Falun Dafa Minghui.org www.minghui.org IMPRIMIR

CNN: Falun Gong nega os atos de autoimolação

25 de Janeiro de 2001 |   Rebecca MacKinnon

O grupo da meditação chinesa banida, Falun Gong, negou qualquer ligação a um incidente na terça-feira, no qual cinco pessoas se incendiaram na Praça Tiananmen, em Pequim, de acordo com um comunicado divulgado pela organização. As cinco pessoas se atearam fogo em frente de uma equipe da CNN. Um dos cinco morreu.

Um relatório da polícia os identificou como membros do Falun Gong, agindo sob o comando de Li Hongzhi, que o relatório descreveu como líder [] o Falun Gong emitiu uma declaração dizendo: "A chamada tentativa de suicídio na Praça Tiananman não tem nada a ver com os praticantes do Falun Gong porque os ensinamentos do Falun Gong proíbem qualquer forma de matança. O Sr. Li Hongzhi, o fundador da prática, declarou explicitamente que o suicídio é um pecado ". Li Hongzhi está vivendo no exílio em Nova York. A declaração acusou a agência de notícias estatal chinesa Xinhua, que também identificou as vítimas de queimaduras como membros do Falun Gong, de mentir. Ele disse que a reportagem da Xinhua foi "mais uma tentativa da China de difamar a prática do Falun Gong" e apelou à investigação de grupos de mídia e direitos humanos internacionais.

A declaração não ofereceu sua própria explicação do incidente. O incidente começou quando uma equipe da CNN viu um homem se sentar no chão, despejar gasolina em suas roupas e se incendiar. As chamas subiram alto no ar. A polícia extinguiu as chamas em questão de minutos, quando o pessoal de segurança correu para a área perto do Monumento aos Heróis do Povo. Enquanto a polícia militar detinha a equipe técnica e os reprimia fisicamente, eles presenciaram mais quatro pessoas se imolando. Elas levantaram as mãos acima de suas cabeças e cambaleavam lentamente, as chamas queimando suas roupas.

A equipe técnica da CNN testemunhou uma das vítimas sendo afastada para uma van da polícia. Ele parecia ter graves queimaduras em seu rosto, e a produtora da CNN, Lisa Weaver, podia sentir o cheiro da carne queimando quando a van passou lentamente passou. Quatro outros corpos estavam sobre o pavimento depois que as autoridades apagaram as chamas. Pouco tempo depois, telas portáteis foram erguidas em dois pontos para proteger os corpos de vista. Uma vítima gravemente queimada estava deitada no chão, acenando com as mãos, a polícia estava olhando e não ofereceu ajuda.

Cerca de 25 minutos após o incidente, duas ambulâncias chegaram e levaram as vítimas para longe. Uma delas parecia ser uma mulher, e foi deixada no pavimento mais longe - possivelmente indicando que ela estava morta. A polícia emitiu a equipe técnica da CNN uma declaração após a sua detenção na Praça Tiananmen confirmando que uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas. A polícia disse que outra pessoa foi detida na cena com dois frascos de gasolina.

Http://www.cnn.com/2001/ASIANOW/east/01/23/china.falungong.03/index.html