Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

​Uma pessoa não precisa temer ao tomar medidas retas

20 de Novembro de 2014 |   Por Shenghua, da cidade de Weihai, província de Shandong

(Minghui.org) Dizer às pessoas sobre o Falun Dafa e a perseguição é arriscado na China, mas a fé no Mestre me permitiu superar muitas situações perigosas.

Um dia, na primavera de 2007, eu disse a um guarda de segurança num supermercado sobre a perseguição. Ele ameaçou chamar a polícia e não me deixou sair. No entanto, eu não estava com medo. Eu calmamente lhe contei histórias como o bom é recompensado e o mal é punido. No final, ele me disse que estava apenas brincando sobre me prender.

Uma noite de verão durante o mesmo ano, eu dei panfletos sobre o Falun Dafa para três estudantes do ensino médio. Eles disseram que estavam indo chamar a polícia. Expliquei-lhes em detalhes que a perseguição era ilegal. No final, dois deles concordaram em renunciar à Liga da Juventude Comunista e aos Jovens Pioneiros.

Eu corri até dois dos estudantes, alguns dias depois e eles me apresentaram a um dos seus colegas de classe que queria aprender o Falun Dafa. O estudante me disse: "Eu quero aprender o Falun Dafa, mas meus pais não me deixam. Costumo ir a cibercafés para poder visitar o site Minghui". Ele me pediu para ajudá-lo a renunciar à Liga da Juventude e aos Jovens Pioneiros.

Eu fui às compras com o meu marido em 23 de janeiro de 2009. Falei com vários trabalhadores num supermercado e lhes dei DVDs sobre o Falun Dafa e a perseguição e ajudei vários deles a renunciarem ao PCC e suas organizações afiliadas. Quando estávamos prestes a sair, um dos trabalhadores queria que esperasse, porque um dos seus amigos queria informações sobre o Falun Dafa. Ele telefonou para seu amigo e pediu-lhe para vir.

Meu marido suspeitava que ele estava ligando para a polícia e estava ansioso para ir embora. O homem tentou nos parar e continuou a fazer telefonemas. Comecei a enviar pensamentos retos. Eu disse ao trabalhador que estava nos observando que aqueles que ajudaram a perseguir os praticantes do Falun Dafa iria receber retribuição cármica. Quando ele me perguntou se isso era realmente verdade, eu lhe disse a história de um chefe de polícia. O chefe teve um derrame depois que prendeu os praticantes do Falun Dafa. Seu rosto tornou-se torta e seus membros ficaram paralisados. Um praticante falou com ele três vezes e ele finalmente entendeu que a perseguição era ilegal. Ele renunciou ao PCC e logo sua face e seus membros voltaram ao normal.

Eu não estava com medo de forma alguma. Eu estava determinada a esclarecer a verdade para quem estivesse no caminho, fossem policiais ou não. Um policial apareceu com um DVD sobre o Falun Dafa na mão, gritando: "De onde veio isso?" Eu lhe disse: "Por que você não se concentrar em capturar as pessoas maus?" Sua atitude mudou imediatamente e ele disse: "Não me deixe pegá-la novamente". Quando ele se virou para ir embora, eu disse a ele para assistir ao DVD e evitar se envolver em irregularidades.