(Minghui.org) À tarde, após um dia agitado, parado em frente à janela, eu podia ver a claridade diminuindo e as pessoas perdidas em um labirinto. Eu fui tomado pela emoção quando senti a urgência de salvar os seres conscientes e a importância de cultivar bem o tempo, assumindo assim, essas enormes responsabilidades.

Muitas vezes eu me lembrava que ao enfrentar o mundo cheio de tentações e interferências, eu não deveria me envolver muito e sempre me medir pelos requisitos do Fa, considerando as situações mais amargas, como oportunidades para o cultivo.

Eu devo estudar o Fa com meu coração e me dissolver no Fa, assim, cada partícula do meu corpo fica imersa nos princípios do Fa e as coisas das pessoas comuns não tem lugar em minha mente ou no meu corpo. Em meu coração, existe apenas o Dafa, que me guia em meu cultivo e os seres conscientes esperando desesperadamente para serem salvos.

Quando nossa mente está no Fa, tudo pode mudar.

Eu costumava fazer muitas coisas com um praticante na nossa área, mas depois ele se desviou e traiu alguns praticantes, e por consequência muitos foram presos. Eu ouvi ele mencionar o meu nome em particular. Eu estive sob muita pressão na época. No entanto, eu sabia que não deveria deixar o mal vencer.

Esses praticantes foram presos em um dia sombrio e chuvoso. O meu coração ficou muito pesado, mas eu continuei fazendo o que tinha que fazer. Durante o caminho para um local onde instalaria um software no computador de um praticante eu mantive o envio de pensamentos retos e me recordei dos ensinamentos do Mestre:

“Se cada discípulo do Dafa tivesse ações e pensamentos retos enquanto faz as coisas, e pudesse ver as coisas com pensamentos retos sob qualquer circunstância, nenhum de vocês teria medo ao se enfrentar com a perseguição. Se vocês forem assim, quem se atreverá a perseguir vocês?” (Ensinando o Fa em São Francisco, 2005).

De repente, percebi que a minha vida pertencia ao Dafa e aos seres conscientes. Eu vim a este mundo com a missão de salvar pessoas que foram enganadas por mentiras, e a minha vida não tem nada a ver com as velhas forças.

Imediatamente eu senti uma força invisível dentro de mim me conectando ao Fa e nada conseguia abalar meus pensamentos retos. O sentimento de ansiedade, que eu tinha antes, havia desaparecido sem deixar vestígios.

Os meus parentes estavam terrivelmente assustados e desesperados com a prisão em massa e me imploraram para eu deixar a minha casa e evitar o perigo. Com calma eu lhes expliquei de uma maneira que eles pudessem compreender o que pensava.

Ao final eles se acalmaram e me falaram: “Tivemos uma discussão e achamos que você não estará seguro em nenhum outro lugar para que lhe mandarmos. É mais seguro ter você por perto.” Eu sabia que o plano elaborado pelas velhas forças tinha falhado completamente.

(9ºFahui da China no Minghui.org).