Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

[Celebração do Dia Mundial do Falun Dafa] Uma vida renovada depois de encontrar o Falun Dafa

13 de Maio de 2018 |   Por uma praticante da província de Hunan, China

(Minghui.org) Eu costumava ser uma “morta viva” na época em que era torturada por doenças por mais de 20 anos. Eu estava deprimida e chorava desesperadamente todos os dias. Felizmente, encontrei o Falun Dafa, que me deu um novo significado à minha vida.

À medida que o Dia Mundial do Falun Dafa se aproxima, gostaria de compartilhar minha história na esperança de que mais pessoas possam aprender sobre o Falun Dafa.

Atormentada por minhas doenças

Eu me aposentei de uma fábrica de química elétrica na província de Hunan. Em 1983, um fogão no meu local de trabalho explodiu e todo o meu corpo foi queimado. Depois de ser hospitalizada por três meses, desenvolvi constipação grave. Eu tinha que usar um pauzinho para retirar as fezes e muitas vezes tinha sangue nelas.

Os médicos disseram que eu tive envenenamento do sangue e recomendaram injeções intravenosas regulares. Então eu as tomava. Alguns anos depois, meus dois braços ficaram pretos devido às injeções, e eu sentia uma tremenda dor. Os médicos não tinham terapias para mim e só me davam algumas drogas que podiam aliviar temporariamente a dor.

Continuei procurando por diferentes tipos de terapia, mas tudo falhou. Minha saúde piorou ao longo de vinte anos. Eu desenvolvi inflamação da traqueia e artrite reumatoide. Eu não conseguia andar sem me segurar em algo. Às vezes eu desmaiava quando caminhava. Meus vizinhos frequentemente me encontravam deitada no chão no corredor.

Os médicos desistiram de mim, mas eu não desisti. Eu acreditava que algo me curaria. Para superar a constipação, minha solução foi comer menos.

Eu vivi assim por alguns anos com um pouco de esperança até os 50 anos, quando eu caí e quebrei meus ossos dos pés. Eu estava paralisada e não conseguia cuidar de mim mesma. As pessoas ao meu redor começaram a me chamar de "morta viva". Eu não tinha ninguém por perto para cuidar de mim. Minha filha trabalhava em Pequim, há alguns milhares de quilômetros da minha cidade natal. Meu marido teve um caso e se mudou. Eu chorava todos os dias.

Encontrando esperança

Quando não havia esperança para minha melhora, minha vida deu uma reviravolta. Em agosto de 2007, encontrei um livreto do Falun Dafa na minha porta, que deve ter sido colocado lá por um praticante local do Falun Dafa. Eu li e não acreditei em uma palavra. Era inconcebível demais – uma pessoa muito doente foi curada depois de falar “Falun Dafa é bom?” Deixei o livreto de lado.

Dois dias depois, não conseguia dormir devido a uma dor de dente. Eu me lembrei do que o folheto dizia. "Por que eu não tento a sorte?", eu disse para mim mesma. Então, eu silenciosamente recitei “Falun Dafa é bom” e “Verdade-Compaixão-Tolerância é bom”. Antes que eu percebesse, adormeci. Quando acordei, o sol estava brilhando no meu quarto. A dor de dentes se foi. Fiquei chocada. Talvez o livreto estivesse certo! Eu decidi ir procurar um praticante.

Recuperação depois que eu li o livro do Dafa por um mês

Eu encontrei um praticante que vivia em meu edifício e emprestou uma cópia do Zhuan Falun, o livro principal do Falun Dafa. Passei três dias só lendo o livro. Eu só tinha um ano de escolaridade e não entendia completamente o livro. Mas eu achei os ensinamentos ótimos. Passei outros três dias lendo o livro novamente. E então, um milagre aconteceu: a constipação que me atormentou por 20 anos se foi. Eu estava tão animada! Não há palavras que podem descrever meu sentimento.

Eu lia o livro e fazia os exercícios do Falun Dafa todos os dias.

Uma semana depois, eu parecia muito melhor. Todas as minhas doenças desapareceram. Um mês depois, alguns amigos ficaram surpresos ao me ver: “Uau! Como essa ‘morta viva’ ficou muito mais jovem? Seu rosto parece tão suave e saudável.” Eu estava completamente irreconhecível do meu antigo “eu” frágil.

O Falun Dafa não me cobrou um centavo.

Mudando a atitude da minha filha

Quando comecei a praticar o Falun Dafa, minha filha se opôs fortemente, pois ela havia sido enganada pela propaganda do Partido Comunista Chinês (PCC). Ela me ligou e disse que não me veria como mãe se eu continuasse. Eu não me comovi. Em vez disso, fui até Pequim para visitá-la e levei a ela uma cópia do Zhuan Falun e dos Nove Comentários sobre o Partido Comunista.

Ela ficou surpresa ao me ver. No entanto, quando ela viu os livros na minha bagagem, ela chutou minha bolsa para fora do seu apartamento e gritou: "Como você se atreve!"

Seguindo os ensinamentos do Falun Dafa, não discuti com ela. Em vez disso, eu pacientemente disse a ela como eu me beneficiei com a prática. Eu também disse a ela os detalhes da perseguição e sugeri que ela lesse os Nove Comentários.

Alguns dias depois, ela me disse com um grande sorriso: “O livro é ótimo. Mãe, aqui está algum dinheiro. Por que você não faz mais cópias deste livro para que mais pessoas possam aprender a história corrupta do Partido e sua perseguição ao Falun Gong?”

A partir daí, minha filha me deu 10 mil yuanes (cerca de R$ 5.600,00) todos os anos para eu fazer os materiais do Falun Dafa.

Como o tempo voa! Foram 11 anos preciosos desde que comecei a praticar o Falun Dafa. De ex-morta viva, tornei-me uma firme praticante do Dafa. Gostaria de expressar meu agradecimento ao Mestre Li Hongzhi (o fundador do Falun Dafa) e desejo-lhe um feliz aniversário. Eu nunca conheci o Mestre Li, mas sinto que ele tem me protegido e me guiado. Não consigo encontrar as palavras para expressar meu apreço.

(Submissão para comemorar o Dia Mundial do Falun Dafa de 2018 no site do Minghui)