(Minghui.org) Nota do Editor: em 5 de julho de 2013, a fim de prover instruções à Escola Fei Tian, o Mestre Li Hongzhi escreveu o seguinte artigo, intitulado "O que é dança clássica chinesa?" reproduzido aqui, na íntegra.

Fundada sobre o alicerce dos cinco mil anos da vasta cultura chinesa, a dança clássica chinesa é um ramo das artes que usa o corpo como meio de expressão.

I. Características da dança clássica chinesa

A. Os movimentos da dança clássica chinesa são ricos em sua capacidade de expressar uma variedade de sentimentos, tais como felicidade, tristeza, alegria, raiva, dor e prazer; as emoções ligadas às separações e uniões, à loucura, à paixão, à doença, embriagues, sobriedade, desonra e majestade, assim como às histórias de personalidades civis e militares e outras.

B. Na dança clássica chinesa, é o significado que impulsiona os movimentos do corpo. Em outras palavras, nessa forma de dança, a expressão plena somente é alcançada quando os sentimentos interiores conduzem o corpo.

C. A dança clássica chinesa utiliza a capacidade natural do corpo humano; ela não requer treinamento específico de músculos individuais. Ou seja, a força muscular é adquirida naturalmente, por meio do caminhar, correr, saltar, subir escadas, andar de bicicleta etc, da mesma forma, a força das partes superiores do corpo, naturalmente adquirida mediante o trabalho físico, é adicionalmente reforçada ao longo do treinamento.

D. O treinamento na dança clássica chinesa tem quatro componentes:

1. “Forma” (combinações de dança e prática básicas);
2. “Atitude/Postura” (uma técnica para expressar sentimentos interiores específicos por meio da “forma”);
3. “Técnica de dança” (treinamento em movimentos difíceis da dança);
4. Técnica de acrobacia (treinamento em diferentes tipos de piruetas e outras habilidades fundamentais).

E. Ao executar a dança teatral, a dança clássica chinesa envolve um elemento de atuação. A atuação, na dança clássica chinesa, é diferente daquela do cinema, do teatro, da ópera, das artes teatrais chinesas tradicionais ou dos musicais da Broadway. Na dança clássica chinesa, a atuação envolve a coordenação da expressão facial com os movimentos do corpo que, quando unidos, resultam em uma forma ampliada de expressão.

II. Origens e transmissão histórica da dança clássica chinesa

Há milênios, as artes marciais (wushu) apareceram na China. Na época, muitos tipos de artes cênicas foram influenciados pelos movimentos, técnicas e piruetas das artes marciais. As formas originais de muitos movimentos da dança clássica chinesa eram semelhantes aos daquelas artes marciais; apenas eram realizados de maneira diferente e o que exigiam era diferente. Mais tarde, durante os cinco mil anos de formação da cultura chinesa, a dança clássica chinesa foi sendo continuamente enriquecida e isso foi o que emergiu o aspecto “atitude/postura” da dança clássica chinesa. E isso foi também a origem do estilo que a dança clássica chinesa assumiu ao longo do processo de sua transmissão. O modo como uma pessoa de um determinado grupo étnico se move contém as qualidades distintas particulares do grupo. Por isso, os movimentos das pessoas chinesas têm, naturalmente, uma expressão chinesa. Mas o estudo e a prática têm demonstrado que, mediante formação específica em “atitude/postura” e “forma”, pessoas de outras etnias também podem adquirir essa mesma expressão.

A dança clássica chinesa foi executada em uma variedade de formas, com destaque para as peças teatrais. Historicamente, ao longo das diferentes dinastias, as danças executadas na corte imperial assumiram diferentes características e técnicas. Entre a população, a dança se espalhou principalmente mediante imitação, enquanto que, entre os artistas de rua, ela se difundiu principalmente por meio das técnicas das artes marciais. Antes das dinastias Qin e Han (entre 221 e 220 dC), havia artistas que realizaram sequências de artes marciais. Os acrobatas usavam principalmente piruetas. Durante as dinastias Tang e Song (entre 618 e 1279 dC), a maior parte dos espetáculos de dança de rua continha formas e técnicas de dança clássica chinesa. Piruetas, em particular, foram utilizadas por praticamente todos os artistas de rua. Este é mais um exemplo de como, dentro da cultura chinesa, de modo geral, as técnicas de diferentes formas de arte têm influenciado uma a outra.

O conceito de dinastias chinesas difere dos antigos reinos de outros povos. A substituição de uma dinastia significava a mudança para um conjunto distinto de traços culturais da [nova] dinastia, uma vez que cada dinastia tem o seu próprio imperador, o seu próprio povo e a sua própria cultura. E é assim que, durante o processo histórico em que a civilização [chinesa] foi se estabelecendo, a dança clássica chinesa foi constantemente enriquecida e aperfeiçoada.

Os métodos de ensino de hoje não existiam na China antiga. No teatro, a geração mais velha treinava os aprendizes e, assim, [os métodos e técnicas] eram passados de uma geração para a seguinte. Desde tenra idade, o aluno estabelecia uma aprendizagem formal com um mestre e era assim que alguém se tornava um profissional. Na dança da corte imperial, a arte era transmitida a medida em que as moças jovens ensinavam umas às outras; muitas das artes performáticas de rua foram transmitidas como tradições familiares; e as artes marciais eram recebidas dos ancestrais ou aprendidas de um mestre. Da mesma forma, nas práticas religiosas budistas e taoístas, depois que um discípulo ganha o manto, ele ou ela recebe os ensinamentos do mestre. Os métodos modernos e sistematizados de ensino são algo que começou [somente] na primeira metade do século passado.

III. Diferenças entre a dança clássica chinesa e as artes marciais modernas

Desde que o período que os filmes de kung fu e programas de televisão começaram a ser exibidos, muitas pessoas têm embelezado os movimentos das artes marciais e transformado-os em algo chamativo, mas pouco prático, para uso nos enredos de filmes e programas de televisão. Estes movimentos se parecem muito com a dança, mas são, na verdade, completamente diferentes da dança clássica chinesa. Basicamente falando:

A. Na dança clássica chinesa, a expressividade do corpo está em primeiro lugar, enquanto que nas artes marciais, a explosão e a velocidade dos movimentos são mais importantes. Quanto mais rápidos [são os movimentos] das artes marciais, mais se atinge o objetivo.

B. A dança clássica chinesa integra o movimento do corpo com a atitude interna.

C. A dança clássica chinesa é uma linguagem corporal. A fim de retratar um personagem ou uma história, da forma mais completa, o corpo precisa esticar e se abrir em toda a sua extensão. É por isso que [ter] pernas longas é o critério mais básico na seleção de estudantes de dança [clássica chinesa]. Usar este tipo de extensão [do corpo] em combates de artes marciais deixaria a pessoa vulnerável.

D. As artes marciais não são capazes de contar histórias, [representar] diferentes personagens, estados de espírito e emoções, como a dança clássica chinesa faz.

E. As artes marciais não têm a “atitude/postura”, necessárias na dança clássica chinesa.

IV. A influência da dança clássica chinesa sobre outras formas de dança e habilidades físicas

Com a chamada “reforma e abertura” da China (iniciada no final da década de 1970), as técnicas e piruetas da dança clássica chinesa apareceram de repente no cenário mundial. Notavelmente, suas técnicas e piruetas chamaram a atenção da comunidade internacional de dança. Assim, o balé clássico incorporou algumas das técnicas da dança clássica chinesa e o balé moderno o fez em escala ainda maior. No entanto, [coreógrafos e bailarinos] não compreendem as normas exigidas [no uso] dessas técnicas e as têm utilizado de maneira muito fora do padrão. Nas chamadas danças de rua, a compreensão dos requisitos e normas [da dança clássica chinesa] é ainda mais superficial e, como resultado, a dança clássica chinesa foi imitada e distorcida.

A dança clássica chinesa também teve uma enorme influência no atletismo. Antes da década de 1970, a formação em ginástica rítmica, trave de equilíbrio e barras, envolvia apenas movimentos simples de balé e treinamento físico. Mais tarde, as equipes de ginástica da China pegaram as técnicas e piruetas da dança clássica chinesa e as utilizaram em larga escala em eventos de ginástica. Assim que estas técnicas apareceram em competições internacionais da década de 1970, os ginastas ao redor do mundo ficaram admirados. Alguns competidores chineses conseguiram ganhar até cinco medalhas de ouro em prova combinada. Ginastas de todo o mundo começaram a aprender as técnicas e piruetas da dança clássica chinesa e, de uma hora para outra, o nível técnico das competições de ginástica foi notavelmente elevado.

De fato, muitas formas diferentes de dança, artes físicas e esportes em todo o mundo adotaram as técnicas e piruetas da dança clássica chinesa. Alguns as copiaram um pouco melhor, enquanto outros as copiaram muito mal, [com movimentos] imprecisos, fora do padrão e até mesmo sem graça e isto têm distorcido a requintada cultura de cinco mil anos.

Estas são as coisas básicas a se saber sobre a dança clássica chinesa.

Li Hongzhi
5 de julho de 2013

Fonte: Shen Yun Performing Arts