Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

Vara judicial leva adiante novo julgamento de réu em condições terríveis

19 de Fevereiro de 2015 |   Por um correspondente do Minghui na província de Hebei, China

(Minghui.org) Quando o sr. Song Zhenhai foi levado para o tribunal em 31 de janeiro, ele foi algemado e acorrentado, com um tubo de alimentação ainda em sua narina. Ele não podia sentar-se por conta própria e, além disso, tossia sem parar, vomitava e reclamava de dores no estômago.

Ainda assim, o juiz do Tribunal do condado de Linzhang prosseguiu com a sessão de janeiro, um mês e quinze dias após o Tribunal Intermediário da cidade de Handan ter revogado a condenação de três anos para o sr. Song e ter, após isso, ordenado um novo julgamento.

O sr. Song foi preso em maio de 2014 por distribuir folhetos expondo a perseguição ao Falun Gong pelo Partido Comunista Chinês (PCC). Seu advogado argumentou que a Constituição chinesa garante o direito dos cidadãos à liberdade de crença e à liberdade de expressão, por isso, o fato de o cliente praticar o Falun Gong e disseminar informações sobre a prática não viola nenhuma lei.

O advogado também contestou a utilização por parte do juiz de um "aviso interno" do PCC como base legal para processar seu cliente. Ele ressaltou que um "aviso" difamando o Falun Gong é, por si mesmo, ilegal, já que nenhuma lei na China nunca criminalizou o Falun Dafa.

Independentemente disso, a vara judicial proferiu uma sentença de prisão ao sr. Song em seu primeiro julgamento, em 15 de outubro de 2014. Depois que o tribunal intermediário descartou o veredito, a vara judicial ficou ansiosa para re-condenar o sr. Song e, sendo assim, realizou um novo julgamento, apesar da condição física preocupante do sr. Song.

O sr. Song esteve em greve de fome e foi selvagemente submetido à alimentação forçada por um mês antes do novo julgamento. Ele estava pálido e magro no dia do julgamento. Quando o juiz-presidente Chen Jianxin começou o interrogatório, o sr. Song não foi capaz de dizer uma palavra, já que ele não conseguia parar de tossir e de vomitar.

O advogado do sr. Song eventualmente teve que parar o juiz e pedir-lhe para suspender a sessão. O juiz relutantemente suspendeu, porém imediatamente anunciou o dia 4 de fevereiro como a data para um novo julgamento. O advogado do sr. Song duvidou que seu cliente estaria apto para ser julgado na data estipulada.

A família do sr. Song está desfeita

O sr. Song e sua esposa foram repetidamente presos desde o início da perseguição ao Falun Dafa em 1999. Após a mais recente detenção do sr. Song, sua esposa passou grande parte do tempo e gastou muito dinheiro tentando resgatá-lo, mas sem sucesso.

A filha de 13 anos do casal estava sozinha em casa a maior parte do tempo, sem os cuidados dos pais. Ela eventualmente abandonou a escola e seu paradeiro é desconhecido até o momento.

A avó do sr. Song estava num estado constante de medo e ansiedade por ver seu neto ser preso o tempo todo. Ela faleceu pouco tempo depois de saber da sentença de três anos do neto.