Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Nove membros do Parlamento da Finlândia clamam à China que leve à justiça os responsáveis pela extração forçada de órgãos

10 de Maio de 2019 |   Por um praticante do Falun Gong na Finlândia

(Minghui.org) O Presidente do Grupo do Parlamento Finlandês para Questões Globais, Satu Hassi, juntamente com outros oito membros do Parlamento da Finlândia, levantou sérias preocupações de direitos humanos numa recente carta ao líder chinês, Xi Jinping, ao Presidente do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo da China, Li Zhanshu e ao Embaixador Chinês na Finlândia, Chen Li.

Na carta, datada de 19 de março de 2019, eles expressaram sua preocupação sobre a extração forçada de órgãos de praticantes vivos do Falun Gong na China e conclamaram a China a levar à justiça os responsáveis por esses horríveis crimes.

Parlamento da Finlândia.

Os nove membros do Parlamento que escreveram a carta são de sete partidos políticos diferentes na Finlândia, incluindo os finlandeses ortodoxos, o Partido Central, o Partido da Aliança de Esquerda, o Partido da Aliança Verde, o Partido Social Democrata Finlandês, o Partido Democrata Cristão Finlandês e o Partido do Povo Sueco.

A carta diz o seguinte:

Helsinque, 19/03/2019
Sua Excelência o Sr. Xi Jinping, Presidente da República Popular da China,
H.E. Li Zhanshu, Presidente do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo da China,
H.E. Embaixador Chen Li, Embaixada da República Popular da China na Finlândia.

Suas Excelências,

Nós, abaixo-assinados, membros do Parlamento da Finlândia, queremos expressar nossa crescente preocupação com os relatos sobre o tratamento violento aos praticantes do Falun Gong em seu país. Este tópico já foi retomado várias vezes em discussões bilaterais entre a Finlândia e a China sobre direitos humanos.

Recentemente prestamos atenção ao trabalho do Tribunal Independente presidido por Sir Geoffrey Nice. O tribunal está investigando alegações relacionadas à extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong e outros prisioneiros de consciência na China. Em dezembro de 2018, o tribunal proferiu um julgamento interino no qual concluiu que essas alegações são confiáveis.

Geoffrey Nice esteve envolvido anteriormente com o Tribunal Penal Internacional para a Ex-Jugoslávia (ICTY) em Haia, liderando a acusação de Slobodan Milošević, ex-presidente da Sérvia.

O Parlamento Europeu (2013/2981 RSP) e a Câmara dos Representantes do Congresso dos Estados Unidos, em suas resoluções, também consideraram esses relatos sobre o fornecimento de prisioneiros de consciência como “persistentes e confiáveis”.

Espera-se que o Tribunal Independente dê seu julgamento final nesta primavera, quando mais luz será derramada sobre esses crimes e seus perpetradores.

Estas são alegações extremamente graves de crimes contra a humanidade. Estamos cientes de que as autoridades chinesas rejeitaram todas essas alegações e classificaram-nas como propaganda anti-China.

Nós, deputados do Parlamento da Finlândia, consideramos que não é possível ignorar como rumores infundados ou propaganda a grande quantidade de evidências circunstanciais apresentadas, bem como intervenções de profissionais médicos independentes e especialistas em direito internacional. Portanto, pedimos às autoridades chinesas que realizem investigações e tomem as medidas necessárias para levar à justiça todas as organizações ou indivíduos que possam estar comprovadamente envolvidos nesses crimes.

Satu Hassi, Presidente do Parlamento, Grupo do Parlamento Finlandês sobre Questões Globais.

E membros do parlamento:

Ville Tavio, MP
Aila Paloniemi, MP
Hanna Sarkkinen, MP
Outi Alanko-Kahiluoto, MP
Erkki Tuomioja, MP
Sari Essayah, MP
Hanna Halmeenpää, MP
Eva Biaudet, MP