilhando, eu não posso apresentar-lhe todas as histórias que vivi. No entanto, espero que minhas histórias convençam o Mestre da minha dignidade como seu discípulo, embora ainda haja muito a fazer no meu caminho de cultivo à frente.