Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Praticantes do Falun Gong na Polônia e na Grécia comemoram o apelo histórico de 25 de abril

10 de Maio de 2018 |   Por praticantes do Falun Gong da Polônia e da Grécia

(Minghui.org) Dezenove anos atrás, em 25 de abril de 1999, o mundo observou quando 10 mil praticantes do Falun Gong se reuniram em Pequim e apelaram ao governo central para restaurar seu direito de praticar pacificamente suas crenças. Um apelo tão amplo e pacífico nunca ocorrera antes na China comunista. Embora o governo tenha inicialmente concordado com os pedidos dos praticantes, em poucos meses, uma perseguição sem precedentes foi desencadeada. A perseguição continua até hoje. Todos os anos, praticantes do Falun Gong em todo o mundo realizam atividades para marcar o aniversário do apelo histórico de 25 de abril.

Polônia

Em 22 de abril, os praticantes do Falun Gong na Polônia realizaram uma série de atividades em Varsóvia, comemorando o 19º aniversário do apelo pacífico dos praticantes do Falun Gong em Pequim em 25 de abril de 1999. Praticantes realizaram uma manifestação em frente à Embaixada da China para protestar contra os crimes do Partido Comunista (PCC) contra praticantes inocentes na China, e lamentar aqueles que morreram em resultado da perseguição do PCC. Eles expuseram ainda mais a perseguição do PCC na Praça da Cidade Velha no final da tarde, demonstraram os exercícios do Falun Gong e coletaram assinaturas em uma petição pedindo o fim da perseguição. Multidões de turistas tiveram a chance de aprender mais sobre a perseguição e assinar a petição.

Os praticantes do Falun Gong na Polônia comemoram o Apelo de 25 de abril em frente à Embaixada da China em Varsóvia.

Expondo o crime do PCC da extração de órgãos de praticantes vivos do Falun Gong na Praça da Cidade Velha em Varsóvia.

Praticantes na Polônia demonstram os exercícios do Falun Gong.

Um praticante do Falun Gong fala com um turista sobre a perseguição ao Falun Gong.

Uma freira que trabalha em uma associação de saúde para deficientes visuais passou muito tempo lendo os cartazes exibidos e conversando com os praticantes do Falun Gong. Ela ficou especialmente atenta quando um praticante lhe contou sobre a cultura tradicional chinesa do cultivo espiritual. Ela disse ao praticante que parecia muito familiar para ela, como se ela recordasse alguma lembrança de muito tempo atrás. Ela levou alguns folhetos introdutórios para compartilhar com seus colegas.

Um jovem da China perguntou a um praticante: “Por que você tem que chamar tanta atenção [para a perseguição]? Você pode ignorar o PCC se o achar ruim. Acho que ficar em silêncio é melhor.” O praticante perguntou: “Essas vítimas não são chineses, incluindo você? Como podemos nos calar diante do crime do PCC de extrair órgãos de pessoas vivas? Não dizer nada seria equivalente a aceitar os crimes. Se tivéssemos ficado em silêncio, todos não teriam escolha a não ser acreditar nas mentiras do PCC, e ninguém saberia a verdadeira história do apelo de 25 de abril. Nós não estamos tentando persuadi-lo a praticar o Falun Gong, mas você deve saber qual lado está certo e qual está errado. É muito importante para você. Por favor, leve um material com você. Eu espero que você seja abençoado.” O jovem respondeu:“ Eu aprecio sua gentileza! Eu definitivamente vou aprender mais sobre isso.”

Outro chinês disse a um praticante: “Li atentamente tudo o que você expôs. O Falun Gong é maravilhoso! Eu te admiro! Eu não entendo porque um país com cinco mil anos de história não tem valores universais. Um país sem democracia ou direitos humanos não estabelecerá uma boa imagem internacional, independentemente do número de Jogos Olímpicos que realiza.”

O praticante respondeu: “O objetivo do PCC é destruir a humanidade, por isso não promoverá valores universais, embora a China, na verdade, tivesse grandes valores universais tradicionais. O PCC costumava encobrir seus crimes no passado, mas desvendou completamente sua verdadeira natureza com a perseguição ao Falun Gong.” Ele sugeriu que o cavalheiro lesse os Nove Comentários sobre o Partido Comunista e se retirasse de qualquer organização comunista à qual ele tivesse aderido antes.

Grécia

Em 24 de abril de 2018, os praticantes do Falun Gong na Grécia realizaram atividades na estação de trem em Atenas, para comemorar o apelo pacífico dos praticantes do Falun Gong em Pequim há 19 anos.

Praticantes na Grécia apresentam o Falun Gong no centro de Atenas.

Os praticantes demonstraram as cinco séries de exercícios do Falun Gong e expuseram a perseguição ao Falun Gong pelo PCC, especialmente o crime da extração de órgãos de praticantes vivos.

Muitas pessoas pararam para assistir a demonstração de exercícios e ler os expositores. Eles ergueram seus polegares para cima em sinal para os praticantes e apreciaram as informações fornecidas pelos praticantes.