Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Comemoração do apelo de 25 de abril na Suécia, Suíça e Alemanha

7 de Maio de 2018 |   Por praticantes na Europa

(Minghui.org) Os praticantes do Falun Gong na Europa realizaram diversas atividades públicas no último final de semana para comemorar o 19º aniversário do apelo pacífico de 10 mil praticantes realizado em 25 de abril de 1999 em Pequim.

Suécia

No sábado de manhã, os praticantes se reuniram em frente à embaixada chinesa em Estocolmo, onde meditaram e leram uma carta aberta a autoridades chinesas, pedindo o fim da perseguição ao Falun Gong na China. Eles também distribuíram panfletos para informar o público sobre os contínuos abusos e torturas de praticantes na China por sua fé.

Praticantes meditam em frente à embaixada chinesa e conversam com os pedestres que passam.

As pessoas assinam uma petição condenando a perseguição ao Falun Gong na China.

À tarde, os praticantes se reuniram no centro de Estocolmo e demonstraram os exercícios do Falun Gong ao lado do famoso salão de música Konserthuset.

As pessoas observam as placas de exposição do Falun Gong no centro de Estocolmo.

Um praticante discursa sobre o Falun Gong e sua perseguição na China.

Dois homens ouviram uma introdução profunda por parte dos praticantes e disseram: “Se não fosse pelos seus esforços, as pessoas não seriam capazes de imaginar a gravidade da perseguição. Continuem o bom trabalho!"

Dois uigures que viveram na Suécia por vinte anos ficaram ao lado dos praticantes e disseram aos transeuntes: “Posso dizer que tudo o que eles dizem é verdade. O Partido Comunista é cruel”.

Um deles mostrou às pessoas o braço dele, que estava coberto de cicatrizes. “Essas foram queimaduras feitas pelos policiais do Partido Comunista anos atrás. Eles me penduraram e me bateram por oito horas.

Suíça

Praticantes na Suíça montaram painéis no Rose Garden, um local turístico popular em Berna.

Demonstração de exercício em grupo.

Praticantes conversam com transeuntes sobre a perseguição na China.

Lucy e Nicole nunca tinham ouvido falar sobre o Falun Gong e ficaram chocadas ao saber do assassinato de praticantes por seus órgãos na China.

Lucy disse: “Esta prática é pacífica. A perseguição não é aceitável.” Sua amiga confirmou: “A crença na Verdade-Compaixão-Tolerância é ótima… Eu não consigo entender por que o governo chinês a suprime”.

Entre as muitas pessoas que queriam aprender os exercícios do Falun Gong, Claudia largou sua mochila e se juntou aos praticantes. Depois de uma hora de meditação, ela disse: "Eu me sinto muito confortável neste grupo".

Alemanha

Em um estande do Falun Gong em Freiburg, na Alemanha, um turista chinês de cinquenta e poucos anos deu sinal positivo aos praticantes e disse: “O Falun Gong é ótimo! Eu não sou tão corajoso quanto vocês. Não me atrevo a praticar, mas sei que o Falun Gong é ótimo, realmente muito bom.”

Os praticantes do Falun Gong informam os turistas sobre a perseguição na China.

Muitos turistas e moradores locais pararam no estande dos praticantes, os encorajaram e assinaram uma petição pedindo o fim da perseguição na China.

DM, um professor do ensino médio, perguntou por que os cidadãos chineses permitiram que a perseguição durasse 19 anos e não lutaram contra o Partido Comunista. Os praticantes explicaram que o regime usou propaganda de ódio para transformar grande parte do público chinês contra o Falun Gong.

Depois de ler mais sobre a perseguição, DM disse: “Agora eu sei o significado do seu evento.” Ele pegou uma pilha de panfletos para seus amigos e disse: “Vou contar mais a essas pessoas sobre isso. Eu apoio vocês."

Um chef chinês elogiou os praticantes: “Ninguém se atreve a falar a verdade. Mas você faz. Tudo o que você disse sobre o Partido Comunista é verdade. A minha família foi perseguida de todas as formas pelo Partido.”

“Algumas pessoas mais velhas da minha família praticam o Falun Gong. Eles são todos saudáveis. Eles estão em seus noventa agora. Eu acredito que eles vão viver mais de 100. Um dos meus primos é um chefe de polícia. Sua mãe pratica o Falun Gong, então ele sabe que o Falun Gong é bom”.

O apelo do 25 de abril

Em 25 de abril de 1999, cerca de 10 mil praticantes do Falun Gong foram ao Escritório Nacional de Recursos, ao lado do complexo do Partido Comunista Chinês em Pequim, para buscar a libertação de 45 praticantes do Falun Gong que haviam sido presos ilegalmente em Tianjin. Reportagens da mídia internacional chamaram o protesto de um dia de “a maior, mais pacífica e bem-sucedida petição”.

Nos últimos 19 anos, os praticantes do Falun Gong continuaram a aumentar a conscientização sobre a perseguição e instaram o regime comunista a acabar com as atrocidades.

Artigos relacionados em chinês:

纪念四二五-德国弗莱堡学员传真相(图)

纪念四二五-瑞士法轮功学员首都传播真相(图)