Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Durante a Cúpula de Segurança Nuclear, os praticantes do Falun Gong clamam ao presidente chinês, Xi Jinping, que pare com a perseguição

5 de Abril de 2016 |   Por Li Jingfei, correspondente do Minghui em Washington DC

(Minghui.org) Em 31 de março, durante a realização da Cúpula de Segurança Nuclear, os praticantes do Falun Gong (também conhecido como Falun Dafa), exibiram faixas com os dizeres: “Falun Dafa é bom” e “Levem Jiang Zemin à justiça”, na calçada da Avenida Connecticut, em Washington DC, no momento em que o presidente chinês Xi Jinping participava da cúpula e se reunia com o presidente Obama. Xi também participou de um jantar com mais de 50 líderes mundiais que participaram do encontro.

Em 1999, Jiang Zemin, ex-chefe do Partido Comunista Chinês (PCC), ordenou a repressão violenta aos praticantes do Falun Gong na China. A perseguição levou à morte milhares de praticantes do Falun Gong ao longo dos últimos 17 anos. Muitos foram torturados por suas crenças e até mesmo mortos por seus órgãos. Os praticantes em Washington, D.C. pediram ao presidente Xi para parar a perseguição e levar Jiang à justiça.

Multidões de pessoas se aglomeraram nas principais ruas próximas ao Hotel Omni Shoreham, onde Xi estava hospedado. Os praticantes exibiram faixas e demonstraram os exercícios do Falun Gong na quarta-feira e quinta-feira das 8h às 20h na Avenida Connecticut. A tranquilidade da demonstração chamou a atenção de muitas pessoas, incluindo a do grupo chinês que foi pago para acolher Xi. Eles tiraram fotos dos praticantes e alguns imitaram os praticantes fazendo os exercícios com gestos de mãos.

Em 31 de março, os praticantes do Falun Gong seguraram faixas que dizem “Falun Dafa é bom” e “Levem Jiang Zemin à justiça”, e demonstram os exercícios na Avenida Connecticut, em Washington DC, enquanto o presidente chinês, Xi Jinping. participava da Cúpula de Segurança Nuclear.

Pedindo a libertação de praticantes detidos na China

Duas mulheres pedem a libertação imediata dos praticantes Li Fengbo e Fu Huilan, que estão detidos em Lishui, província de Zhejiang.

Min Ge, o porta-voz do Falun Gong em Washington DC, disse: “Jiang Zemin deu início à perseguição. Temos confirmadas as mortes de mais de 3.900 praticantes ao longo dos 17 anos de perseguição e a detenção e prisão de inúmeros praticantes. Estamos aqui para clamar a Xi Jinping para parar a perseguição e levar Jiang Zemin à justiça”.

A praticante, Sra. Xu, exibiu um cartaz em que se lia “Leve Jiang Zemin à justiça”. Ela disse que sua mãe, Wang Sirong, foi presa em 13 de fevereiro e detida no Centro de Detenção de Nankai em Tianjin, com três outros praticantes. Ela está pedindo a libertação imediata da sua mãe.

A Sra. Fan, uma praticante do Falun Gong disse: “A perseguição ao Falun Gong continua. Não podemos ficar em silêncio”. Ela trabalha em uma agência federal e veio para a avenida pedir a libertação de dois praticantes detidos em Lishui, província de Zhejiang. Ela disse que recebeu há alguns dias uma chamada da Sra. Li, uma residente chinesa em Maryland, pedindo que ela ajudasse sua filha e mais uma praticante.

No dia 30 de março, a filha da Sra. Li, Li Fengbo, e outra praticante, Fu Huilan, foram presas em uma estrada em Lishui, província de Zhejiang. O oficial de polícia, Geng Jianbo, invadiu a casa de Li Fengbo sem a sua presença e apreendeu seu carro, cartões de banco, dinheiro, jóias, junto com uma impressora, copiadora e outros pertences pessoais no valor de mais de 1,5 milhões de yuanes (cerca de 230 mil dólares).

Pessoas que foram recepcionar Xi aprendem sobre o Falun Gong

Para recepcionar Xi, a Embaixada Chinesa contratou dezenas de ônibus para trazer vários milhares de chineses de Nova York, Filadélfia, Carolina do Norte, e Washington DC . 12 dos ônibus vieram diretamente de Chinatown em Nova York.

Dentre os que foram pagos para recepcionar Xi, muitos viram pela primeira vez os praticantes fazendo os exercícios do Falun Gong. Um idoso aprendeu os exercícios no local e vários estudantes gravaram vídeos.

O praticante Chunying Wang disse: “Mais de 20 chineses vestindo coletes vermelhos descansaram no gramado em frente ao Museu Nacional Air and Space, próximos de um estande do Falun Gong onde estavam divulgando informações sobre a extração forçada de órgãos, sancionada pelo governo chinês, de praticantes do Falun Gong vivos. Eles ficaram chocados ao ouvir isso. Alguns praticantes explicaram ainda mais sobre a perseguição a eles. Mais de dez chineses concordaram em renunciar suas participações ao PCC e às suas organizações afiliadas”.

O Sr. Zou, um praticante que trabalha em Washington DC participou do evento e disse: “A embaixada chinesa gastou muito dinheiro para contratar essas pessoas para receber o presidente Xi. É uma oportunidade rara para elas. Elas têm a oportunidade de ver as pessoas fazendo os exercícios do Falun Gong e aprender sobre o Falun Gong. A maioria delas é boa, mas foi enganada pela propaganda do PCC, que difama o Falun Gong. Ao longo dos últimos dois dias, elas se tornaram conscientes da perseguição”.