Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Senado canadense aprova unanimemente o projeto de lei para combater o tráfico de órgãos

20 de Fevereiro de 2019 |  

(Minghui.org) Em 23 de outubro de 2018, o Senado canadense aprovou por unanimidade um projeto de lei para combater o tráfico de órgãos.

"O projeto de lei altera o código criminal para criar novas infrações em relação ao tráfico de órgãos e tecidos humanos", disse o senador Salma Ataullahjan em uma entrevista coletiva.

O Senador Ataullahjan disse que o projeto de lei, o S-240, “emenda à Lei de Imigração e Proteção de Refugiados para prever que um residente permanente ou estrangeiro é inadmissível ao Canadá se o ministro da cidadania e imigração decidir que ele tenha se envolvido em quaisquer atividades relacionadas com o tráfico de órgãos e tecidos humanos. ”

O Senador Ataullahjan e a MP Garnet Genuis organizaram uma conferência de imprensa no dia 25 de outubro de 2018 sobre a aprovação do Projeto de Lei S-240.

Importante questão não partidária

Em 2017, a deputada conservadora Garnett Genuis patrocinou uma lei semelhante.

Na conferência de imprensa mencionada acima, a parlamentar Genuis disse que o projeto do Senador Ataullahjan recebeu grande apoio de membros de todos os partidos políticos, assim como iniciativas similares feitas por ele e outros parlamentares sobre este assunto, incluindo Irwin Cotler, ex-ministro da Justiça.

O projeto agora está aguardando a consideração da Câmara dos Comuns para se tornar legislação.

O meu apelo a todos os deputados de todas as partes é que esta seja uma boa iniciativa de direitos humanos, é uma iniciativa não partidária, é algo que precisa ser feito. Vamos salvar vidas. Vamos garantir que isso seja feito antes da próxima eleição ”, disse a MP Genuis.

Aumento na preocupação com crimes de extração de órgãos na China

A senadora Jane Cordy disse a um repórter do Minghui que acredita que o tráfico de órgãos é um problema global. Ela disse que pode ser fácil pensar que isso não afeta nossas próprias comunidades, mas ficou alarmada quando soube que um médico em Toronto havia enviado 50 de seus pacientes para a China para transplantes de órgãos.

O caso levantado pela Sen. Cordy foi citado por investigações sobre o tráfico de órgãos na China feitas por David Kilgour, um ex-membro do parlamento e secretário de Estado para a Ásia-Pacífico, e por David Matas, um advogado canadense de direitos humanos.

"É importante diferenciar entre o que acontece em becos em alguma cidade e o que acontece na República Popular da China", disse Kilgour durante uma audiência do comitê do Senado em maio.

De acordo com relatos de Matas e Kilgour, praticantes do Falun Gong presos têm sido o alvo principal da extração forçada de órgãos forçada pelo governo na China. Os seus relatórios citam uma correlação direta entre o “boom” inexplicável nos transplantes de órgãos da China e o início da brutal perseguição ao Falun Gong em 1999.

A senadora Wanda Elaine Thomas Bernard, presidente do Comitê de Direitos Humanos do Senado, disse a um repórter do Minghui que acredita que as provas da extração forçada de órgãos na China são convincentes e que esse projeto evitará que os canadenses se envolvam nesses crimes.

Ela disse que o governo canadense deve se certificar de que todos os envolvidos no comércio de órgãos estejam cientes desse problema, e as pessoas devem ser legalmente responsáveis por suas ações.

Até o momento, Taiwan, Israel, Espanha, Itália e Noruega têm leis em vigor para impedir que cidadãos viagem à China para transplantes de órgãos.