(Minghui.org) O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, viajará para a Ásia no final deste mês para a Cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico de 2017 (APEC), e se encontrará com o líder da China, Xi Jinping. Os praticantes canadenses e vários funcionários do governo pedem ao primeiro-ministro Trudeau que aproveite a oportunidade para pedir a Xi Jinping para libertar a sra. Sun Qian, uma praticante de Falun Gong que está detida na China por suas crenças.

A sra. Sun, fundadora de uma empresa de biotecnologia de Pequim, é cidadã canadense e começou a praticar o Falun Gong em 2014. A polícia de Pequim a prendeu em 19 de fevereiro de 2017 e ela está detida desde então. Ela não cometeu nenhum crime. Ela foi presa simplesmente porque ela pratica Falun Gong. Ela se tornou uma prisioneira de consciência, perseguida por suas crenças religiosas.

Fontes na China informam que a sra. Sun está sendo detida no Primeiro Centro de Detenção, em Pequim, e tem sofrido torturas e outros maus tratos nas mãos das autoridades. Oficiais no Canadá têm prestado muita atenção à sua situação.

O deputado Ted Falk disse que pensa que o primeiro-ministro Trudeau deve pedir a libertação da sra. Sun enquanto estiver na ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático).

Como canadenses, acreditamos fortemente na liberdade de religião, na liberdade de expressão, e penso que o nosso primeiro-ministro, quando vai para reuniões como esta, precisa questionar as autoridades chinesas sobre situações em que nossos cidadãos estão sendo encarcerados”, disse Falk em uma entrevista.

O parlamentar canadense Ted Falk discursando em uma manifestação comemorativa do Dia do Falun Dafa no Canadá, em maio de 2017.

Pelo menos 12 membros de famílias de praticantes canadenses estão detidos na China por praticar Falun Gong. "[A perseguição ao Falun Gong é] algo que nós, como canadenses, absolutamente lastimamos, e pensamos que o governo chinês precisa libertar imediatamente aqueles do Falun Gong feitos prisioneiros e deixá-los voltar para suas casas", acrescentou Falk.

Omar Alghabra, secretário parlamentar do Ministro das Relações Exteriores, é especialista em assuntos consulares. Ele disse que o caso da sra. Sun é muito importante e que o governo canadense tem consistentemente levantado questões de direitos humanos com a China.

De acordo com o The Globe and Mail, o jornal nacional mais antigo do Canadá, Alghabra disse à Câmara dos Comuns que o governo tem defendido a sra. Sun.“Um canadense é um canadense.”, ele disse.

Alghabra acrescentou que, quando foi nomeado para este cargo, o primeiro-ministro Trudeau disse que proteger os canadenses no exterior é uma das responsabilidades de Alghabra. O sr. Trudeau costumava viajar ao redor do mundo quando era jovem e entende profundamente a importância do governo em apoiar seus cidadãos.

Alghabra prometeu que o governo está acompanhando de perto o caso da sra. Sun e outros dois casos. Eles continuarão seus esforços até que os praticantes sejam libertados.