Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

[Celebração do Dia Mundial do Falun Dafa] O Falun Dafa me deu uma nova vida

12 de Maio de 2018 |   Por um praticante do Falun Dafa na China

(Minghui.org) Comecei a praticar o Falun Dafa em maio de 2005, depois que uma série de milagres me iniciou nesta nova vida. Eu sei que, por trás dos milagres, residia a compaixão final do Mestre Li, o fundador do Falun Dafa. Nenhuma palavra pode expressar minha infinita gratidão a Ele.

Uma reviravolta

Comecei minha carreira em design em 1983 e depois de anos de trabalho duro e honesto, consegui abrir minha própria empresa e construi uma família feliz. No entanto, em 1997 as coisas começaram a serem arruinadas.

Naquele ano, comprei uma propriedade para construir meus escritórios e uma nova casa. Alguns dias depois de nos mudarmos para o novo apartamento, eu cai da cama e não conseguia me levantar. Demorei um pouco para finalmente me levantar. Isso aconteceu alguns dias seguidos. Eu visitei um médico, mas ele não pôde me ajudar com o meu problema. Percebo agora que fui afetado pelo formaldeído no ambiente quando passei muito tempo nos novos edifícios enquanto eles estavam sendo pintados. Eu também desenvolvi problemas cardíacos, e outros nas pernas e nas costas.

Comecei a me voltar para práticas religiosas. Eu viajei para o Sudeste Asiático e fiz um monge fazer algum tipo de ritual em mim. Depois disso, minha cabeça doeu terrivelmente. Nada me ajudava. Finalmente um praticante taoista ajudou a afastar o espírito maligno e a dor.

Uma amiga minha me visitou depois que eu me mudei para o meu novo escritório e me apresentou ao Falun Dafa. Ele me deu uma cópia do Zhuan Falun e eu não podia esperar para lê-lo assim que o consegui. Mesmo sabendo que o livro estava certo, eu ainda não pude deixar de duvidar do que li. Eu até fiz comentários desrespeitosos.

Não muito tempo depois, nossa filha nasceu e eu me mudei para o exterior e me esqueci completamente do Falun Dafa.

Tribulações sem fim

Eu machuquei minhas costas quando estava trabalhando no meu jardim no exterior. Depois que voltei para a China, meu pescoço e meu peito começaram a doer e minha saúde começou a se deteriorar. Enquanto eu procurava tratamento médico, continuei a fazer o que fosse necessário para conseguir dinheiro e reputação, o que prejudicava ainda mais minha saúde.

Alguns anos se passaram, durante os quais fui levado ao pronto-socorro várias vezes depois de ter ataques cardíacos. Eu também tive dores de cabeça severas, dores nas costas que me impediram de endireitar minhas costas, e eu tive esporões nos meus joelhos. Mais tarde, fui diagnosticado com atrofia cerebral.

Muitas vezes a dor era tão grave que me impedia de adormecer à noite. Às vezes eu ficava com tanto frio que tive espasmos e precisei de um aquecedor para normalizar a temperatura do meu corpo.

Eu lia o Zhuan Falun quando estava com dor e isso me fez sentir muito melhor. A energia dentro de mim estava circulando rapidamente e o Mestre estava limpando meu corpo. No entanto, continuei a procurar uma cura através de tratamento médico.

Eu também fazia alguns dos exercícios do Falun Dafa quando sentia dor. Embora eu soubesse que o Dafa era bom, eu não podia deixar meu apego ao budismo e ao taoísmo e ainda tomava remédios. Eu percebo agora que eu estava perdendo meu tempo.

Um dia, quando estava fazendo minha massagem terapêutica, minha terapeuta suspeitou que eu tivesse tuberculose óssea. Eu verifiquei em um hospital e eu, de fato, fui diagnosticado com isso. Por meses eu tomei doses de medicamentos para tratar a minha doença até que o médico finalmente declarou que era inútil e eu precisava pensar no meu funeral.

Tornei-me obcecado com todos os tipos de tratamentos e faria qualquer coisa para melhorar. Durante esse período, vi as limitações da medicina moderna e o quanto os médicos eram imorais e antiéticos.

Uma nova vida

Uma noite, em maio de 2005, me senti muito mal e fui levado para o hospital. Os raios X mostraram que minha espinha estava tão infectada que havia buracos por toda parte. Fui transferido para um hospital maior no dia seguinte, mas não havia nada a ser feito. Os tratamentos me enfraqueceram ainda mais. Na época eu não conseguia comer sozinho nem dormir. Quando me deitei, fiquei tão tonto que comecei a vomitar.

Minha esposa não conseguia parar de chorar pensando que precisaria criar os filhos sozinha. Certa manhã, sentei-me numa cadeira de rodas no hospital, olhando pela janela. Por um instante, senti que não havia nada no mundo que valesse a pena me manter aqui. Eu decidi desistir dos tratamentos e deixar a morte vir.

Eu me senti à vontade naquela noite e decidi tomar um banho antes de morrer. Depois disso, senti-me relaxado e, sem pensar muito, fiz alguns movimentos dos exercícios do Falun Dafa. Imediatamente me senti muito melhor. Fiz mais alguns movimentos e mais tarde fiz mais alguns. Eu me senti tão bem que decidi que queria viver afinal de contas. Eu arrumei minhas coisas e meus medicamentos e sentei na minha cama esperando pelo amanhecer.

Eu não podia esperar para ligar para minha esposa para dizer a ela que eu queria ir para casa. Quando ela veio me buscar, joguei fora a sacola cheia de remédios e entrei no carro. Assim que o fiz, senti fome. Pedi-lhe que me levasse para tomar café da manhã e, depois de não ter comido durante doze dias, tomei uma grande tigela de mingau e fui para casa feliz. Aquele dia foi em 18 de maio de 2005, o dia em que comecei uma nova vida.

Daquele dia em diante eu fiz os exercícios do Falun Dafa sempre que pude. Todas as manhãs eu tive diarreia e à noite eu suava tanto que precisava trocar de roupas uma dúzia de vezes. Meu suor cheirava mal terrivelmente. Três dias depois, deixei de ficar tonto quando me deitei. Uma semana depois voltei ao trabalho. Em duas semanas, pude trabalhar ao ar livre e supervisionar os projetos de construção.

Um dia, eu vi uma pedra de quase 90 kg impedindo a passagem de uma porta e quis movê-la, mas não conseguia encontrar alguém para me ajudar. Eu me agachei, segurei com os dois braços e empurrei para o lado. De repente, lembrei-me de que apenas duas semanas antes eu estava em uma maca prestes a morrer. Eu não pude agradecer ao Falun Dafa o suficiente e fiquei absolutamente impressionado com o poder do Dafa.

Eu me tornei um praticante constante. Eu aprendi todos os exercícios e, através da prática, fiquei totalmente saudável. Eu estava tão cheio de alegria!

O terceiro olho da minha esposa se abriu quando ela tinha 17 anos e depois fechou. Depois que me tornei praticante do Dafa, ela pôde ver com o terceiro olho novamente. O processo de abertura do terceiro olho dela foi exatamente como descrito no Zhuan Falun. Quando eu estava me sentindo tonto durante os exercícios, ela viu muitos seres divinos no nível de Luohan (Arhat) na minha cabeça, um em cima do outro. Quando li o Zhuan Falun, ela viu um Buda em cada caractere. Enquanto eu lia o livro na cama ao lado dela, ela disse que a luz que emanava do livro era tão brilhante que ela não conseguia adormecer. Quando conversei com meus amigos sobre o Falun Dafa, ela viu muitos outros seres me ouvindo também.

Um dia, conheci um amigo que também era praticante do Falun Dafa. Durante a nossa reunião, percebi que, quando fazia os exercícios, meus movimentos eram muito rápidos e incorretos. Mesmo assim, fazer os exercícios foi capaz de curar minha doença terminal em duas semanas!

No dia seguinte, liguei a música do exercício e, antes de começar a fazer os exercícios, minha esposa parecia atônita. Ela disse que um grupo de donzelas celestiais surgiu da música, espalhando flores e um grupo de soldados celestiais me cercou, me protegendo.

O terceiro olho da minha filha de 7 anos foi aberto pouco depois de eu começar a praticar. Ela podia ver Pusas (Bodisatvas) e Budas. Quando eu me exercitava, ela brincava com o Falun voador.

Faz 12 anos desde que me tornei um verdadeiro praticante. Agora eu jogo basquete amador, faço artes cênicas e profiro palestras. Pessoas que me conheciam antes viram como eu rapidamente recuperei minha saúde através do Falun Dafa e muitas delas gradualmente começaram a praticar.

Minha experiência e os milagres que minha esposa e minha filha viram me encorajaram a ser um praticante constante. Para comemorar o Dia Mundial do Falun Dafa, agradeço ao Mestre por sua salvação e a imensa graça do Buda.

(Submissão para comemorar o Dia Mundial do Falun Dafa de 2018 no site do Minghui)