Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Mais de 100 médicos da Associação Urológica no Congresso da Ásia, assinam petição para se opor à extração de órgãos do PCC

23 de Maio de 2018 |   Por um praticante do Falun Gong na Ásia

(Minghui.org) Foi realizado em Tóquio, Japão, de 18 a 22 de abril, o 16º Congresso Urológico da Ásia, onde mais de cem médicos assinaram uma petição pedindo o fim da extração forçada de órgãos de praticantes vivos do Falun Gong pelo Partido Comunista Chinês (PCC).

Durante a conferência, representantes da Associação de Taiwan para Cautelas Internacionais de Transplantes de Órgãos (TAICOT) compartilharam suas experiências na prevenção de transplantes de órgãos ilegais. Com base no parecer da TAICOT, a CACOT planeja pressionar por uma emenda às leis que impedem os japoneses de obter transplantes antiéticos de órgãos na China.

O Dr. Takano condena a extração de órgãos do PCC.

O Dr. Takano disse ao repórter: “Eu me oponho à extração antiética de órgãos para transplantes. Não importa em que país vivemos, ninguém deve prejudicar o outro por sua própria sobrevivência.”

Dr. Hein Van Poppel, presidente do Departamento de Urologia do Hospital Universitário Gasthuisberg, Katholieke Universiteit (KU) Leuven, sendo entrevistado.

O Dr. Hein Van Poppel, presidente do Departamento de Urologia do Hospital Universitário Gasthuisbergm, disse a repórter: “O turismo de órgãos não deveria existir. É isso que nós, urologistas na Europa, escutamos. Espero que os funcionários possam se envolver e regulamentar isso ”.

Chian-Feng Huang, secretário-geral da TAICOT, disse que as investigações internacionais mostraram falta de transparência no sistema de doação de órgãos na China continental e que os prisioneiros de consciência se tornaram a fonte de órgãos. Ele disse que isso era um crime e uma violação grave da ética do transplante de órgãos. Ele disse: “De acordo com o relatório da ONU sobre tortura, o maior grupo de prisioneiros de consciência são praticantes do Falun Gong”.

Sr. Cheirai, CEO de uma empresa japonesa de instrumentos médicos (esquerda) e Dr. Chian-Feng Huang.

Depois de ler as descobertas da pesquisa sobre a extração forçada de órgãos pelo PCC, Cheirai, CEO de uma empresa japonesa de instrumentos médicos, disse ao repórter: "É realmente perigoso para os pacientes que entram na China e obtêm um transplante rápido e de baixo custo".

Dr. Noor Ashani Bin Yusoff (primeiro da esquerda) e membros do TAICOT (Captura de tela da página do Dr. Noor Ashani Bin Yusoff no Facebook).

O Dr. Noor Ashani Bin Yusoff do Hospital Kuala Lumpur foi inflexível em sua posição contra a extração forçada de órgãos. Ele mostrou seu apoio à TAICOT assinando a petição e publicando as informações em sua página no Facebook.

De acordo com um voluntário da Associação Contra Transplantes de Órgãos (CACOT), um médico de transplante de rim em Hokkaido sabe há muito tempo sobre os transplantes ilegais de órgãos da China. Ele examinou muitos pacientes que receberam rins transplantados na China e descobriu que seus rins eram todos de “doadores” jovens e saudáveis. Esse médico e a maioria dos médicos no Japão já sabem disso há algum tempo. Todos eles discordam da extração forçada de órgãos e sinceramente esperam que isso acabe em breve.

Toshimi Ida do Cautela Contra a Associação de Transplantes de Órgãos da China.

Toshimi Ida, da CACOT, ressaltou que muitos médicos lhe disseram pessoalmente que conheciam a indústria de transplantes de órgãos na China. As leis japonesas não proíbem claramente o turismo de órgãos no exterior. A CACOT planeja fazer uso da experiência da TAICOT e enviar cartas à Nacional Diet do Japão sobre uma emenda à lei sobre o turismo de transplante de órgãos.